petrificados

E chega uma hora que acordamos e notamos que precisamos crescer, que nossas preocupações mudam e as dúvidas  já não são mais de que roupa usar. Chega a hora que a vida cobra mudanças e decisões, e nem sempre as escolhas vão ser uma ótimo e outra ruim. Muitas vezes as escolhas são cruéis entre coisas que amamos e não gostaríamos de ficar sem. E ai vem a difícil decisão de escolher o que é melhor, pro tão famoso futuro. Ter que pensar no futuro e nas consequências e não só no momento, e no quanto aquilo nos fará feliz. Aquela de aproveitar o momento e foda-se o resto, não poderá mais ser levado a sério, e aquele famoso foda-se pras coisas que não nos agradam não poderá mais ser pronunciado. Iremos ter que aprender a fazer as coisas mesmo não gostando, iremos ter que acordar cedo para trabalhar, e ter contas há pagar, decisões a tomar. Só de pensar da medo, da receio de não conseguir e não saber administrar a nova vida. Porque, se pararmos para pensar, problemas de adolescentes geralmente se resolvem com uma roupa nova ou então um pouco de carinho. É só se apaixonar e tudo tá resolvido… Mas e depois? É desconhecido. Na verdade, ninguém tá preparado para crescer, a maioria quer retroceder no tempo e voltar a depender da escolha de outros. Mas é inevitável, todo mundo tem que acordar para a realidade. E aí as coisas apertam, o que já foi importante um dia passa a não valer tanto e o que um dia foi um sonho, agora é um fardo: a independência. E a mudança não é só interior, o ambiente também já não é o mesmo. Não tem mais o mesmo brilho da descoberta em nada… Já está tudo conhecido. O garoto por quem se apaixonou há uns seis anos atrás já não tem o mesmo charme e cabelo imaculadamente penteado. Com o tempo, ele pega uma barriguinha e as preocupações começam a formar uma olheira em seus olhos. Mas e aí? Será que há amor o suficiente para aguentar um pouco de mal humor e stress? Será que ele ainda te achará linda mesmo quando chegar em casa cansada após um longo dia de trabalho? E o pior… Será que você vai se importar com tudo isso ou preferirá simplesmente deitar na cama e esquecer os problemas?Talvez ache que esses sentimentos sejam bobos demais para uma cabeça completamente adulta. E isso me assusta! O medo de crescer e me perder… Perder tudo aquilo que eu sempre prezei e quis ter. Medo de daqui há alguns anos dizer para os meus filhos que o amor é apenas um conto de fadas. Medo de não saber aconselhá-los a passar por situações idênticas as que passei. Medo de fracassar e não saber crescer, de parar no tempo e não achar um caminho certo para seguir na vida. De ser insegura para sempre e me encolher diante dos problemas que podem surgir. De não saber reagir, nem ser forte o suficiente, nem ser madura o bastante, nem encontrar quem me aguente. Medo de crescer… Medo de crescer só no tamanho e continuar a mesma menininha que cantarola para o vento e acredita em príncipes encantados. Medo de não achar o meu príncipe e não saber me encontrar na nova vida. Medo de mudar e ainda assim, permanecer a mesma idiota de sempre.  Paola feat Camila  (petrificados)

