itcuddles said:

5 dicas pra quem ainda vai ter a primeira vez(?)

1. Não fique nervoso
2. Faça as coisas com calma
3. Não tenha vergonha do seu corpo
4. Use camisinha, independente com quem for.
5. Relaxa e goza

Hoje, dia 1 de setembro fazem dois anos que você partiu, sinto tua falta e o amor é o mesmo, te amo como nunca amei ninguém, independente de alguém ter tirado tua vida e eu nunca mas vá te ver. O que estou dizendo você sempre me visita em sonhos, como você faz falta morena. Muita das vezes eu sofri sozinho, chorei sozinho e escondi toda tristeza em uma mascara de aparência, hoje graças a Deus tenho amigos que sempre estão comigo e me encorajam a seguir em frente, sempre de cabeça erguida e feliz. É uma data triste porem o que me alegra é saber que você está no céu e melhor do que eu e muitos aqui, é saber que um dia nos encontraremos e que você sempre desejou a minha felicidade. Obrigado por me ajudar a se tornar um homem melhor no pouco tempo que passou comigo, obrigado pelas duras e pelas conversas, desculpa pela falta de atenção e discussões sem sentido. Bom… é isso Eu te amo Xeirinho!
—  erzdiozese
É tão triste quando você tem um sonho e todos debocham dele fazendo pouco caso, como se isso não fosse importante pra você. Eu acredito que cada um aqui tem um sonho, independente de qual seja, ele é importante sim. Sabe naquele filme que dizia: “Nunca deixe ninguém dizer que você não pode fazer alguma coisa. Se você tem um sonho, tem que correr atrás dele. As pessoas não conseguem vencer, e dizem que você também não vai vencer. Se quer alguma coisa, corre atrás.” Eu acredito nisso, eu acredito que quando temos fé em Deus e fazemos o nosso possível tudo tende a dar muito certo, e muita vezes a fé começa acreditando em Deus mas também em si próprio. Então acredite, você é capaz de realizar cada sonho oculto do seu coração.
—  Denize de Melo.
[Controvérsia entre Álvaro de Campos e Ricardo Reis]

A poesia é aquela forma da prosa em que o ritmo é artificial. Este artifício, que insiste em criar pausas especiais e antinaturais diversas das que a pontuação define, embora às vezes coincidentes com elas, é dado pela escrita do texto em linhas separadas, chamadas versos, preferivelmente começadas por maiúsculas, para indicar que são como que períodos absurdos, pronunciados separadamente. Criam-se, por este processo, dois tipos de sugestões que não existem na prosa — uma sugestão rítmica, de cada verso por si mesmo, como pessoa independente, e uma sugestão acentual, que incide sobre a última palavra do verso, onde se pausa artificialmente, ou sobre a única palavra se há uma só, que assim fica em isolamento que não é itálico.

Mas pergunta-se: porque há-de haver ritmo artificial? Responde-se: porque a emoção intensa não cabe na palavra: tem que baixar ao grito ou subir ao canto. E como dizer é falar, e se não pode gritar falando, tem que se cantar falando, e cantar falando é meter a música na fala; e, como a música é estranha à fala, mete-se [?] a música na fala dispondo as palavras de modo que contenham uma música que não esteja nelas, que seja pois artificial em relação a elas. É isto a poesia: cantar sem música. Por isso os grandes poetas líricos, no grande sentido do adjectivo «lírico», não são musicáveis. Como o serão, se são musicais?

 

image

Ricardo Reis:

Diz Campos que a poesia é uma prosa em que o ritmo é artificial. Considera a poesia como uma prosa que envolve música, donde o artifício. Eu, porém, antes diria que a poesia é uma música que se faz com ideias, e por isso com palavras. Considerai que será o fazerdes música com ideias, em vez de com emoções.

Com emoções fareis só música. Com emoções que caminham para as ideias, que se agregam ideias para se definir, fareis o canto. Com ideias só, contendo tão somente [?] o que de emoção há necessariamente em todas as ideias, fareis poesia. E assim o canto é a forma primitiva da poesia, porque é o caminho para ela [var.: não é a primeira forma da poesia, senão o caminho para ela].

Quanto mais fria a poesia, mais verdadeira. A emoção não deve entrar na poesia senão como elemento dispositivo do ritmo, que é a sobrevivência longínqua da música no verso. E esse ritmo, quando é perfeito, deve antes surgir da ideia que da palavra. Uma ideia perfeitamente concebida é rítmica em si mesma; as palavras em que perfeitamente se diga não têm poder para a apoucar. Podem ser duras e frias: não pesa — são as únicas e por isso as melhores. E, sendo as melhores, são as mais belas.

