lillith&lola

Discipline allows magic. To be a writer is to be the very best of assassins. You do not sit down and write every day to force the Muse to show up. You get into the habit of writing every day so that when she shows up, you have the maximum chance of catching her, bashing her on the head, and squeezing every last drop out of that bitch.
—  Lillith St. Crow

TIL DEATH DO US PART || A CARMILLA FANFIC

Carmilla comes back to town for Will’s stag night. Things turn out a little different than she was expecting.

Without hesitation he slapped the girl with a mighty force. Neither of them knew he had it in him, Carmilla was almost taken off her feet but gravity was in her favour and she was able to recover.
“She told me everything.” Will spat the words out.

Read More on Ao3

Over Time Love

What will become of us when this beauty fades?
When our skins are no longer smooth,
ironed out,
but wrinkled into an unfixing.
Will we still love like young souls?
Will time tell on the way we hold hands?
Will my smile still bring warmness to you?
Will your laugh still be as infectious?,
still remind me of summer afternoons,
morning coffee,
and all things December?
What is time to love?
How do we know if it will be the falling in
or the falling out of it?

Every lover’s fear is about someday becoming a memory. 
Memories are sometimes forgotten.
Sometimes they turn into flash backs
Sometime flash backs turn into nothing.
Will we someday forget our conversations, or
remember them and wish we never had those conversations?
What will become of us when time slowly fades and
uncovers what is beneath the surface?

The first time we met, the universe marked the date
as the start of something new, it was not specific as to what,
but we can only assume it was referring to love.
And your eyes make the butterflies in the walls of
my stomach blush like a new bride,
but your soul is what keeps them alive when they are almost dying.
I was always praying for the earth to be a better place,
unaware that you would be a product of that seed.
We are trees; each experience is an extended branch.
I guess God has always loved using metaphors.

Growth is not the measure of the height of a tree
but the extension of its branches.
This is learning, this is patience, this is planting, this is growing,
As we watch each other age over time,
I will play back your young days to you like a movie,
we will watch it, pause at certain times and laugh
and reminisce
and laugh
in that order.
I do not fear the fading of our youthful beauty,
over time our hands will learn to hold on.
It was our souls we fell in love with,
remember?

Capítulo 2 - Race

-Vai se foder.-André disse a Aidan.

-Sò esta nervoso por que perdeu o carro no racha.-Aidan disse eu ri.

-Parem de brigar moças.-Falei.-Perdeu o racha foi?-Perguntei para André e ele assentiu.-Quem levou seu carro?-perguntei.

-Quem mais levaria?-Aidan perguntou como se fosse obvio.

-Peter Lewis.-Andrè falou emburrado.

-Você nem deveria ter  apostado com ele,ele sempre trapaceia.-Falei.

-E por que a rainha das corridas não pega o carro de volta?-Aidan perguntou.

-Quem sabe.-Falei pensativa.-O que temos para hoje?-Sentei-me no meio dos dois.

-Temos que conferir um carregamento.-Aidan disse.

-Matt não ia fazer isso?-perguntei.

-Matt tá sempre na parte “nerd” não tem tempo para isso,não sei por que você ainda insiste nisso.-André disse.

-Okay,é ao meio dia,certo?-Perguntei e eles assentiram.-O que mais?-perguntei.

-Nada.-Aidan falou.

                                 (***)

                        P.O.V’s David On

-Onde você vai?-Milly perguntou se espreguiçando na cama.

-Vou resolver umas coisas que meu pai pediu.-Falei.

-Mas nós não iamos aproveitar o primeiro dia em L.A?-Ela perguntou.

-Me desculpe,eu realmente tenho que fazer.-Falei.

-Quando você volta?-ela perguntou.

-O mais rapido possivel.-Falei e em seguida sai do quarto.

Meu pai gostou tanto da minha vinda que já deixou coisas para eu resolver,eu nem vi ele ainda,Antony Black consegue ser muito insensível quando quer,porém agora estou em seu territorio me preparando para assumir o que é meu.

-Pietro me leve a kcalb,por favor.-Pedi ao motorista.

Kcalb é uma das boates do meu pai,ela é a que mais dá dinheiro, “kcalb” é Black ao contrario,muita nóia para um só nome eu sei,Pietro estacionou o carro e logo eu sai,seu eu soubesse onde ela ficava eu teria vindo sozinho,mas enfim.

Assim que adentrei a boate vi varias mulheres semi-nuas,em outros tempos eu diria que elas estão aqui contra a propria vontade,mas meu pai não as obriga a nada,subi uma escada e cheguei em um escritorio,entrei sem bater na porta,assim que adentrei o mesmo notei que havia uma mulher ali,ela era morena,muito gostosa.

-Uh,quem é você?-ela perguntou.

-Eu sou David,David Black.-Sorri para ela.

-Ah sim,o que esta fazendo aqui?-perguntou e eu me aproximei.

