pfvr

Eu disse sim, mas não disse agora, eu disse quero, mas em outra hora, deixa eu te conhecer, me diga quem é você. O teu olhar me desmonta inteiro, e o teu sorriso é o sol verdadeiro, deixa eu te conhecer, me diga quem é você. Quero um amor que resista ao tempo, uma verdade pra abraçar pra sempre, caminhada de bons sentimentos, um coração que me entende. Eu quero colo, eu quero carinho e o meu carinho eu quero te dar, eu já andei muito tempo sozinho, por favor, deixa eu te encontrar. A tua voz não sai da minha mente e o meu desejo é seguir em frente, deixa eu te conhecer, me diga quem é você. A nossa historia pode ser tão bela, até os anjos vão sonhar com ela, deixa eu te conhecer, me diga quem é você. Quero um amor que resista ao tempo, uma verdade pra abraçar pra sempre, caminhada de bons sentimentos, um coração que me entende. Eu quero colo, eu quero carinho e o meu carinho eu quero te dar, eu já andei muito tempo sozinho, por favor, deixa eu te encontrar, por favor, venha me encontrar, o amor quer nos encontrar.
—  Pra Sempre.
E se não for pedir muito Deus, blinde meu coração, contra tudo aquilo que vem para me destruir, e principalmente me afastar da tua presença.
—  Cris. M
Tô indo nessa, chega de insistir em algo que só serve pra me tirar o sono. Eu bem que tentei segurar as pontas, manter a mente aberta, tripliquei a paciência que eu nem sabia que tinha, tanto esforço por quem não merecia sequer um aperto de mão. Foram muitas as vezes em que sepultei o meu orgulho e corri atrás, quando na verdade, a vítima era eu. Esse é um dos motivos pelo qual sempre brigávamos, você é um arrogante formado, ainda assim… O que mais me tira do sério, é essa tua pose de “nada me abala” a nossa relação vivia em decadência, mas você não se importava, afinal, eu já estava garantida, esse foi mais um dos seus erros constantes, não temer a minha partida. Você errou, e errou feio, errou ao me fazer esperar por ligações que nunca chegaram, errou ao partir meu coração, errou ao mentir que me amava, quando nem mesmo gostava de mim. Nossa relação se dividiu a erros, discussões e almofadas encharcadas. Você me fez chorar feito criança, me fez sangrar, sofrer, e a duvidar de todo e qualquer sentimento vindo de alguém, por sua culpa, me tornei fria, insegura, amargurada, e um tanto malvada. Contudo, te conhecer me fez enxergar o mundo de uma forma até então, desconhecida. Você me apresentou ao amor, mais que isso, me fez entender o que era amar. As decepções que me causou, tiveram grande impacto em minha vida, agora, percebo que não devo confiar de imediato nas pessoas, elas mentem, traem, sufocam as borboletas que residem em nós, sei que tanta frieza, inibe a chegada de pessoas maravilhosas, mas é preferível o gelo que me tornei, ao caos que as pessoas deixam quando vão embora. Talvez, ao ler esta carta, você perceba nas entrelinhas o quanto ainda te amo, se isto acontecer, bem… Você está enganado! Todo o amor que um dia te ofereci, está morto, e enterrado. Sei que pra você, essa ideia soa absurda, afinal, até pouco tempo, eu quase morria de amores por ti, pra mim, também foi difícil aceitar, precisei me adequar ao momento, convencer meu cérebro a deixar de absorver tantas informações ao seu respeito. Não foi nada fácil, mas olha só… Eu sobrevivi, pra dor do seu ego, estou de pé, depois de tanto retroceder, resolvi parar, enxugar o rosto, contemplar a linda vista que repousava em minha frente, vista essa que eu jamais havia enxergado, pois a dor que você me causava, cegava os meus olhos, a minha fé, o meu amor pela vida. Tudo bem que a sua chegada não me trouxe só malefícios, como eu já disse, foi você que me apresentou ao amor, um amor nunca antes sentido, ou sequer imaginado, pena que as coisas mudam depois do primeiro mês de namoro, você já não é mais o mesmo, na verdade, nunca foi, aquela pessoa que me tratava com zelo, carinho, respeito e dedicação, desejava tão somente me ganhar, conquistar, pra depois de muito se divertir, achar conforto em outros braços, me despistar como mais uma das muitas garotas que você deixou pra trás. Acontece, que eu não sou como as outras, não esqueço fácil, não deixo pra lá, prometi que você pagaria todo o mal que me causou, sofreria o triplo, de toda a dor que me fez passar, você ingênuo, não acreditou. Mas olha só onde você está agora, sentado no sofá, com os olhos cobertos por lágrimas, sentindo febre, e uma dor absurda na alma, lendo este e-mail, olhando minhas fotos e sentindo a minha falta.
—  A sua garota, já não é mais tua.   Atritar.
Se não era amor, pertencia a mesma família, pois restou a mesma dor que fica quando alguém que você ama vai embora, aquela mágoa que se aloja no peito depois de ter tido todas as promessas quebradas, o sentimento de saudade que lhe faz reviver memórias felizes, que por sinal, só serve pra lembrá-lo que nada mais será da mesma forma. Se não era amor, era algo ainda mais intenso, pois a quantidade de noites que perdi remoendo lembranças, não tá no gibi. Teve também aquele dia na padaria em que cismei que o carinha da fila do pão, era você, minha agonia só teve fim, quando avistei o rosto do moço. Era amor, é claro que era, se não, como explicar o terremoto que você me causava, enquanto todos os outros, nem sequer faziam cócegas em meu coração? Me explica então, qual nome se dá a mistura de emoções que eu sentia ao te ver se aproximar? Qual outra palavra define a falta absurda que eu sentia de você? Sem falar nos ciúmes, e em toda a dependência, a vontade de estar perto, era como se fosse uma droga, da qual eu não conseguia me libertar, você foi o meu vício, minha rotina, deixei meus amigos por você, mudei minhas roupas pra te agradar, virei toda a minha vida de pernas pra o ar, te amei mesmo quando deveria te odiar, comprei suas brigas, tomei pra mim suas dores, chorei o teu choro, me fiz de humorista pra te alegrar, deixei de viver a minha vida, e fiz da tua, meu ponto de partida. Com tantos motivos óbvios, você ainda tem dúvidas, de que era amor? Cara, acorda, já era amor, antes de ser. O problema é que você fechou os olhos pra tudo de bom que eu te ofereci, tão envolvido com o resto do mundo, nem sequer olhou pra mim, meu amor estava exposto na vitrine, só você não viu. Então não venha me dizer que o que eu sentia não era amor. Suporte o que eu suportei, chore da forma que eu chorei, seja traído, magoado, decepcionado, tome pra si minhas dores antigas, e depois disso, torne a dizer que tudo o que eu senti, não era amor, se ainda assim, nada disso te afetar, meus parabéns, colega, você é de aço.
—  Tu é mó vacilão.  Atritar.
Não espero o ideal, mas o possível. Pretendo a intensidade com leveza. Eu gosto de querer ficar com liberdade. Não tente formatar meus sentimentos. Nem abaixar o volume do meu riso. Entendo fúrias, farpas, asperezas. Também cometo indelicadezas, mas não preciso aceitar apenas porque compreendo. Então, se há alguma alegria em estar comigo, que ela seja doce e imperativa. E que haja maturidade emocional quando um problema. Só peço que controle o seu comportamento intempestivo na hora mais bonita do poema.
—  Marla de Queiroz