De nada serve o simples ritmo das palavras se não contém ideias. Não há nomes belos, senão pela evocação que os torna nomes. Embalar-se alguém com os nomes próprios de Milton é justo se se conhece o que exprimem, absurdo se se ignora, não havendo mais que um sono do entendimento, de que as palavras são o torpor.

9-4-1930

 

Páginas Íntimas e de Auto-Interpretação. Fernando Pessoa. (Textos estabelecidos e prefaciados por Georg Rudolf Lind e Jacinto do Prado Coelho.) Lisboa: Ática, 1996.

Mulher tem que beber mesmo, dançar até o chão e a mãe sabe muito bem a filha que tem. Homem tem medo de mulher independente! Pior ainda: Homem tem medo de mulher que FARRA! Aí o cara, conhece uma menina bonita que bebe e farra tanto quanto ele… Se ele não quiser sair, ela sai só com as amigas, não tem tempo ruim, banca suas coisas, se tiver meio sem grana, se diverte como dá. Se tiver bem de dinheiro, ai é que sai mesmo… Conversa com todo mundo, conhece muita gente! Falando assim, parece bem fácil ficar e/ou namorar com uma mulher dessas. E é! O problema é que a grande parte dos homens não segura a onda de uma mulher pau-a-pau com eles, aí eles namoram a Sandy. A Sandy é fácil de namorar, ela sai, mas não dança, ela não bebe, nada de decotes ou mini saias. Se o namorado não quiser sair, ela não sai, e se ele quiser sair sozinho ela fica em casa, assistindo televisão e o melhor, leva chifre, sabe e aceita… Mas quer saber? Mulher que sabe se divertir e aproveita a vida até sozinha, dispensa homem sem coragem! Mulher de verdade assusta! Mulher nenhuma precisa de homem para se destacar… Não mesmo!
Acho que estou convivendo demais com a solidão a ponto de gostar dela na mesma intensidade desse convívio. Me sinto só. Não só na ausência das pessoas, digo sozinha pra tudo. Eu realmente esperava que ficassem mais, que me aguentassem por mais tempo durante as minhas crises existências que eles tanto conhecem. Até porque eu sempre estive lá, às vezes de perto quando ninguém mais estava e outras vezes de longe, mas eu me mantive presente até quando não mereciam. Eu fui só amiga, fui só para escutar, outro dia fui só para falar, fui só para aconselhar, fui só porque aquela pessoa pediu, na outra semana fui só porque aquela pessoa precisava de alguém e não tinha mais ninguém para chamar. Eu fui tanto para os outros que deixei de ser um tanto só minha. E como se não bastasse, também levaram um pouquinho de mim a cada pouquinho que eu fui com isso tudo. Eu, inteiramente e absurdamente, não queria acreditar quando diziam que a gente cresce e morre sozinho, mas é verdade. Não que eu esperasse algo em troca depois de tudo isso porque, definitivamente, eu não espero. Mas por um momento, eu pensei que estariam comigo e me aguentariam uns míseros minutos sequer em algum momento de alguma das minhas crises. Não foram capazes. Só quero lembrar que é isso o que os amigos normalmente fazem independente de pedidos para ficar, independente de ser drama, independente de ser só mais um daqueles momentos em que se quer só um pouquinho de atenção e independente de qualquer coisa: eles ficam.
—  Talita Melo - (TM)
Ela tem uma risada incrível. E sem querer ser um babaca, mas ela tem tudo pra ser perfeita. Mas não é, claro. Ela tem mil idiotices e chatices na bagagem. E ela tem medo de tudo. Tem um ar de menina independente, que não precisa de ninguém. Mas quando tá no escuro, ainda pede pra alguém abrir um pouquinho a porta e deixar a luz entrar. Ela tem vergonha até de ligar pra pizzaria pra pedir uma pizza, cara. Quem no mundo é assim? Mas ela é tão indiferente, que a minha diferença não afeta ela em nada. Eu acho que ela pode ser o mundo inteiro se ela quiser. E ela é teimosa. E guarda rancor na mala. Ela sabe perdoar, mas precisa de umas aulinhas de como esquecer. Quando ela desiste ou acha que sabe de tudo, não tem jeito. Meu Deus, que mania insuportável que ela tem de achar que pode burlar tudo o que mandam ela fazer. Porque ela nunca tá satisfeita com nada. Nadinha.
— 

Robin and Stubb.

Text
Photo
Quote
Link
Chat
Audio
Video