parceria

É estranho não é? Quando você se acostuma a falar com uma pessoa todos os dias e, de repente, isso acaba. E vocês não se falam mais. Não trocam palavra alguma, se tornam verdadeiros estranhos. É difícil pra você também? Digo, quando não tem mais aquele alguém que te fazia se sentir melhor com um simples sorriso. A minha mala está cheia de esperança em dias melhores, mas o trem da saudade continua parada diante dos meus olhos. Não sou bom em desatar nós, ainda mais o nosso nó, que me parecia assim tão meu quanto seu, e que agora só parece prender o meu coração. Justo eu que batia no peito e gritava pra quem quisesse ouvir “Dá minha vida cuido eu!”, me pego aqui sentado esperando você voltar e se amarrar em mim. A verdade é que as pessoas raramente percebem que contam mentiras com os lábios, e verdades com seus olhos o tempo todo.
—  Gabriela Santos e Ciceero M. 
De todas as galáxias meu bem, fiz de ti meu único lar. Só tu tens o universo inteiro no olhar, és filha das estrelas, das maiores e mais brilhantes galáxias. Me aconchego em tuas constelações, me apego cada dia mais à você e à tua luz. E assim como os astrônomos védicos, prevejo o futuro na conjunção dos astros que navegam na tua íris. No centro, o sentimento que rege a nossa existência, que injeta energia e nos garante a vida. Então deixe-me te olhar bem fundo, eu quero te mostrar que melhor lugar no mundo não há.
—  Felipe Bueno orbitando lado a lado com Elisa Bartlett.
Acordei sorrindo e me vieram todas as lembranças felizes que vivemos juntos, me lembrei de todas as madrugadas que eu chorava sentindo a sua falta. Talvez não éramos para dar certo, foi apenas uma boa experiência. E com o tempo eu percebo que sou feliz com outras pessoas… Parei de sofrer por quem nunca se importou com o que eu sentia. Melhor sorrir com quem me faz bem, do que chorar por alguém que se foi sem ao menos dizer adeus.
—  Laís Vieira e Gabriel Britto.
Muitos me julgam sem ao menos me conhecer e sem ao menos conhecer o que me tornou assim. Não enxergam o que me rodeia e como esse meio soma em uma parcela do produto que resultou em mim. Não são capazes de pensar, observar e por isso julgam, inferem e me ferem.
—  Calibrador e Textificar 
Será que você nota que eu só te olho, só te reparo, só te admiro? Será que você nota o quanto eu reparo no seu jeito, nas suas manias? Será que nota o quanto eu guardo na memória cada expressão sua de contentamento, irritação, tristeza ou alegria? Será que percebe como conheço seu humor por suas palavras e seu tom de voz? Eu poderia te descrever com riqueza de detalhes o quanto eu te conheço, poderia falar sobre tudo em você, afinal, ninguém te conhece tão bem quanto eu, sei disso.. Poderia passar o resto dos meus dias ao seu lado, elogiando o seu sorriso, ouvindo o som da sua risada, conversando sobre o que quisesse ou até mesmo sem dizer uma palavra sequer, pra mim basta sermos eu e você, não preciso de nada além disso, só preciso de uma vida inteira ao seu lado e do seu carinho. Será que você entende o quanto eu quero te fazer feliz?
—  Manuscrite & Aventurador.