Sabe qual é a coisa que eu olho para trás e não me arrependo? Meus amigos, todos aqueles que eu perdi, aqueles que estão afastados, aqueles que moram longe, aqueles que sempre estão do meu lado, todos. Porque apesar de não ter tanto contato, sei que no momento foi sincero, e que compartilhávamos alegrias e anseios sem julgamentos. É tão bom saber que você tem alguém para contar, alguém que sempre vá lhe ouvir, sempre vai lhe apoiar, lhe aconselhar, viaja com você nas suas idéias mirabolantes, é uma cumplicidade inexplicável. Amizade é um bem muito precioso que precisamos conservar sempre, mesmo com todas as dificuldades que a amizade possa oferecer. Sabe, sem eles a vida parece não ter sentido - na verdade não tem, nenhum ser humano se contenta apenas com a solidão - não dá para imaginar como minha vida seria sem eles […] Quando perdemos um amigo, qualquer que seja o grau de intimidade, nós nos sentimos incompletos e sofremos muito. Amigos são irmãos que podemos contar sempre, dividimos tudo com eles: segredos, alegrias, lágrimas, tanto os momentos alegres quanto os mais absurdamente tristes também.  Amigos verdadeiros são aqueles que na sua frente te xingam de todo quanto é nome, mas por trás defende você com unhas e dentes. Amizade é um laço, um laço extremamente forte que não é quebrado tão fácil. Existem amizades à primeira vista, outras que são conquistadas com o tempo, mas todas trazem consigo um amor incondicional -quando são verdadeiras-, acima de tudo. Há aquelas que podem chegar a valer até mais do que aquele amor que dizemos ser “para sempre”. A amizade é simplesmente uma dádiva, se ela for verdadeira […] Afinal, nem todo sentimento é verdadeiro: ao longo da sua vida verás que muitas pessoas que irão se dizer amigas, serão as primeiras a jogar pedras em você pelas costas. Os realmente verdadeiros são os que estarão lá de braços abertos para enxugar suas lágrimas pela partida de todos os outros. Amizade não é só feita de apelidos fofos, somente por falar eu te amo à todo momento, ou por estar lá presenciando todos seus momentos tristes. Amizade é colocar apelidos constrangedores, dar sermões quando é merecido e estar contigo nos momentos mais felizes, pois amigos vão querer te ver à todo momento feliz e não estar contigo só nas más horas. Porque qualquer um inimigo aguentaria um momento seu de tristeza - na verdade é um motivo de alegria para ele - porém só os verdadeiros conseguem lhe ver bem, feliz, sem lhe invejar. Amigos assim merecem seu devido valor, devemos sempre “regar-los” para que a flor não muche. Tem sempre que está em manutenção, para não correr o risco de algum dia estragar e “te deixar na mão”. Com os verdadeiros amigos dei as minhas melhores risadas, com eles que minha tristeza passa com um piscar de olhos. Eles me fazem sorri e esquecer de todos os meus problemas. Amizade não é tão fácil de se encontrar, as verdadeiras são raras. São joias que não se encontram em qualquer esquina. São raras. Ao longo da vida passamos por várias fases, boas e ruins. Em cada uma delas, encontramos estrelinhas, ou melhor, anjos, verdadeiros anjos que mesmo com o passar do tempo, continuam do seu lado. Sempre apoiando, lhe dizendo aquilo que você precisa ouvir. Amigos são aqueles com quem passamos o dia conversando e ainda se tem assunto. São aqueles com quem falamos as piores merdas e depois simplismente caímos na gargalhada. Amigos são aqueles que sabem a hora exata de te oferecer um abraço, sem pedir nada em troca. Amigo que é amigo, está sempre com você, não importa que seja no fundinho do seu coração, mas sempre vai estar, independente da distância física. Michelle + Sabrina + Mônica + Carolina (Petrificados)

pero la soledad del mexicano, bajo la gran noche de piedra de la altiplanicie, poblada todavía de dioses insaciables, es diversa a la del norteamericano, extraviado en un mundo abstracto de máquinas, conciudadanos y preceptos morales. en el valle de méxico el hombre se siente suspendido entre el cielo y la tierra y oscila entre poderes y fuerzas contrarias, ojos petrificados, bocas que devoran. la realidad, esto es, el mundo que nos rodea, existe por sí misma, tiene vida propia y no ha sido inventada, como en los estados unidos, por el hombre.
—  octavio paz: el pachuco y otros extremos (1950)

