image

  • HOT

Atenção: Contém material impróprio para menores de 18 anos. A autora não se responsabiliza por nenhum dano que a leitura possa causar. Nem mesmo o blog, ou quaisquer participante dele. Como indivíduo a escolha de continuar a leitura é apenas de responsabilidade sua.


Eu e Louis éramos melhores amigos desde que eu me entendo por gente. Crescemos juntos , estudamos no mesmo colégio, morávamos no mesmo prédio… Até que cada um foi fazer sua faculdade e se ‘afastando’, quero dizer em questão de kilometros, porque a nossa amizade continua a mesma, eu acho! Estamos de férias e decidimos viajar de carro o país todo, ou pelo menos o máximo que conseguirmos.
Já são 01:20 da manhã e decidimos parar num hotel beira de estrada para descansar.
- Dois quartos , por favor. - Louis pediu para a recepcionista do ‘hotel’.
-Só temos um disponível senhor! - Ela disse com cara de tédio,
- Tudo bem, pode ser. - Louis disse pegando a chave e seguimos até o nosso quarto.
Paramos o carro em frente nossa “moradia” e desci do carro pegando minha mochila. Decidimos nessa viagem levar só o necessário, se afastar dos vícios tecnológicos e aproveitar a vida . Peguei a chave da mão de Louis que estava pegando seu violão e uma mochila no porta-malas do carro.
Abri a porta , joguei minha mochila no chão e deitei na cama
- Tá tão cansada assim S/N? - Louis disse rindo e colocando sua mochila no chão e o violão em cima de uma poltrona. - Você ficou quase duas horas sentada naquele bendito carro e ainda esta cansada ?
- Sim, justamente por isso, cansada de ficar no carro! - Disse me levantando e pegando uma roupa e seguindo para o banheiro - Vou tomar um banho rápido!
Louis apenas fez que sim com a cabeça, pegou seu violão e começou a dedilhar as cordas. Do chuveiro podia ouvir ele cantando uma música suave , como eu amava aquela voz.
Sai do banho, coloquei um shorts de moletom cinza e uma blusa da universidade e fui para o quarto . Encontro Louis sentado na cama de bermuda tocando.
- S/N é assim que você vai dormir ? Digo, vamos dividir uma cama, eu sou homem e o olha o tamanho do seu shorts S/A. Posso ser seu melhor amigo mais ainda sou homem sabe.- Ele disse rindo.
- Besta! Tá calor e vou dormir assim, você nunca tentaria nada comigo, sei disso.- Digo em um tom meio triste.
O silencio tomou conta do quarto. Louis colocou o violão de lado e se virou, olhando para mim que estava encostada na cabeceira da cama vendo uma revista velha que eu encontrara no banheiro do hotel.
-Hm, S/N, posso te fazer uma pergunta ? - Ele disse passando a mão na nuca
- Fala Louis!- Disse sem tirar os olhos da revista
- Você ainda é virgem ? - Louis perguntou calmo. Eu NUNCA tinha contado isso pro Louis e não fazia ideia de como ele sabia.
- Quem te disse isso ? - Perguntei tentando não demonstrar nervosismo em minha voz,
- Qualé S/N, eu sei muito bem que apesar de você seduzir muito bem os rapazes , você nunca foi de ficar com qualquer um, quem dirá transar assim…
- Hm, sim Louis, ainda sou virgem!- Disse olhando pra revista , mas podia sentir meu rosto queimando de vergonha .
- Sabe, eu acho que tem que ser especial, ou pelo menos com alguem que você conheça, porque a maioria dos caras só querem te comer e depois sumir. - Ele disse levantando e sentando ao meu lado.
- Eu sei Louis, mas é complicado, eu quero que seja especial, e quero que seja com alguem que eu goste de verdade , que me conhece mais do que eu mesma, que saiba tudo sobre mim e que ainda assim permita-se me amar com todos os meus defeitos e …- De repente sinto os lábios quentes de Louis sobre o meu. Ele me beija com calma , sua mão segurando meu rosto , ele pede passagem para língua e eu cedo! Logo o beijo se torna mais quente e urgente. Sento no colo de Louis , suas mãos me apertam forte na cintura, enquanto as minhas mãos estão no cabelo dele.
- Me deixa te amar assim - Louis disse enquanto distribuía beijos pelo meu pescoço. Não digo nada, apenas permito ele continuar esse ‘carinho’. Sinto as mãos dele na barra da minha camiseta. Sua mão direita entra em contato com minha pele, suas mãos sob minha camiseta, subindo e descendo . Sua outra mão em minhas costas me juntando ao corpo dele!
Seguro o rosto dele entre minhas mãos e o beijo novamente mordendo seu lábio inferior. Louis tira minha camiseta e a joga em qualquer canto do quarto.