Triste mesmo é quando você começa a recordar tudo o que viveu com uma pessoa e percebe que o que restou foram somente as lembranças. Lembranças que às vezes tiram o seu sono e que fazem o seu coração doer. Lembranças das quais você sequer esqueceu, não por não conseguir, mas por não querer deixar de lembrar. Triste mesmo é saber que a pessoa não sofre como você, não chora como você, não perde o sono como você. Que ela consegue dormir sem se importar, sem se questionar, sem se lamentar. Triste mesmo é você perceber que a pessoa seguiu em frente rápido demais, com uma facilidade tão grande que te faz imaginar se tudo não passou de um nada pra ela. Tristeza maior é quando você se tortura, se questiona, se lamenta, se pergunta onde foi que errou, o que foi que faltou ou porquê ela não se entregou. Tristeza é quando você percebe que essa pessoa pode ser feliz com outra, sorrir com outra, beijar outra e pior, amar outra. É triste saber que ela não precisa mais de você pra sorrir, pra se divertir ou só pra dizer que sentiu saudade. Triste é saber que você não consegue mais dar risada e nem aquela gargalhada, porque o motivo da sua alegria foi embora e está sendo feliz com outra, sendo o motivo de felicidade da outra, fazendo piadinhas com outra. Não está sendo fácil ter que sair por aí, colocar um sorriso no rosto e fingir que está tudo bem. Ter que ver fotos de casais por todas as redes sociais e lembrar do nosso vídeo que fizemos. Não, nunca foi fácil ficar longe de quem a gente ama, ainda mais quando a pessoa era o nosso porto seguro. Eu ainda lembro daquela noite na casa de praia, em que subimos no segundo andar e ficamos sentados no chão olhando a lua, entrelaçamos nossos dedos uns aos outros e dissemos que nada destruiria o nosso amor. E veja só, hoje não somos mais nada. Não passamos de conhecidos, se é que posso dizer isso. Você se foi, seu amor por mim se foi, mas você esqueceu de levar junto o que eu sinto por você. Não quero mais esse amor solitário reinando meu coração. Preciso parar de chorar todas as noites e começar a sorrir, embora já faça isso forçado.
—  Gabriela Santos e K. Shibahara.
É pra falar de amor? Eu vou falar de quê? De você? Sim, ou claro? Ta bom, parei… Vamos ser pacientes, precisamos de algumas cicatrizes, alguns hematomas, e umas pancadas para poder falar de amor. E olha só como você é sortuda, nisso eu sou craque. Coração partido é comigo mesmo, então parando de enrolar eu vou dizer o que é pra mim, o amor. Amor é existência e inexistência, nascimento e morte, não é algo que se acha, é algo que acontece dia a dia, amor é quando você conhece alguém e de repente se sente bem, se sente leve, sorri de tudo, não consegue ficar bravo com nada, porquê no seu coração, transborda amor. Amor, é o que te faz ficar, quando se tem todos os motivos pra ir. Amor é esquecer dos compromissos e lembrar que tem alguém te esperando pra um jantar às 07:00. Amor, é quando mesmo sujo e soado, alguém te abraça, mesmo depois de você advertir “Não, não me abraça, estou soado.” E a pessoa responde… “Que que tem, eu te amo de qualquer jeito!” Isso é amor. Essas palavras aliviam a alma, te fazem se sentir importante, e é isso mesmo que você é. Pois é nele que encontra a paz, que tira um suspiro de alívio por ter alguém do lado. Sabe o amor? Ele supera as diferenças, as incertezas, o ciúmes e as brigas. Amor, é quando você recebe um sms às 03:00 da madrugada com a seguinte mensagem: “Estou com saudades, vem pra cá?” E você vai, vai porquê também tá com saudades, e vai, porquê também ama. Isso é amor, coisas simples que fazem toda a diferença, como saber pedir licença, ou se desculpar após uma briga, pedir perdão e assumir que está errado. É xingar a pessoa de bobo e depois as duas sorrirem, se abraçarem, beijarem, empurrarem e se beijarem muito mais. Tem que ter carinho com um toque de safadeza, confiança e compreensão. Amor, é saber escutar e dar atenção quando precisar. É aquele beijo que você nunca esquece, o abraço que cura qualquer dor, um toque que te faz querer mais e mais. O amor nasce em nós, tem que ser cultivado e compartilhado. Mas sabe o amor, esse que tudo suporta, tudo espera? Ele também é dor, sim dor, dor forte lancinante que te deixa completamente desesperado, seja amor rejeitado, seja amor traído, seja amor não correspondido, basta ser amor, pra que doa. Amor é esse completo enigma, nunca se sabe se fará bem, ou mal, mas mesmo assim você arrisca porquê quer ser feliz. O verdadeiro amor é mágico, incrível e belíssimo. Muitas vezes sem sentido e louco, mas é amor. O que seria da nossa vida sem ele? Não tem nada melhor do que dormir com uma pessoa que você ama, depois de uma noite de abraços e beijos, gargalhadas e sorrisos. Pode doer um pouco, ou muito, quem sabe? machucar talvez, mas por ele vale a pena. Porquê amor, é amor, até deixar de ser.