-Meu pai me mandou aqui para pegar algo com,uma tal de Anne.-Falei.

-Eu sou a tal de Anne.-Ela me empurrou.

-Olha que sorte.-Falei com um sorriso sacana.

-Só isso?-ela me entregou um pacote.

-Aham. O que tem aqui?-perguntei balançando o pacote.

-Não sei.-Ela disse.

Sai de lá e quando caminhava para sair da boate uma garota me parou.

-Você é filho do senhor Black?-Ela perguntou e eu assenti por educação.

-Por que?-perguntei.

-È que ele não gosta que sequem a sua “garota.”-Ela disse.

-Ah.-Falei.

Ela saiu de perto de mim e eu continuei a andar.

Pietro acelerou assim que eu me sentei.

Meu pai esta comendo bem.

                                      (***)

-Meu pai está acordado?-Perguntei a Lourdes governanta da casa.

-Ele esta no escritorio.-Ela respondeu e eu assenti.

-Trouxe o que eu pedi?- Meu querido pai perguntou quando adentrei seu escritorio.

Joguei o pacote nele.

-Ta ai.-Falei.

-Cristo. Sua mãe não te deu educação não?-ele perguntou.

-Deu,mas só uso quando acho necessario.-Respondi seco.

Ele abriu o pacote,e revelou uma agenda,pelo menos é o que eu acho que é.

-Você me mandou pegar isso?-perguntei sem acreditar.

-Sim,agora saia do meu escritorio.-ele falou.

-Não precisa pedir duas vezes.-disse saindo e bati as porta.

Só ele para me fazer sair daqui a toa,pelo menos voltei rapido e poderei passear com Milly.

-Voltei.-Falei fechando a porta do quarto,mas percebi que Milly não estava ali.

Desci rapidamente as escadas,e adentrei a cozinha,acabei achando Lourdes.

-Lourdes você viu a Milly?-perguntei.

-A menina tomou café e saiu.-Ela respondeu.

-Não sabe para onde ela foi?-perguntei e ela negou.

Sai da cozinha e me joguei no sofá da sala,bufei frustado,não tinha nada para eu fazer estava em um lugar sem conhecer ninguem,literalmente,tem meus amigos de infancia,mas perdi contato com eles,resolvi ligar para a casa de Joe,ele disse que chegaria de viagem ontem também.

-Onde você esta seu desgraçado?-Joe perguntou.

-Na casa do meu pai,onde mais?-perguntei.

-Ah é. Desculpa.-Ele disse.

-E você?-perguntei.

-Na minha casa ué,Lola e Brian estão aqui.-Ele disse e eu quase pulei do sofá.

-O que eles estão fazendo na tua casa?-perguntei.

-Ele vão ficar aqui,parece que a mansão ta e reforma,ou algo do tipo.-Ele disse.

-Ah sim.-Falei.

-Brian ta perguntando se você vai sair a noite.-Joe falou.

-Vou não.-Falei.

-Então vamos curti a night,um amigo do Brian convidou ele para um racha.-Joe falou rapidamente.

-Então fechou,e eu vou para a tua casa agora.-Não esperei ele responder,desliguei e subi as escadas rapidamente,adentrei o quarto peguei uma roupa e sai.

                                                           (***)

                      P.O.V’s Cloe On

-Você veio de moto.-Reclamou Aiden.

-Logico,vou pegar o carro de alguem.-Falei olhando ao redor,mas só vi garotas dançando.

-Oi.-Matt me abraçou.- Que roupa curta é essa?-Ele perguntou.

-A minha roupa ué.-Falei.

-Você precisa de um casaco.-Ele falou tirando o casaco.

-Não,Matt sossega,eu tenho que correr hoje e preciso de um carro.-Falei.

-Usa o meu ué.-Ele disse.

-Um carro potente.-Falei sorrindo.

-Magoei.-Ele falou.-Mas serio coloca o casaco amor.-Ele pediu.

-Amor?-André gargalhou.-Gente que coisa mais ridicula.- André falou e Matt lhe mostrou o dedo.

-Eu já disse que eu preciso de um carro.-Falei entre dentes.

-Pois é você precisa de um carro,não de ficar semi-nua.-Ele disse com um sorriso angelical.

-Por isso que eu preciso dessa roupa seu tapado,eu quero o carro do John.-Falei sorrindo para mim mesma.

Matt bufou.

-Mas por que com essa roupa?-Ele perguntou.

-Quer uma menor? Olha só,eu nem estou tão vulgar é só a minha barriga que esta a mostra.-Resmunguei.-E fim de papo,vou procurar o John.-Falei saindo de perto deles.

Eu estava com uma blusa preta que fazia um ” V ” na barriga,uma calça jeans preta e uma bota que ficava um pouco acima do tornozelo. Finalmente encontrei o John.

-John me empresta seu carro?-perguntei sorridente.

-Vai amassar? Vai roubar? -Ele perguntou.

-Não e não.-Falei.

