Se existir um casal fofo, como o casal de “apenas um fim”, eu queria ser um deles. Não pretendo viver uma história trágica de amor, nem um romance do tipo felizes para sempre. Queria algo real, complicado e estranho. Batata frita com coca cola no café da manhã e shows de rock de vez em quando. Queria esses namoros típicos de hoje em dia, mas com um toque especial. Na verdade queria um amor só meu, que me faça ter borboletas no estômago que me faça sorrir por besteiras e enviar torpedos de madrugada. Que faça meus olhos brilharem e meu coração bater mais forte, que me faça sentir igual e diferente ao mesmo tempo. Depois de tantas decepções eu não quero ser apenas um passatempo na vida de alguém, não quero relacionamentos temporários apenas para curar a carência. Quero ser definitiva na vida de alguém, assim como quero que esse alguém seja na minha vida. Reza a lenda que Deus nos separou de nossas almas gêmeas para que pudéssemos encontrá-las por vontade própria, mas não nos disseram que isso seria tão difícil. Eu quero um amor como nos filmes hollywoodianos, um amor que me traga paz e acalme os meus nervos apenas com um toque, um amor daqueles que um ajuda o outro enfrentar dificuldades, um amor que de inveja pra qualquer pessoa. Quero um amor daqueles que quando você chega perto da pessoa falta ar, falta forças pra ficar em pé, que te deixa tonto e dá vontade de vomitar. Quero um amor daqueles que só se vê em filmes. O que eu quero mesmo, é encontrar alguém que me queria bem e que faça eu me sentir bem.
—  Escrito por Renata, Jasmyne, Kelly e Bianca em Julieta-s.