—  Principar e Adesejar.
As frutas podres um dia já foram muito doces. Assim como as flores, que hoje embora estão lindas. Mas que sem cuidado um dia se tornaram, resto.
—  Motoshima & Recitante.
Você deve estar cansada de saber que eu faria tudo por nós. Quero, com sua ajuda, realizar tudo o que almejamos, quero poder saber que tenho a mulher mais linda do mundo me esperando em casa. Você veio pra adoçar minha vida, a transformando na história de amor mais linda que possa ser escrita por alguém; libertou o meu “eu” mais intenso me mostrando como o amor pode ser maravilhoso. Vejo um futuro lindo pra nós, principalmente porque é você que tenho ao meu lado.
—  Bruno Estevam e Rafaela Marques - O que seria do amor sem o famoso clichê?
Quer desistir? Desista, vá em frente. É uma escolha sua, e isso não quer dizer que você é fraco, não mesmo. Serão muitos os que irão apontar para ti, te chamar de fraco e te julgar por escolher isso. Mas ninguém além de você sabe o quão forte você é e continua sendo. Ninguém sabe o que você sente e muito menos o que você passa, e nem irão procurar entender. Você é humano, você chora, se magoa, se decepciona, tem medos, erra, quebra a cara e você não é de ferro, muito menos invencível. Ninguém saberá por quantas batalhas você teve que vencer para chegar até aqui. Ninguém nunca te estendeu a mão, nem uma vez se quer. Então, não ligue para opiniões baixas, ou gente que não aguenta ver ninguém tentando ser feliz. Vamos, você não é fraco, muito pelo contrário. Vai falta pouco, desistir, ou não, não te faz um perdedor, e sim um vencedor.
—  Effectum acompanhada de Expelidor.
Sonhar é o ato de poder fazer o que você quiser sem nenhuma restrição ou regra. Lá você pode tudo, ser gigante, tem superpoderes, e até mesmo voar. O único problema é que você não pode esquecer que paralelo ao sonho existe a realidade. E se no meio desse sonho você acordar?! O gigante que você era cairá, e quanto maior a pessoa, maior a queda; Os poderes que você tinha e os usava para o bem ou para o mal sumiram e você seria derrotado pelo seu inimigo da forma mais cruel possível; e sabe aquela sensação boa de estar flutuando? De ser livre? Então, ela se transformará em uma queda livre, direto para o chão, direto para o fim. E, por isso você precisa se lembrar da realidade, para se evitar que seu fim metafórico, se torne literal. Uma vida sem sonhos não é nada além de sobrevivência, uma obrigação inevitável que não pode ser deixada de lado. Pois, involuntariamente, suas células trabalham para produzir energia e te manter respirando, pensando, sentindo e até mesmo tentando sonhar. Já uma vida com sonhos, ela é infinita. Você pode ser quem quiser, como quiser e estar onde quiser, mesmo que por um período curto de tempo. Seu dever é lutar para tornar a realidade o mais próxima dos sonhos possível. Se você quiser voar, salte de para-quedas. Se quiser superpoderes, dê vida a arte. Se quiser ser gigante, lute pelos seus ideias e pelos seus sonhos. Pois, os sonhos não passam de espelhos da sua própria alma, refletindo sempre seus desejos, sua personalidade e até mesmo sua realidade.
—  Pise na realidade quando estiver sonhando […] Romeuemcrise e Azarao.
