Bajarka w Escore

denatka

Lomin stąpała ostrożnie po mokrej trawie na skraju strumienia. Grunt był tu nieco grząski, kobyłka jednak nie odbijała w bok - po prawej miały gęstwę kolczastych krzaków. Elfka siedząca na grzbiecie palomino rozglądała się wokoło, nieco zaniepokojona. Całkiem niedawno słyszała wycie i - przysięgłaby na Vaire - to nie było wilcze wycie. Jej ojciec nie raz zabierał ją w dzieciństwie by obserwować wilki i Noldorka znała ich zwyczaje równie dobrze, jak zwyczaje swego ludu. Poprawiła się w siodle i trąciła boki Lomin piętami. Przez gęstwę drzew nie było widać prawie nic.
- No dalej, Lomin, niedługo znajdziemy dobre miejsce na obóz, obiecuję ci - mruknęła i obejrzała się na słońce. Już dawno temu powinna była znaleźć bród i ścieżkę do Rivendell. Powinna dziś spać we własnym łóżku. Niemożliwe było, żeby się zgubiła, przechodziła Briunenę tysiąc razy…
W końcu gęstwa się skończyła i ścieżka wyszła z lasu na sporą otwartą przestrzeń. Przed nią widniały góry, wysokie szczyty pobielone u góry, okryte gobelinem zieleni drzew i szarości skał. Jej strumień płynął z gór, tak bliskich, że zdawały się być na wyciągnięcie ręki. Odetchnęła głęboko i zesztywniała gapiąc się na zarys łańcucha górskiego.
To nie były Góry Mgliste.
W tej samej chwili usłyszała, całkiem blisko za sobą, wycie. I tym razem odpowiedziało mu drugie, z prawej.

Capítulo 1 - O último dia

Conselhos e sermões. Para Jack, Ben não sabia a diferença entre as duas coisas. Sempre que Bower pedia conselhos ao primo, ele acabava recebendo sermões.

- Ela tem um namorado.

- Ah, não diga. - Jack ironizou.

- Você entendeu.

- Prefiro fingir que não.

Ben soltou uma risada e encarou o primo de forma desdenhosa. O loiro estava quase cansado da obsessão de Bower por Lily e estava tentando fazê-lo “seguir em frente”.

- Por que você insiste em insistir? - Dashner perguntou, tomando mais um gole de sua cerveja.

- Insisto em insistir? - Jack zombou. - Você já foi melhor com as palavras.

- Não mude de assunto.

Read More

Treze

- Estou totalmente abalada, destruída, chocada e maltratada. 

Não acreditei quando vi uma enorme bandeira escrito ” Stay Strong, Seb ” e uma caricatura em preto e branco minha e ao lado ” RIP Kape “. A vontade que eu tinha era de correr até aquelas pessoas e abraçar cada uma. Como era possível aqui ? Elas estavam fazendo uma homenagem sem mesmo me conhecer. Aquilo me emocionou bastante e ao Sebastian também, eu conseguia sentir suas lagrimas salgadas escorrendo pelo seu rosto entrando em seus lábios. Queria muito chegar até ele, mas Fernando parou na minha frente. Não que eu não conseguisse atravessar aquele corpo, mas no momento eu deveria prestar atenção nele.  

- Bela homenagem - sussurrou ele entre dentes para que ninguém percebesse. - Se eu estivesse no seu lugar, aposto que eles estariam dando uma festa. 

- Ainda bem que você sabe - ele não respondeu, apenas sorriu e escorou na grade fingindo escutar musica - o que você quer ?

- Te ajudar. 

- Já falei que não quero sua ajuda. 

- Já falei que você precisa da minha ajuda - seus olhos estavam escondidos por detrás do seu Ray-Ban e não era possível distinguir qual era sua áurea. - Tenho certeza que depois dessa corrida você vai querer a minha ajuda - dando alguns passos até chegar perto do meu ouvido ele parou e soltou o seu halito gelado que me deu calafrios - Sebastian está te esquecendo, Kape. Tanto é que ele está escondendo uma grande coisa de você. 

Ridículo. Isso é o que caracteriza ele. Totalmente ridículo. Um idiota que só queria se aproveitar da situação e acabar comigo.  Não dava para acreditar em nenhuma palavra que ele disse. Sebastian nunca iria me esquecer e muito menos esconder algo de mim. Bom, tem aquela coisa que eu escutei ontem a noite mas isso não significa que seja uma catástrofe. Eu conhecia ele - Sebastian - e ele - Alonso - e entre os dois, é mais do que obvio, que eu acredito no caipira. 