Estou de saco cheio desses rótulos que a sociedade impõe sobre mim, como se eu fosse algum tipo de embalagem. Cansei de ser tachada de anti social se não sabem nem ao menos o porquê de eu ter me afastado das pessoas, não sabem nem um terço da minha vida para ficar julgando e tacando pedras. Por um acaso vocês que jogam pedras são perfeitos? Já parou para olhar que seu teto também é de vidro e pode se quebrar facilmente? Já parou para pensar que a vida não é tão simples para todos? Pois bem, se sua vida for perfeita, se não possuir nenhum machucado, se tiver um curriculum limpinho, sem nenhuma queda, sem nenhum erro, me ensine a ser assim? Me ensine a ser perfeito, ainda não encontrei a fórmula para essa tal perfeição que tanto procuram nos outros, mas não possuem. Poxa sociedade, vamos parar de rotular tudo e todos? Vocês não tem um pingo de vergonha na cara de criticar uns ao outros e não olharem para o próprio umbigo.Fala sério, vivemos em uma sociedade onde a aparência é mais importante do que o que você tem por dentro. Não estão nem ligando para o teu figado, até mesmo para o seu coração. Eles vão olhar mesmo para o seu corpo  e vão analisar cada detalhe. Se você tiver aqueles pneusinhos, já é motivo para falarem que não serve para trabalhar em certo lugar. Se você for o tipo magra, que não tem seios fartos coxas  torneadas e bumbum empinado, é motivo para falar que você não se encaixa no quadrão da sociedade. Nenhum menino vai querer namorar uma garota de pernas finas e cabelos desgrenhados. Nenhuma agência de modelo irá querer uma modelo gordinha, com gordurinhas saltado fora da roupa. Agora, suas “amigas” sim irão aceitar uma feinha no grupo, assim elas poderão ser notadas por serem as mais bonitas. Porra, qual o problema de vocês? Me sinto deslocada, é como se eu tivesse nascido na época errada. Pessoas tem entrado em depressão, outras pensam em suicídio, e tudo por culpa da sociedade que exige o que nem eles podem dar de si mesmo. Vocês tem criticado demais. Enquanto nos preocuparmos com as opiniões alheias, vamos acabar ficando surdos para nossas próprias opiniões.Raíssa + Gabriella (petrificados)

Gracias

supe tomar un poco de tu tiempo,
para anular el resto,
del mío;
y para así,
poder divagar,
entre un espacio petrificado;
tanteando delicadamente, cada uno de los átomos,
que formaban tu rostro;
y desordenando, aquellos que formaban nuestro alrededor,
desgarrando, el tejido de este espacio,
para que cuando el tiempo regrese,
plasmado en las agujas de un reloj,
el suelo en el que estemos posados,
se derrita,
y tu mirada,
la cual su visión se encontrará dirigida un punto específico,
conozca, en aquel suelo derretido,
su reflejo;
y vea como detrás de ella,
se encuentra una tormenta,
que acarreó, la inconsistencia de una nebulosa,
que atraje hacia nosotros;
y ante tu exasperación,
te invitaré,
a un lugar cuyo espacio, con mis manos separé;
abriéndonos camino hacia la nada,
donde ella tomará todo nuestro tiempo,
para ser eternidad,
con un umbral de una puerta,
que nos lleva, a donde solíamos estar,
donde ya la tierra;
conocerá la tempestad,
de una galaxia,
que con la nuestra la hice chocar,
y no será mas tierra,
será un planeta,
de una galaxia nueva;
que creé para vos,
para que des cuenta,
de lo que un poco de tu tiempo significa,
y aunque en la nada,
ya, paradójicamente nada valga,
para mi es infinito,
poder,
crear, crecer;
mantener,
tu rostro seguirá intacto como aquella vez,
y desordenados los átomos, estarán,
menos los nuestros;
yaceremos en la nada,
donde el espacio padecerá,
junto con el tiempo,
y todo esto,
gracias a tu tiempo,
gracias a tu tiempo;
y gracias por prestarme,
unos minutos de tu tiempo,
ahora en regreso,
te regalo mi ser,
y la divina eternidad,
de nuestros cuerpos;