Você merece um punhado de coisas boas. Merece ter as flores de seu jardim sempre bem regadas e cuidadas. Merece ter a “companheira esperança” lado a lado contigo. E sem esquecer da “companheira fé”, também. Merece ter os seus dias mais coloridos e reluzentes. Merece acordar todas as manhãs e sentir o calor do sol que acabara de nascer aquecendo seu coração. Merece ter sempre um bocado de motivos para sorrir. Merece sentir que ama e é amado na mesma intensidade. Merece sonhar sem limites e realizar tudo de bom que o seu coração deseja. Merece, assim como qualquer outra pessoa, experimentar as diversas formas de ser feliz.
—  Laureane Antunes e Giovana Chavarria
Leio muitos textos sobre o mal que o amor faz a uma pessoa, mas o que não entendo é como uma coisa tão boa pode fazer mal. As pessoas esperam sempre uma reciprocidade quando dizem amar alguém, mas o que não entendem é que isto se baseia em atitudes. Como diz o Renato Russo, é preciso amar as pessoas como se não houvesse o amanhã. Mas amar no sentido de respeitar e tentar ajudar da melhor forma. Sei que às vezes quebramos a cara, como quebrei a minha diversas vezes ao amar alguém, mas de uns tempos pra cá, resolvi observar e tentar aprender com os erros e, percebi que a culpa de toda essa dor é de nós mesmos, que somos urgentes em todo tempo e não sabemos esperar por nada, queremos um amor pra vida em cada pessoa que nos dá um pouco de atenção e quando essa atenção acaba, sofremos até achar outra pessoa, somos desesperados, temos pânico em esperar e cobramos demais por causa disso. E, o amor não é assim, ele é calmo e paciente e tem seu próprio tempo, seu próprio jeito, e nós por nossa vez, somos tão apressados que atropelamos qualquer sentimento e superlativamos nossa dor que muitas vezes é completamente desnecessária. Do amor só conheço a dor que eu mesmo provoquei por minha urgência, mas se aprendermos esperar só um pouquinho talvez conheçamos o amor em sua mais pura essência.
—  Bruno Estevam e Thiago Polycarpo sobre o amor.
É muito bacana quando decidimos ficar em um lugar simplesmente porque a companhia é boa, mesmo tendo todos os motivos pra voar. É bacana quando se é fiel simplesmente por não sentir necessidade de mais ninguém. Não acho que tenha de haver um combinado ou uma proibição pra isso, no final das contas, cobrar fidelidade é como tentar segurar areia com as mãos. Fidelidade é uma coisa que se recebe, não uma coisa que se obrigue, ou se implore, tem de partir de vir de dentro, não de fora, é algo mais adentro de nossa alma, é literário, é solido e ao mesmo tempo instável, um pássaro pode ficar horas em uma árvore que ele goste, e é assim que funciona conosco também, eu não vou a lugar algum pelo simples fato de todos meus motivos de ficar estarem depositados em uma única pessoa.
—  Nattan Duran & Fabricio Bernardo
Então sozinha fui caminhando até a praia sentei na beirada e com as ondas batendo nas minhas pernas , olhei o céu e lá estava ela linda brilhante e onipotente lua me lembrando você, realmente como se parecem, o olhar para ela me lembrou cada momento que passamos juntos, e as lágrimas apenas foram rolando pelo meu rosto bem devagar uma a uma, se misturando ao mar, dizem que as lagrimas são salgadas, na verdade eu não sei pois a lá também havia água do mar. Amar. O amar é tão difícil, o a mar é tão difícil que eu preferia rio, mas não tinha opção, chorar era a solução. Em prantos largada no chão, fiquei até que uma sombra avistei, eu estava de olhos fechados, mas mesmo assim, tudo escureceu, não sou maluca, a sobre era da lua do poste que refletia na orla da praia. Era um menininho, seu nome era Surigam, e sua idade não condizia com seu pensar. Ele ao me vez disse - Eu senhora pare de chorar, você não é Iemanjá, então água não tem que repor no mar. - Sabe? ele tinha tanta convicção que eu ri daquela situação, ele ali tão pequeno e me dando ordem, uma mulher de seus 20 e poucos anos, chorando por amor em uma beira de praia, toda molhada e descabelada. Ele do meu lado se sentou! e então perguntou - Ei! Moça! O que houve? - Eu não sabia muito bem o que dizer, apenas sussurrei - Você não entenderia! - Ele deu uma risadinha - Senhora é por amor né? E a lua te faz lembrar seja lá quem for, que te faz sofrer! É ela sempre faz isso, mas