Um poco antes de dar a largada, fui até o carro de Fernando que estava na segunda fileira ao lado de Grosjean - que graças ao bom pai conseguiu P4 - , e quando as luzes ficaram verdes e se apagaram, dei um jeito de travar os pneus de Alonso e ele ficou empacado por 7 segundos. 

- Isso é pra você aprender a respeitar os mortos, Fefe. 

Depois disso veio uma serie de tédio. Oh corrida que ficou sem graça depois da volta 28 quando Maldonado - sempre ele - quase fez com que Bottas voasse para fora da pista. Eu estava vendo tudo com Hanna e Emy e vibramos muito quando Sebastian recebeu a bandeira quadriculada 40 segundos antes dos outros. Mesmo com aquela carroça, que eles chamavam de ” Especial RB ” , o Caipira conseguiu dominar toda corrida e o motivo : ele esqueceu de tudo e só pensou na velocidade. e o outro motivo : a minha morte.  Claro que eu não gosto dessa ideia de que ele esta levando tudo se baseando na dor de ter me perdido. Isso era estupido. Ele não podia ficar choramingando por mim pelo resto da vida. 

Mesmo com isso tudo, eu subi ao pódio com ele e quem estava lá ? Sim. Fernando e Hamilton. Fernando olhava com uma cara de EuSeiQueFoiVocê barra VocêMePaga.

- Você quer que eu pague com juros ou vai deixar com preço de à vista ? Porque olha - pulei para o 3° lugar no pódio - eu não tenho grana agora. 

- Sua ironia me enoja. 

- Que você disse ? - Seb interrompeu. 

- Nada, estava apenas pensando alto e analisando como esta bonita essa homenagem para Kape. 

- FALSO !!!!!!!!!!!! - gritei tentando socar o seu braço -  Fala para ele que eu estou aqui. 

- E se eu não quiser ? - lançando um olhar frenético e caótico ele abriu aquele largo sorriso parecido com o gato de Alice no País da Maravilhas. 

- Por favor - implorei vendo Sebastian chorar como criança querendo colo - Fala para ele que eu estou aqui. 

Fernando subiu um degrau e abraçou Sebastian em uma gesto que, para muitos, era algo bondoso e que, para mim, era algo falso e indigesto. 

- Ela esta bem. - ele sussurrou para Seb - O lugar onde ela esta deve ser bem melhor do que esse. 

Não conseguia acreditar como tal homem poderia ser tão sínico, arrogante e sem coração. Só ele sabia sobre mim. só ele podia contar para Sebastian e aliviar uma parte da sua dor. Só ele e mais ninguém. Logo ele. Fernando Alonso. O cara que eu mais odiei na vida e odeio na morte. 

- EU ODEIO VOCÊ ! 

- Por que você insiste em insistir? - Dashner perguntou, tomando mais um gole de sua cerveja.

- Insisto em insistir? - Jack zombou. - Você já foi melhor com as palavras.

- Não mude de assunto.

- Não to mudando de assunto. - Bower respirou fundo e se escorou ainda mais em sua poltrona. - Odeio ter que pedir conselho pra você… Sempre acaba em sermão.

- Existe uma grande diferença entre “dar sermão” - Ben fez aspas com os dedos. - e falar a verdade… Só to dizendo que não adianta você desperdiçar todas suas energias numa garota comprometida… Você já viu os dois, eles nem brigam.

Jack sabia porque o primo estava sendo tão “chato”. Era por causa de Emma Miller. Bower não disse em voz alta para não causar mais um discussão sem sentido. Apesar de inconveniente, até mesmo Jack sabia que cutucar o primo com vara curta em seu ponto fraco era um pedido irrecusável de morte.

- Acontece que existem casais que preferem brigar no privado, sem público, sabe? Não, você sabe já que, né… - Ele cutucou só um pouco, mas percebeu a careta do loiro e emendou imediatamente. - E se eu desistir e ela terminar com o baterista?

- Isso é só uma hipótese. Não confie em hipóteses. Me tome como exemplo. Minha situação não te ensinou nada? - Ben terminou a frase com um sorriso sem humor e respirou fundo. - Mas tá, se ela terminasse, você tem certeza que teria qualquer chance? - O rapaz não deu tempo para o primo responder. - Porque você ta ai, empacando sua vida por uma menina que nem solteira ia te querer.