Se rompió mi sonrisa al verla, es extraño que tanto tiempo espere verle y en este momento estoy petrificado, inmóvil, con la garganta seca de palabras, veo de lejos como se acerca a mi, el corazón parece se me va salir, no tengo escapatoria, no hay dónde ir, llega hasta mi e irrumpe toda la cotidianidad con esa sonrisa que solo ella sabe usar, me dice hola, me pregunta ¿como estas? Yo titubeo un momento y reflexióno mi respuesta de la manera más apresurada, tengo tanto que decirle, miles de cosas que contarle, sin embargo solo un “muy bien” sale expedido de mi boca. Asintiendo desanimada se despide pensativa y como contemplando el horizonte la mire retirándose lentamente por el bulevar, se veía tan hermosa, tan diferente, nunca más la volví a mirar
—  Dmtreeo
A festa do hoje

As luzes se apagam simultaneamente à vela acendida e a câmera focaliza seu rosto, petrificado sem reação, flashs o cegam momentaneamente e o bolo dedado jaz acima da mesa no fundo da sala, cercado pelas agitadas crianças brigadeiradas até o canto da boca, atrás das calvícies e plásticas gritantes, parabéns pra você, ainda sem dizer nada o rosto enrubesce abrindo pérolas encardidas pelo desgosto da tarefa de três vezes ao dia, tic tic tic ti, nessa data querida, tic tac, ele corta o bolo depois do pedido, o primeiro pedaço vai para, esse foi o pedido de muitos presentes, é só uma lembrancinha, insistem em dizer, camisetas e meias, tic tac, o bolo acabou, muitos anos de vida, tchau, lá se vão meias amizades, espera só ele ficar mais velho, vai ser um homão, aquela tiavó comenta pra mãe antes de finalmente sair, sobra sempre pros pais, e também as sobras de bolo, é pro meu pai, tia, pode levar, e ele, o aniversariante, descansa na cama, feliz de todos ali, mal sabe que meia parte morre antes dos seus vinte, outros deletam as conversas, sobram poucos, tic tac, agora em sua virtual festa há pessoas diferentes, ele se olha no espelho, diferente, o tempo é um amigo ingrato, não traz passado, só presente quando ele não mais se importa, no espelho as espinhas e os dentes agora brancos depois de tantos esporros dentísticos, a transformação gradual nas pessoas grandes do passado que lhe davam medo, agora ele já é um homão, os discursos não mudam para alguns, para outros a intimidade questiona uma pseudomensagem, não tem mais bolo com plástico em cima, nem a música chiclete, nem brigadeiro, nem crianças talvez, nem ele se achando o máximo, envelhecer é um saco, pensa quando saco só lhe remetia ao papainoel, presentes, isso também falta, só há a presença esmagadora do presente futurantemente passando, e a câmera, ela focaliza ele de novo, sorri, tira logo, e a foto registra o momento travado e ele não pode trocar com a eterna juventude fotográfica, tic tac, ele apesar de não querer envelhecer sorri, mais fotos, o hoje é sempre melhor que ontem mesmo que não pareça, ele agora adora presentes.