-Então toma.-Ele jogou as chaves do carro e eu sai saltitante. Foi  mais facil do que eu pensei.

-Ganhou um doce?-André perguntou e eu neguei.

-Ganhei coisa melhor.-Balancei as chaves.

-De quem é?-Ele perguntou.

-John.-Respondi e ele murmurou um “Ah”.

-Cloe já disse o quanto você esta parecendo uma adolescente com essas botas?-Era Peter.

-Não e mesmo que tivesse dito,eu vim para correr,não para dançar.-Falei com um sorriso debochado.

-Vai correr contra quem?-Ele perguntou.

-Contra você.-Apontei para ele.-Quero o carro do André de volta.

-Se você ganhar claro.-Ele completou.

-Mas é logico que eu vou ganhar.-Falei.

-Não se eu não quiser correr.-Ele zombou.

-Ah qual é Peter coloca alguém para correr por você então.-André pediu esperançoso.

-Vou ver isso.-Ele disse e em seguida saiu.

Estavamos conversando quando John subiu em um carro e anunciou a corrida,Peter ia botar alguém para correr contra mim,finalmente ele fez algo que preste.

-A nossa rainha contra um convidado especial de Peter.-John falou.

John era o dono de tudo ali. Peter estava sorridente ao meu lado.

-Quem é seu convidado?-perguntei.

-Não sei o nome dele,ele chegou de viagem ontem.-Ele deu de ombros.

Jesus ele vai deixar um desconhecido entrar no carro dele.

Ocupei meu lugar no banco do motorista e subi os vidros,mas deixei um pouco baixo para que eu pudesse ouvir John.

-Boa sorte a todos.-Ouvi John falar.-Acho que a regra é bem clara,quem chegar aqui primeiro,leva o carro do outro.-Ele disse.

O meu adversario estava ao meu lado,mas não conseguia ve-lo,os vidros eram pretos então não facilitava muito a minha vida,agradeci mentalmente por os vidros do carro de  John serem pretos também. A garota ao lado de John fazia gestos com os dedos para nos dizer quando dariamos partida,eu estava quase vendo sua bunda isso era certeza,aquele short não cobria nada.

Quando eu vi que era a hora,acelerei o carro,deixei meu adversario na poeira,coitado,deveria estar prestando atenção na bunda da garota.

Virei a primeira curva,e logo o cara estava correndo ao meu lado. Ele estava na minha frente quando passamos da segunda curva,a adrenalina estava solta em minhas veias,quanto mais ele corria mais eu queria correr,deixei ele numa distancia bem agradavel para que ele pensasse que estava ganhando,outra curva e finalmente avistei a linha de chegada,tenho certeza que o garoto já comemorava,ativei o nitro e ultrapassei o carro do convidado de Peter.

Sai pulando do carro,Peter me encarava perplexo,a minha vontade era de esfregar a minha vitoria na sua cara,mas me contive.

-As chaves.-Controlei a minha felicidade e ele jogou as chaves.-Eu disse que ia ganhar,ainda mais de alguém que não é da casa.-zombei.-Mas seu convidado corre bem.-Falei batendo no peito de Peter.

-Cloe?-ouvi uma voz familiar ao meu lado e em seguida me virei,enxerguei uma ruiva com um vestido preto e gladiadoras nos pés.

Encarei a mesma por um tempo tentando reconhece-la até que.

-Lola.-Eu quase gritei.

Merda,merda,merda o que ela esta fazendo aqui? Jesus,eu estava em choque,ela correu e me abraçou.

-Quanto tempo.-Ela me abraçou forte e eu quase chorei.

-Pois é.-Eu estava sem palavras.

-Brian.-Lola gritou.

Porra.Brian estava aqui? Era hoje que eu iria ouvir poucas e boas.

-O que Lola?-Brian se afastou de uns caras.-Cloe?

-Brian.-Eu estava a ponto de chorar.

Lola me soltou e eu o abracei,como eu estava com saudades deste louco possessivo.

-Por que ninguém me avisou que vocês estavam vindo?-perguntei mas fomos interrompido.

-Cloe.-Era André.

-O que?-Me virei sorrindo.

Engoli em seco quando vi quem estava ao seu lado,era David,eu estava em choque,e ele também.

-Cloe.-Sua voz quase não saia.

-David.-Eu estava quase chorando,por que?

Minha boca secou e nos apenas nos olhavamos como se tivessemos quatro cabeças. Ele estava lindo,um homem lindo,seus olhos não saiam dos meus,eu queria dar uma de adolescente e sair correndo em direção a minha moto e sumir dali,mas ela estava muito longe dali.

Merda eu já deveria esperar por isso quando vi Lola.

-Caralho,Cloe?-Cortei nosso olhar quando ouvi a voz de alguem.

-Joe seu porra louca que saudade.-Gritei correndo em sua direção.

youtube

EMPIRE | Lola from “Sins of the Father”