- Olha pra mim, cara. - Jack disse sério e Ben o encarou. - Qual a dúvida? - Bower começou a rir e Dashner simplesmente desviou o olhar, balançando a cabeça negativamente.

- A Lily seguiu em frente, Jack. Ela está feliz.

- Ela não tá feliz! - Emma gritou ao sair do banheiro, fazendo Ben revirar os olhos vagarosamente e Jack rir. - Quanta merda você acabou de vomitar por essa boca!

Ucker pensava e falava sozinho - essa mulher vai causar algum estrago eu sinto isso ,melhor não deixar ela sozinha com a Dulce,ele ia subindo as escadas e ouvia a conversa das mulheres,Dulce mostrava as coisas de Helena para Belinda,porém ela estava com raiva desse bebê que ia nascer,era pra ela estar assim e não Dulce,era pra Belinda ter a atenção de todos e ter o amor de Uckermann,disfarçava e sorria -’ lindas coisas Dulce ,mas vamos falar francamente o bebê é de Ucker?,Dulce olhou incrédula - porque perguntou uma barbaridade dessa?claro que HELENA É DO CHRISTOPHER ,ele ouviu e entrou no quarto,e viu q Dulce ia cair,se aproximou e a escorou - o que houve?,Belinda negou -’ nada,me desculpe pela pergunta ,eu sei que esse bebê é de Christopher,Dulce abraçou o marido

Ele a olhava - Belinda melhor você ir ,Dulce não se sente bem,ela precisa se deitar,ela olhou e suspirou -’ ok ok ,me desculpe Dulce ,até mais,ela se despediu e saiu,Ucker olhou sua mulher e levou para o quarto de ambos e a sentou na cama,ajeitou os travesseiros e a encostou-se,Dulce chorava - você acredita em mim meu amor?,Helena é sua,totalmente sua,ele limpava o rosto da amada e abraçava devagar - ow claro que sim amor,Helena é nossa,minha e sua,jamais duvidarei isso e duvidei de ti isso minha pequena,ele a olhou - eu te amo mí reína,ela sorriu e beijou demoradamente o esposo e se acomodou […]

E em questão de segundos, os quais tenho odiado contar, você se fez longe, e o meu amor não sei se eu posso mais te dar, olhando ao redor perdida me encontro, talvez nosso amor deva recomeçar de novo, ou talvez simplesmente acabar, não quero um ponto final em tudo que sentimos, não quero me sufocar, não quero perder-te, pois amar-te é tudo que sei fazer, dói e meu coração chora, a triste lagrima que escore é a de um amor incondicional que se vai aos poucos e não de uma vez o que aumenta a tortura e isso que me faz sofrer o desespero e talvez a ilusão de que um dia esse amor seja a razão de um ilustre sorriso em meu rosto a cintilar como brilho de mil estrelas pra em uma constelação eu arrumar, mas não o que se passa é a triste solidão de um rio que corre entre as matas e de vez em quando sente a emoção de uma queda de aguá achando que ela seja a sua nova aventura e segundos de pois a historia se repete, continua, como um rio segue sua corrente, algumas coisas tentam para-lo mas ele não desiste, e se minha saga é amar-te mesmo vivendo no meio desse rio a navegar, talvez eu quero pra sempre em uma queda d’aguá estar… - GP

Ebola comment gets man escorted from plane
By Ben Brumfield, CNN, cnn.com

Ebola is no laughing matter, especially not at airports or on planes, where screenings have gotten tighter.

So, when a man on a flight on Wednesday may have joked that he had been to Africa and had the deadly disease, he received a special escor…

Watch what you say! #ebola #idiot #fail

Sabe quando vc do nada sente um vazio estranho, como se falta-se algo que nem vc mesmo sobesse o que? Quando as lagrimas começam a escorer dos olhos do nada, sem que ao menos percebamos. Quando o coração começa a apertar no peito como se quisese pular pra fora.

A única soluçao e ficar quetinha no seu canto abraçada com o traveseiro, que naquele momento e seu melhor amigo pois não vai te julgar fraca. Acho que todos já pasamos por esse chamado Vazio!  

Text
Photo
Quote
Link
Chat
Audio
Video