01.04.2015

Victor Medeiros

Dizem que nós mulheres somos complicadas […] mas mal sabem eles como é difícil ser mulherrisos. Como é difícil lidar com nossas mudanças de humor repentinas, e o quanto irrita quando ninguém nos entende em relação a isso. O quanto é difícil estar naqueles dias e ainda sorrir e se vestir bem para encarar o mundo lá fora. O quanto não é fácil andar de salto, ou até mesmo decidir qual all star escolher. E até mesmo aquelas que se dizem ”desleixadas” tem duvidas para escolher qual camiseta, jeans e all star usar. Toda mulher é vaidosa, toda mulher no fundo gosta de ouvir um ”como você está linda”. Tem aquelas que se dizem nem um pouco vaidosas, mas na maioria das vezes essas são as piores, porque se preocupam tanto em não serem vaidosas, em mostrar que não se importam que acabam tendo maiores trabalhos em passar essa imagem. Acho que vaidade é algo bom, nos deixa com auto estima, nos faz sentir melhores, mais confiantes, só que ela de forma exagera não dá […] As mulheres tem o dom de enganar, de persuadir e conquistar o que querem. As mulheres são mil e uma utilidades — acho que mais até que esse número. Elas cuidam da casa, trabalham, tem diversas preocupações, tem filhos, menstruam e etc. Tantas coisas para um ser só, e nós mulheres conseguimos fazer tudo isso com a maior facilidade, embora seja árduo, fazemos com orgulho e aguentamos com um sorriso no rosto. E além disso ainda se arrumam para sair a noite e te impressionar com aquele jeito que te leva a loucura, que faz os homens caírem aos seus pés. Quando as mulheres querem elas usam e abusam. Quando alguém as magoam fazem esse sujeito implorar perdão, porque não há ninguém melhor em vinganças se não as mulheres, elas são profissionais nisso. As mulheres são mais inteligentes tanto mentalmente como emocionalmente. Elas movem o mundo. Mulheres bacanas, complicadas, batalhadoras, persistentes, ciumentas, apressadas, é isso que somos hoje. Todas lindas do jeito que são. Nós somos enigmáticas e gostamos disso. […] Paola feat Michelle  (petrificados)

Los refugios parte dos.

Amanece por un costado, entre la pared y el aliento, entre la resignación por la luz y los párpados entrecerrados, en el sueño marítimo sale el sol y nunca termina de ocultarse, la oscuridad no existe ésta noche, la deriva es calma, esa luz se deshace como luciérnagas sobre los cuerpos petrificados, se aferra a existir en el firmamento que agoniza, amanece y ella se aprisiona en la profundidad del agua pero la sombra persiste, la marea la trae de vuelta con violencia.

TAURO ♉ PARA ESTA SEMANA. Veo reconocimiento de personas de poder en tu trabajo. Hay nuevo equipo de trabajo que deberás guiar e integrar. Veo dinero que te llega o crédito que te aprueban. Pudiera tratarse también de herencia o legado, que debas aceptar y tramitar. Buenas noticias que te llegan. Notificación que te genera alegría. A lo mejor sea una jubilación o pensión que esperas. También puede ser un permiso o visa que te dan. Problemas con hijo que te da un ultimátum o hace una declaración que te deja petrificado. Nada mijito a los hijos hay que aceptarlos como son. Habrá asuntos familiares que tratar y resolver. Cortarás con gente que sacarás de tu vida pero llegaran nuevas personas a la misma. En el amor: Aventura amorosa o arrebato que te deja fuera de ti. No es ni bueno ni malo mi Tauro dependerá como lo asumas. Además ojos que no ven corazón que no siente, eso sí, mucho cuidado con arranque de sinceridad inducido por la culpa. Si usted lo hizo y se lo gozo, pues muere con eso. Salud: Bien aspectada cuídate los dientes. Consejo: Si observas bien veras los cabos que de atarlos llegaras a la verdad. Abrazos mil. Por @hugoescalante2

Sete Vidas: Lígia e Miguel ficam frente a frente

Miguel (Domingos Montagner) está se metendo em uma situação para lá de complicada. O ambientalista foi para Fernando de Noronha com o intuito de deixar para trás sua antiga vida, mas nem tudo saiu como esperava. Após salvar Pedro (Jayme Matarazzo) - que quase se afogou no mar - ele vai até o hospital visitá-lo.

Quando Miguel entra no quarto, porém, dá de cara com o rosto de Lígia (Débora Bloch) na tela do computador que estava sendo usado por Pedro para falar com a família. Petrificado, Miguel fica encarando o monitor, sem saber o que fazer.

A cena vai ao ar nesta segunda-feira, dia 30 de março.

