nats

Como dizer que é a pessoa mais fofa que já conheci? Eu te amo sem querer. Pode perceber? Amo a ideia de você e eu. Não nós. Só você e eu contra o mundo. Sem olhares julgadores, sem intromissões, sem pais ou más línguas. Seria tão bom te ter por perto. Abraçado comigo, em festas, bares e até na minha cama. Seria bom amar sem ser as escondidas, em dia ensolarado ou dia de chuva. Amar bonito, tipo esses de novela. Você pode ainda não ter percebido, mas escrevo este texto só pra você ler e sentir. Ao decorrer, devo transbordar de amores aqui. Amo não desde o primeiro dia que o vi, estaria mentindo se dissesse que sim. Comecei a estudar você, todos os teus detalhes e manias. Hoje te admiro e depois de te admirar, te amo. Sem querer. Porque me vi perdida em você quando percebi que as coisas em minha volta só fazia sentindo se tivesse um pouco de ti, mesmo que só na amizade, ou sei lá. Confesso que já ensaiei falas na frente do espelho pra quando te encontrar nunca faltar assunto. Já imaginei cenas também, daquelas de quando não tivesse mais palavras a serem ditas, aí você tipo que me beija. E sei lá, imaginei o beijo perfeito. Eu nunca tinha gostado de ninguém e aí você apareceu, tão meigo, mas cheio de defeitos, eu pesquisei cada um pra poder me encaixar neles. Eu só queria que você fosse encaixado em mim. Tudo que eu imagino tem uma pitada de ti, meus sonhos, meus desafios, só tem graça se você estiver incluso. Eu só queria saber se você também me ama, por que essa pergunta me mata a cada dia. Eu te quero perto, juntinho, colado em mim. Eu te juro que posso ser seu feixe, que consigo ser sua felicidade, quero te ver, quero te tocar, quero poder ser sua. Se você me dissesse agora que iria comigo até o fim do mundo, fique sabendo que minhas malas já estariam prontas, por que por você vale a pena sonhar, você é o cara que vale a pena amar. Por você, vale apena isso tudo, parece absurdo mas sim vale. Conheço cada gesto seu, cada detalhe, cada mania. Mesmo sem você perceber, você me faz bem só pelo fato de existir, só você me faz sorrir, quantas vezes durmo com vontade de te abraçar, de sentir aquele teu cheiro. Eu só queria saber se você sente o mesmo por mim, se tiver disposto a viver em um mundo só nosso em que só haja você e eu. É engraçado parece que vivo num conto de fadas, mas isso é o que eu sinto é o que eu preciso e de quem eu preciso é você, você se tornou a pessoa mais importante pra mim, se tornou o motivo do meu riso a cura para o meu choro sinto falta quando você não está perto. Que seja você o amor que tanto procuro, meu porto-seguro, o meu presente o meu futuro.
—  Escrito por Renata, Amanda, Natasha e Jasmyne em Julieta-s.
Eu não quero ser, Zé, um precipício que vai aguardar algumas mágoas se jogarem, eu quero que elas morram por si próprias, mas que eu tenha o esforço de tentar retirá-las de perto de mim. Eu jamais fui uma boa ventania e você sabe disso, mas eu doaria todos os meus bons fluidos à você. Zé, você é o meu lar, e ha tempos desejo lhe falar isto. Eu quero gritar com você, eu quero enfrentar meus medos com você, quero uma casa, filhos, felicidade, mas sem você, isso não estaria completo. Se eu te falar que não sinto nada por ele, eu estaria mentindo, estaria calculando algo que daria um resultado ilegal, mas você sabe que o único a quem eu amei em minha vida, foi você… é você. Eu não serei boa nunca em demonstrar que estou arrependida, que preciso de ti, que o amo, mas… eu sinto, e eu sinto coisas fortes apertando meu peito, pedindo socorro, pedindo acalanto, colo, me sufocando, pedindo você. Portanto, não me crucifique, não me magoe mais do que estou magoada, por que eu não tenho estrutura existencial para perdê-lo mais uma vez. Eu não quero ter mais medo Zé, por favor, me dá a tua mão? Deixa eu me abrigar em seu abraço, me leva pro seu mundo e faz de você minha morada. Deixa o passado ficar lá atrás, deixa minha vida se encontrar com a sua e assim vamos viver “felizes para sempre”, Zé. Deixa eu e você, virar nós. Faça de mim a mulher mais feliz do mundo com você do meu lado. Eu virei um desastre sem você, sabe ele me faz feliz, mas não me completa. Ela não me faz sentir as borboletas. Sabe, como você tudo era calmaria, era tudo incrível. Era amor, é amor. Não posso deixar você ir de novo, Zé. Estou apaixonada por você, desde sempre. Seus defeitos fazem de mim uma pessoa melhor, fazem de você perfeito pra minha complicação. Fazem de você único. O único que consegue me fazer sentir um rebuliço de emoções com as quais eu não sei lidar muito bem. E eu sei que te perder seria minha ruína, meu caos. Admito que grande parte da culpa por tudo isso estar acontecendo é minha. Minha insegurança e toda essa complicação ambulante que me persegue por aí quase me fizeram arruinar tudo. Quase me fizeram perder você pra sempre. Mas eu acordei a tempo, Zé. E como acontece com quem cai num sono, lenta e gradativamente eu percebi que não podia perder você. Porque perder você seria o mesmo que perder a mim mesma. Porque eu te amo, Zé. E esse amor é mais forte do que eu pensava. É maior do que o meio peito, e transborda em minha face, em meus olhos, em meus sorrisos. Por isso que eu te peço perdão por em um milésimo de segundo ter achado que poderia te substituir. Que outros braços me traria o conforto e a paz que o teu abraço me traz. Porque quer saber Zé? É você. Sempre foi. E eu não sei onde estava com a cabeça quando disse que não era.
—   Escrito por Natasha, Mayara e Laís em Julieta-s

