Você. Palavra tão pequena e mexe com todo o meu psicológico, dá pra acreditar? Você tem um poder imenso sobre mim, mas eu não digo isso sempre, pois só quero que dê valor. Eu sei que às vezes pareço fria, chata e essas coisas que você sempre diz. Mas é só pra você ter um medinho de me perder. Ok, ok, sei que não é legal, mas não quero que sinta que estou em sua mão, mesmo que essa seja a realidade. Quero ser aquela que você acorda e diz: “Meu Deus, ela é minha!” Quero que seus olhos brilhem ao me ver, que seu sorriso seja radiante pela minha presença. Quero que você tenha o mesmo medo de me perder que eu tenho de perder você. Quero ser o motivo do seu choro, do seu sorriso, de você acordar todas as manhãs e enfrentar tudo lá fora, sabendo que no final do dia você irá me ter. No final de todos os dias, porque eu quero ser sua pra sempre. Acima de tudo, eu quero que você me queira. Você me diz coisas maravilhosas, faz eu me sentir única, mas eu ainda sinto dúvidas das suas palavras. Deve ser ingratidão da minha parte, mas eu tenho a necessidade de comprovar tudo que você me fala. Eu preciso perceber que sou a dona do teu sorriso, do teu amor e que nenhuma outra te teve nas mãos como eu tenho. Eu não quero que seja propriedade minha, mas quero ser a sua. Quero que saiba que estarei aqui sempre que precisar, que posso cuidar de você mesmo não cuidando nem de mim. Sei que essa insegurança é um defeito. Não deveria ter que cobrar tanto seu amor, mas sou assim. Meio quebrada, traumatizada, cansada de amar e não ser amada. Amor é uma palavra tão forte e você fala como se não fosse nada. Tudo bem, eu sei que você diz que gosta mesmo de mim, e tenta de todas as formas me fazer feliz. Valorizo isso muito mais do que imagina. A questão é que ainda tenho medo. Muito medo de me machucar, de novo. É um ciclo sem fim que sempre acaba mal. Não quero te afastar com meus medos. Desculpa. Saiba que isso é só mais uma prova do meu amor. Juro que vou tentar não pensar tanto e sentir mais. Prometo. Só prometa, não me machucar também. E ficaremos bem, os dois.
—  Escrito por Isadora, Laís, Juliana e Renata em Julieta-s.
Você morreu pra mim na hora que me disse “adeus”. Foi difícil pra mim esquecer a frieza que tinha em seus olhos no momento em que você me disse que não queria mais nada comigo, que nosso amor havia se acabado e mais um monte de mentiras. Sim, eram mentiras, eu sei, e confirmei isso depois de uma semana que vi você nos braços de um monte de meninas naquela festa. Naquele momento eu senti raiva. Muita raiva. E toda essa raiva se transformou em ódio. Odeio por ter lhe dado um amor incondicional, o amor mais puro que eu poderia te dar. Um amor verdadeiro, sincero e sem traições. Todo o amor que senti por você morreu, foi por água abaixo. E deu lugar para esse desprezo imenso que sinto hoje. Eu olho pra trás e tudo que consigo enxergar é um imenso tempo perdido. Porque você nunca mereceu nada do que teve de mim. E eu sempre mereci mais do que você tinha a me oferecer. Só que o amor cega, e eu não enxergava claramente no início. A ingenuidade e a emoção tomaram conta e, eu não percebi que tudo vindo da sua parte era falso. Porque eu sempre fui verdadeira e boba, acreditei que você era também. Fui tola, fui burra, mas aprendi. E cresci. Você me ensinou a me amar primeiro antes de amar a outro. Me ensinou a ser minha própria prioridade, e a não correr atrás de ninguém. Depois de você, tive que aprender a lidar com o desprezo. Você desprezou tudo que te dei e fez questão de mostrar que eu não era tão importante pra você. Eu fui uma boba em acreditar que meu mundo era completo contigo ao meu lado. Não era nada disso, porque nem seu pensamento estava ali conosco. Talvez eu nunca volte a sentir esse sentimento, desse amor tão louco e verdadeiro, de me entregar completamente para alguém. A partir de agora, não vou ser a mesma. Você conseguiu mudar tudo em mim, e acredite, para melhor. Pois hoje posso dizer que te superei. Estou firme e forte. Pode ter doído, e muito, mas continuei de pé. E quando me ver por algum canto qualquer, com um sorriso no rosto, batom vermelho e um vestido preto, posso estar sozinha, mas pode ter certeza que estarei feliz. Aprendi a me colocar em primeiro lugar, a ficar e me sentir bonita para mim, a me divertir e, principalmente, a me amar.
—  Escrito por Bianca, Laís, Juliana e Beatriz Maria em Julieta-s.
Os amores eternos nunca serão aqueles que sonhamos para nós. Raro é aquele caso de quem se ama verdadeiramente e consegue preservar esse amor por toda a vida. E sortudo é esse caso, pois os demais têm em seus amores eternos a despedida, o término, o amor não recíproco, e que mesmo assim, continua sendo o amor eterno. Paixões virão, paixões irão, mas sempre existirá aquele amor passado bem lá no fundo do coração de cada um de nós. Aquele amor que marcou mais forte, e que por mais que surjam outras dezenas de amores, você não consegue esquecer. Ele pode não se fazer sentir todo dia no seu peito, pode não te deixar com um nó na garganta, mas ele ainda estará ali. E daí, numa bela tarde chuvosa de domingo, você se pegará pensando e sentindo o que acreditava ter deixado pra trás. Talvez sinta um pouco de saudades, uma pitada de nostalgia, mas não passará disso. Você irá suspirar e esquecer, mas ele continuará ali. Porque ele é seu amor eterno. Nunca haverá um esquecimento do seu coração sobre ele, pode haver desligamento do pensamento, mas no fundo saberá que ele sempre esteve vivo dentro de ti. Um amor assim não se encontra em qualquer esquina ou numa noite de balada, ele simplesmente vai acontecer nos lugares mais inesperados que você possa imaginar, pode ser numa padaria da sua rua, na pracinha perto da casa da sua avó. Esse tal de amor eterno ele vem e não vai, ele fica não fisicamente, mas fica emocionalmente. Será como parte de você, pois vai ser ele que vai te salvar das paixões iludidas, dos corações partidos. Só ele tem a capacidade de ser a razão do seu viver e o seu ponto fraco nos momentos mais tristes. Mas saiba que só haverá um que é seu por completo, só um está destinado à você, os outros são apenas enganações da sua mente tentando amar verdadeiramente. Amor de verdade, só aparece uma vez na vida, se for amor você vai saber, paixão passa, amor não. O que é verdadeiro permanece, mesmo que o tempo passe e a memória esvazie-se, mesmo longe fisicamente e sentimentalmente, mesmo feliz ao lado de outra pessoa, um amor verdadeiro não pode ser substituído, por mais que você ame outra pessoa, se for verdadeiro aquele antigo amor ainda estará guardado no coração e intacto, porque o amor verdadeiro é aquele que o coração não esquece.
—  Escrito por Ana Laura, Laís, Marcela e Michele em Julieta-s.