não é sem querer moça, a perdoe por favor? - E com muito amor àquela bola gigante e brilhante no céu, o garoto pediu, para que eu a perdoasse. Sabe? Eu fiquei impressionada, não pelo fato dele pedir perdão pela lua, mas dizer que eu sofria por amor, e que a lua me fazia lembrar, como um garoto com apenas sei lá, uns 7 anos poderia dizer isso - Menino quantos anos você tem? - (O menino riu) - Eu tenho 8 anos senhora, mas já sei que sou muito pequeno para falar de amor, ou outra coisa parecida, que sua história é sofrida, e que mesmo que eu fale de amor, não iria entender, e sei também que vai ficar impressionada após eu falar isso, e fará um monte de perguntas! Sabe como sei disso tudo ? É que a senhora não é a primeira que vem aqui! - Eu simplesmente me estagnei, parei e para realçar só se ouvia o barulho do meu soluçar, tudo estava em silêncio naquela hora, eu não entendia nada, até de chorar parei. - Menino… deixa eu já sei! - Ele retrucou-me - O que sabes senhora ? - Eu não sabia o que dizer, na verdade nem triste mas estava, eu só queria conversar - Sei que quer conversar comigo - Sabe senhora eu só queria lhe falar, que em uma das histórias que a lua se pôs me contar, ela disse a seguinte frase: “Ele era sol e eu lua. trilhamos caminhos diferentes unidos por um amor impossível, amor que emocionou até Deus, que com compaixão a nós, nos permitiu um breve encontro. Ele era dia e eu noite, e juntos eramos por do sol.” Então senhora, não seja mais um reflexo da lua solitária no mal, faça por merecer, e seja mas um dos belos por dos sóis de verão que os casais tanto gostam de ver.
—  Seja um por do sol {…} O menino que Observava a Lua & Florejus.
O resto de poema permanece intocado dentro de uma caixa de vidro no criado mudo. Eu fico mudo. Mudo. Muda mundo. Estou mudo e a surdez é minha amiga fiel, intragável ás vezes, mas fiel, sempre pronta para me dignificar, purificar, retificar. O silêncio ensina sobre a vida. Há silêncio em todas as vidas. Há silêncio agora. Escutem. Tic. Tac. Cliq. Clock. A hora está passando e eu preciso encontrar um sujeito no trem que vai passar fazendo com que as onomatopeias se encerrem sobre o meu papel. Há poesia nos silêncios e nas interjeições onomatopédicas também. Uma Maria fumaça, uma paisagem verde, uma grama curtinha ao som de uma estação de rádio ou com os fones tampando os ouvidos. É a velha surdez, a minha mudez, o meu silêncio. Os trens passam, eu ainda estou na estação. Quero pegar a rota, andar na cabine do maquinista, puxar os cordões, me sentir dono de si, dono do trem, do expresso que parece passar sobre o metal, fazer sons, ensinar a respirar. As paragens me ensinam a exprimir meus pensamentos pelo oxigênio que insisto em absorver pelos lábios e pelo nariz, admito, avantajado. Há poesia nos cheiros. Há, sempre há um resto de poeta dentro de vagões vagantes de trens passantes. Eles esperam para serem eternizados em alguma anotação de uma andarilho. Os poetas nômades não ficaram esquecidos junto com os menestréis. Apesar da aparência quase mesclada aos cenários das cabines e estações, carregam em suas bagagens tudo que lhes é passageiro, tendo em vista sua absoluta e extraordinária condição de ir. Recolhem e encerram nos ruídos dos olhos quietos, das mãos que tanto esperam, todos os versos que podem existir na imprecisão das horas que se desaceleram, no chacoalhar dos vagões, sob um céu azul lindíssimo que rasga as montanhas feito papel. E a poesia se declara, se vangloria, ela está em todas as frestas, no mesmo angulo obtuso da donzela ao inclinar a cabeça e observar atenta a postura frágil do poeta. A hora é esta. No tilintar dos vidros, o silêncio do peito grita me acordando de um sono profundo interno, só meu, ao ouvir o apito desesperançoso da chegada. E lá estou eu novamente na plataforma à espera do inusitado, chocado, com os tímpanos escancarados, pronto pra preencher a minha mudez lacônica que tanto me apraz. E dos pequenos degraus surge o sujeito que estava à espera, e finalmente a palavra se revela. Um passarinho voa do fio, a corrida da garota pros braços da mãe, o choro da saudade, o movimento da solidão e do nada um cenário desentrelaça no papel a poesia viva da vida. Na minha total absurdez arranco o poema da caixa de vidro que transparece cheio de som.