could you imagine if frat guys watched gymnastics like they do football 

"FUCK YEAH BRO KYLA HIT BARS IM GONNA TAKE 6 SHOTS" 

"BRO DID YOU SEE SIMONE’S VAULT. HOLY SHIT SHOTGUN A BEER WITH ME" 

"BRUH DID YOU JUST SMASH A TABLE BECAUSE ALYSSA HIT BEAM . FUCK YEAH BRO BREAK THE CHAIRS TOO" 

"BRO SMASH A FUCKING BOTTLE ON MY HEAD MYKAYLA HIT HER VAULT" 

Eu só queria entender o pra quê de tanto ciúmes sendo que acabou, que demos um ponto final e eu já não sou mais o que era antes na sua concepção. Que vontade maluca de arrancar esse ciúmes de vez do meu peito, para eu viver em paz e te deixar em paz. Aliás, eu não tenho direito nenhum de sentir isso ou qualquer autoridade pra lhe cobrar algo, mas dói! Tudo acabou e você não tem mais motivos para cobrar algo de mim, pois não lhe pertenço mais. Não podemos pensar que, depois de tudo, as coisas possam voltar atrás, porque eu não vou estacionar no tempo, eu não vou estacionar minha vida na tua esquina, pois ela tem que seguir de mãos dadas comigo e não correndo atrás de você. Chega de cobranças erradas, acabou. E é tudo que eu tenho pra te dizer, não há nossa música, não há nosso filme e não há nossa poesia, não somos mais ”nós”, nos perdemos e parece que nossos caminhos insistem em se desencontrar. Eu costumava acreditar que nossas esquinas se cruzavam, que todas as vezes que nos encontrávamos era por acaso, era porque o universo ou mesmo uma força maior queria que nos encontrássemos, mas eu percebi que a gente só se esbarrava porque eu insistia em te procurar, eu insistia em ir a todos os lugares que você ia porque sabia que você ia estar lá e eu sabia que te encontrar era o que eu mais precisava, mesmo que fosse só pra te ver, só pra falar um oi de longe, eu precisava disso. Mas acabou, parei de ir aos lugares que você vai, parei de juntar nossas esquinas, parei de esbarrar com você, parei de viver pra você. Acho que o grande problema foi meu excesso. De amor, de carinho, de paciência, de vida! Foi coisa demais pra quem não merecia nada. Precisei te perder pra seguir em frente, para enfim respirar e olhar para trás, para frente, e olhar para dentro. Comecei a agradecer todos os dias. Nunca fui muito religiosa, mas acredito que existe algo por trás da nossa existência, algo que não conseguimos entender. Ainda. Então, queria lhe agradecer por cada lágrima, sorriso e decepções, que me tornaram quem eu sou. Tenho certeza de que sem aquelas noites em claro e os milhares de textos em vão, eu não teria entendido isso tão cedo. Éramos aquele tipo de casal que brigava em toda festa, mas depois de alguns copos quebrados e alguma gritaria se desculpa e termina a noite sozinho, abraçado e dizendo milhões de besteiras no ouvido. Disso, ninguém sabia. E nem precisava. Mas você resolveu quebrar nossas promessas. Desfez do meu amor. Você me conhece, não sou de desistir fácil. Liguei, gritei. Perdi dois amores naquela semana. O próprio e você. Eu precisava de você. Guardei todo aquele amor e transformei-o em força. Me diverti como nunca havia feito antes, e quer saber? Foi divertido não ter que me preocupar com você. E eu estou bem. Não como antes, e talvez nem como amanhã. Tenho recaídas, ainda dói quando me perguntam algo sobre você, sobre nós. Mas eu sei isso é inevitável, a dor de amor que mais dura é aquela que nunca existiu. Agora eu estou aprendendo a voar sem as asas que você me tirou.
—  Escrito por Bárbara, Natasha, Isabelle e Thayara em Julieta-s.