Eu sou aquela que tem medo do escuro, mas sempre está na escuridão. Eu sou aquela que sorri por fora, e chora por dentro. Eu sou aquela que é rodeada de amigos, e se sente sozinha. Eu sou aquela que diz eu te odeio, mas no fundo te ama com cada fibra de seu coração. Eu sou aquela que sempre será incompreendida.

As vezes eu só quero fechar
Os olhos chorar,chorar até tudo acabar
E essa dor desaparecer.
Eu queria mas uma chance para viver,
Pois, sobreviver cansa,dói,machuca.
Eu não transmito isso para ninguém,
Pois,não quero que ninguém se preocupe comigo.

É tão bom e ruim ser sozinha,
Bom,por que você pode fazer tudo sem ninguém criticar.
Ruim,porque você nunca tem um ombro, um conforto
Um alguém para você chorar, e saber que tem alguém ali.
Se hoje existe pessoas como eu ,
É porque elas nunca foram compreendidas,nunca escultadas,
Nunca teve alguém que demonstrasse que se importava
Com oque ela pensava.

Eu realmente não ligo, não me importo,
Porque eu já fui pisada tanto,humilhada,sofrida,
Incompreendida, que não me importo mas.
Hoje acredito que sou forte,
Porque eu poderia ter desistido de tudo .
Tudo mesmo!Por que todo dia a minha dor aumenta.

As vezes eu realmente queria estar morta,
Essas lágrimas que ficam presas, juntas com os meus
Sentimentos,isso só me machuca mas.
Porque por mas que eu queira chorar,
Nenhum pingo,uma gota cai.E isso fica me sufocando,
Fica preso dentro desse buraco que sinto dentro de mim.

E isso me machuca, ao ponto de eu querer simplesmente
MORRER.

—  Recem Suicida.