Cheguei em um ponto que fico questionando sobre se vale a pena ou não, te amar. Você não é o cara típico que faz loucuras de amor por mim. Mas também, não é do tipo que me trata mal. Sei lá, parece que eu sou um tanto faz na sua vida. Que se eu fosse embora pela porta, você não iria ficar triste, acabado, mas iria pedir para eu ficar. Acho que você já se acostumou com a minha presença. Acho que me ter na sua vida, é uma praticidade. Pra ser bem sincera, você é um meio termo. E como eu sempre te disse, eu odeio meios termos. Eu sou intensa, e você é mais ou menos. Então eu me pego procurando um motivo qualquer para que valha a pena reverter a questão de ir embora da sua vida. E isso provavelmente, só ocorreria se você fosse realmente firme. Ou vem ou vai, ou sim ou não. Me ama ou me odeia e fim de papo. Porque toda essa indiferença têm me deixado louca. Eu simplesmente não consigo suportar. Afinal, que diferença faria pra você se não passo de um ‘tanto faz’? Mas quando a gente se apega, essa decisão se torna dolorosa. Você pode não se decidir, mas eu sei o quanto gosto de você. Tanto que não admito que cheguemos a esse ponto. Cansei de todos esses “talvez”, cansei da sua indecisão. Esse amor pela metade está destruindo o que ainda restava do meu coração. Quero sentimento de verdade, quero amar por inteiro, me entregar de alma e coração. Dizem que o amor machuca, mas estou aprendendo que na verdade o que machuca são as pessoas. As pessoas que nos iludem, e causam uma reviravolta nos sentimentos, deixam tudo bagunçado e vão embora sem nem dizer adeus. E foi isso que você fez, jurou amor eterno, mas se foi ainda no primeiro tempo de amor – ou falso amor, agora tanto faz. Agora eu sou o arbitro da minha vida, e te expulso de vez do meu coração, cansei de amar sozinha e sofrer por dois. Vou virar o jogo e ser feliz. Por um momento cheguei a olhar para trás, admito que por várias vezes lutei e dei o máximo de mim para que esse amor não se acabasse, ou seilá se era mesmo amor, mas em mim ele se foi. Deixando apenas os rastros machucados. Mas agora não sei mais, só sei que quero ser forte para seguir sem você, ou pelo menos fingir que estou vivendo sem você. Que seja, meios termos nunca foram bons para mim, sempre me entreguei por inteiro, e sempre recebi pela metade, acabei valendo por dois, e meu coração suportou por mil, e isso não é justo. E agora fica para trás, todas as promessas quebradas e todos os planos não terminados. Nada irá se cumprir, nada irá acontecer no futuro, não com você. Letícia + Gabi + Kállyta + Raíssa (petrificados)

Vermelho

Meu corar não é voluntário. Constranjo-me com palavras que alimentam-me o ego, sinto-as falsas e forçadas, entendo-as como mentiras mal “dizidas”, pouco importa-me opiniões de massas, onde predomina-se a ignorância, pessoas cujas mentes atrofiadas, como suas mesquinhas ambições,  intelectos imaturos, corações petrificados e ocos como seus ouvidos que nada absorvem, ecoando palavras distorcidas, sem que nada possa absorver, pessoas as quais são piores que serpentes peçonhentas onde nem elas desperdiçam seu tão preciosos veneno.

Por tanto tempo deferiam-me golpes à alma e a meu coração, que me foi necessário fecha-lo em meu peito; 

-Não sinta penas achando que sou fria e amargurada, pois foi apenas provisório.

Fecha-lo apenas tempo suficiente para regenerar-se, fechando todas as suas feridas, voltando então a suas funções originais, tomar seu posto q a mente ate o momento esteve ocupando até então sem sucesso por sua natureza racional não saber desempenhar com sucesso, bombear sangue, sangue que carrega o amor, a alegria, as lágrimas, estas já não importam se forem de alegria ou tristeza que eu ainda possa derramar. Insubstituível,ele que me mantem viva, atributos que somete a ti pertencem Vermelho e Negro.