—  Theu Souza e Elisa Bartlett.
Tudo termina, no meio de uma frase, de uma dança, no meio de um suspiro, tudo acaba, no meio de um sono, ou de uma dor. Nada é eterno, tudo é esquecimento, não importa o que você faz ou deixa de fazer, no final, ninguém vai se lembrar disso, não importa o quanto você queira ser inesquecível, o final é o esquecimento, você vai ser esquecido como todos os outros antes de você, como todos os outros depois de você, você vai ser esquecido como aquele seu primeiro brinquedo, o seu esquecimento vai ser inevitável, tudo acaba, o namoro, as amizades, a vida, tudo acaba, o momento triste, e o momento feliz. Por mais que possamos nos magoar em saber que tudo pode acabar assim, temos de viver o máximo, aproveitar cada dia, mês, ano, temos de aproveitar cada momento, tudo no fim pode ser esquecido, mas por menos não vivemos uma vida vazia, sem memorias, se felicidades, tristezas. Não deixe que o esquecimento te impeça de viver, mas também faça as coisas ciente de que no final, ninguém se lembrará disso. Faça as coisas por amor, por força de vontade, por felicidade. Tudo acaba, o relógio uma hora para, o disco um dia arranha, e o aparelho do hospital para de apontar que um dia, uma pessoa vive. Viva, mas não deixe que o medo te impeça de fazer nada, não deixe o medo ser o dono da suas escolhas, da sua vontade. Mas lembre-se; o mundo não termina com um estrondo, e sim com um sussurro.
—  palavrizou acompanhada por revenciador. 
É óbvio que eu vou sentir falta daquelas conversas bobas e sem nexo que me arrancavam tantos sorrisos, mas que só eram importantes e me faziam bem pelo simples fato de serem contigo. Eu queria poder retroceder, voltar no tempo e reviver cada um dos nossos momentos. Tocar seus lábios com os meus outra vez, sentir o calor da sua mão sobre a minha, relembrar as inúmeras sensações que eu sentia quando você apertava o seu corpo contra o meu. Dói saber que tudo se perdeu e que voltamos a ser “você e eu”, e não o “nós” que tanto nos fez feliz. Eu olho pro nosso passado e tudo o que eu vejo são resquícios de promessas não cumpridas, fragmentos de um amor que não teve tempo suficiente pra florescer. Eu não queria ter que ir em frente sozinha, não queria ter que seguir sem ti, porque na verdade era você o meu guia e agora que não está mais aqui comigo, eu estou perdida. Não sei o que fazer ou pra onde ir. Eu sei que sempre existiu aquele medo de não darmos certo e por isso você partiu, mas nesse momento, só queria que estivesse aqui.
—  Convalescida e Gerberiar.
O sorriso dela já havia perdido o brilho, moço. Tudo que ela mais queria era alguém para mostrar a luz lá no fundo, se é que havia alguma luz, porque até nisso ela já começara a desacreditar. Sabe moço, o pior de tudo é olhar para os lados, tentar encontrar uma saída e não conseguir. Viver é complicado e difícil, ainda mais quando não se sabe ao certo qual caminho se deve seguir.
—  Enflorarei acompanhada de Expurgar.