Porcelana cheia remendos este velho coração, colorido pelas cores de minha alma.

sueño con cada cosa

intuyo una secuencia
una maceta en la estepa
la forma dispuesta
no me das pie al desliz
silencio gélido
filo petrificado
lengua de gato
ninguna muchedumbre podrá desarmarme
no creo que nos extrañemos demasiado como para siquiera saludarnos

Hoje fez sol durante as primeiras horas do dia. Para mim foi tudo de uma delicada estranheza: as cores, o vento, tudo parecia brilhante, Mas os meus olhos, acostumados com a noite fria demoraram para abrir. Me esforcei para enxergar algo que valesse à pena, mas minhas mãos, em movimento de defesa, Cobriam os meus olhos, e o meu coração estava acelerado e desconcertado. Voltei para dentro do barco para tentar pegar as cartas molhadas de lágrimas para secá-las naquela luz tão cortante. Voltei, até com um pouco de sorriso no rosto quase petrificado, e joguei as cartas para cima. Nesse momento, uma nuvem cobriu o sol e os ventos pararam. Nenhuma carta caiu do barco nem secou ao sol do renascer… Mais uma vez eu estava na escuridão, rodeada de saudades tuas. Agora eu terminei de escrever essa poesia abri os meus olhos, e vi que você não está mais aqui. Mas os meus lábios ainda sentem os teus… E, eu me lembro da nossa última noite…

Quero dizer o quão “de saco cheio” estou de todos vocês, que cismam em dizer que o que importa mesmo é a tal da “beleza interior”. Sério mesmo que vocês continuam metendo esse mesmo caô? Porque, é óbvio que isso é pura mentira e apenas mais uma forma para os meninos, tão espertos e afins que usam essa tola espécie de “cantada” para enganar as meninas que buscam pelo seu príncipe encantado. Tolas. Até parece que eles se apaixonam pelo nosso pâncreas ao invés do nosso rosto. Não tem essa, as aparências importam sim, eles só não são o essencial, e é exatamente aí que nós erramos. Estamos todos tão ocupados tentando pagar de fofos e legais ou qualquer outra coisa que acabamos sendo hipócritas quando chega alguém e diz a verdade na nossa cara, uma verdade que sempre esteve ali, mas que nós nunca conseguimos aceitar, porque a verdade é bem difícil de ser vivida e encarada. Mas já a mentira é bem mais fácil de ser aceita, pois ela acaba sendo cômoda para todos. Seja na hora de dizer que o mais importante é “o que vem de dentro” ou então “prefiro coração do que bunda”, mas a primeira coisa que repara quando vai olhar para uma menina é a bunda, afinal ninguém tem visão raio x para ver o quão bonito o coração de tal pessoa é. Sabe-se também que existem algumas exceções, mas elas são poucas. Pouquíssimas, para falar a verdade. Você começa a perceber as mentiras da pessoa que diz não se importar com a aparência a partir do momento que ela só quer ficar com as pessoas mais bonitas que conseguir. Qual é, acorda, todo mundo se importa. Você também. Afinal, diz-se feia, mas quando um nerd -ou qualquer outro tipo de desprovido de beleza- pede você em namoro, você recusa. Você gosta dele, mas recusa. Está ai a tão famosa questão da beleza. Porque recusaste o “patinho feio”? Por que necessita tanto do “príncipe encantado”? Assuma, você se importa sim, sempre importou-se. Não és como o Shrek, nunca vai ser. Ele sim é homem, mesmo sendo feio pra caralho. Porque ele conquistou Fiona pelas características psicológicas, não pela merda da aparência. Então, para e pensa um pouco antes de dizer “não” ao pedido de namoro daquele carinha feio pra caramba, tá? Pensa nos motivos pelo qual você está dizendo isso. Do mesmo jeito que você não gostaria que fizessem isso contigo, não faça com os outros. Mesmo que ele seja feio pra caramba, pense se ele seria capaz de fazer-te sofrer. Porque o príncipe lindo, querida, não pensaria duas vezes em trocar-te por uma vadia qualquer mais bonita que você. Rapha ft Mônica (petrificados)