Ele me vira na cama, me deixando por baixo de seu corpo e começa a distribuir beijos do meu ombro até meus seios. Com sua mão ele aperta meu seio direito com vontade enquanto beija o outro com carinho. Caralho, como ele conseguia me deixar assim ? Eu já estava louca de desejo por ele. Louis desceu beijando minha barriga até parar no meu shorts. Me olhou com cuidado como se estivesse pedindo permissão para continuar! Olho para cara dele e sorrio envergonhada. Louis tira meus shorts e calcinha de uma única vez , abre minhas pernas lentamente depositando beijos na parte interna da minha coxa. Louis beija minha intimidade delicadamente me fazendo sorrir e soltar um gemido baixinho. Ele começa a beijar meu clitóris e apertar minha coxa esquerda. Arqueio minhas costas e jogo minha cabeça para trás num ato inútil de tentar fazer com que aquela sensação aumente.
Louis começa a brincar com sua língua em meu clitóris , eu gemo baixo ,aquilo era a melhor coisa do mundo. Ele passa dois dedos em meio aos meus grandes lábios e percebe o quanto estou molhada e ri baixo .
Puxo ele para perto de mim, beijando o com desejo. Logo estou sentada em cima dele, depositando beijos por todo o seu tronco. Paro no shorts dele e abro , deixando-o só de cueca boxer . Fico encarando aqueles olhos por um momento até que ele entende o recado, não tenho coragem de tirar sua cueca  e nem sei ao certo o que fazer.  Ele apenas ri, passa a mão pelos meus cabelos e me da um selinho. Louis tira  a cueca e me deita novamente na cama, ele pega uma camisinha no bolso e coloca. Viro o rosto timidamente e logo sinto Louis sobre mim novamente, ele começa beijar meu pescoço enquanto se ajeita em minha entrada.
- Posso pequena ? - Ele sussurra em meu ouvido, o que me deixa mais excitada.
- Por favor- Digo rindo baixo. Ele então lentamente coloca seu membro dentro de mim. Louis começa devagar para que eu me acostume com seu membro, e devagar coloca todo em mim. Com movimentos de vai e vem, Louis segura minha cintura e com a outra mao brinca com meio seio esquerdo.
- Mais rápido Louis.- Peço um pouco ofegante.
Ele começa aumentar o ritmo e logo sinto meu corpo em sincronia com o dele. Gemo em seu ouvido, enquanto agarro os lençóis da cama.
Louis começa a investir cada vez mais fundo e forte. Começo  a me encher de prazer . Arranho suas costas nuas, e sinto sua respiração ofegante em meu pescoço.
Minhas pernas começam a tremer e chego ao ápice. Louis continua até chegar também. Ele deixa o peso do seu corpo cair em mim. Respiramos descompassados.
Ele sai de dentro de mim, vai até o banheiro e tira a camisinha. Volta para o quarto e deita ao meu lado. Me cubro com o lençol como uma maneira de minimizar a vergonha do que acabara de acontecer.
- Eu já te vi nua S/N, sério que tá com vergonha agora ? - Louis disse me puxando para perto do seu peito.
- Ei, me deixa tá bom ? - Dou um tapinha de leve em seu peito, e ele beija o topo da minha cabeça.
- Obrigado!- Louis disse.
- Obrigada você . Não poderia ter sido mais especial. - Digo sorrindo.
- Eu te machuquei ? - Ele pergunta preocupado me fazendo olhar em seus olhos.
- Não, você foi perfeito, incrível e lindo, sem esquecer o gostoso! Já disse, foi muito especial.- digo  desviando o olhar para nossas mãos que estavam entrelaçadas.
- Eu te amo S/N! Te amo com todos os seus defeitos, loucuras e conheço mais você que a mim mesmo. - Ele diz apertando minha mão
- Eu sei. - Sorrio e fecho os olhos, tento deixar registrado aquele momento na memoria, mil vezes, para ter certeza que jamais será esquecida. Mas se um dia eu esquecer, tenho certeza que ele estará lá para me lembrar.

One Shot: Harry

**Warning: this story talks about depression and self harm**

Ok this is my first One Shot request I’ve written, so be nice (:

"I’M SORRY!" you screamed, tears pouring down your face. Harry’s once angered expression changed almost instantly. He looked at you in complete shock. Dead silence lingered around you, interrupted by your quiet sobs. You turned around, running upstairs and locking yourself in your bathroom.

Harry had been yelling at you continuously since he had come back from work, reminding you of everything you’d done wrong. At first you didn’t mind. He had a bad day, you could tell, and his mood definitely wasn’t the best. You were trying to be as sweet as you could; he was your boyfriend after all. Harry kept telling you off, pointing out all your mistakes -getting irritated by everything you did. He ended up yelling at you, which resulted in your sudden breakdown.

This is what you’d call emotional abuse. Harry had never laid a hand on you; he knew very well women abuse was horrible, but he didn’t understand how even without hitting, you were hurt. You knew from the beginning he was quite moody, but you loved him anyways. There was always something about him that made you overlook his flaws, but recently, things were getting out of hand. Words hurting more than they had before. You could hear him knocking now, trying the doorknob. It was locked, of course. You leaned against the wall and slid down to the floor, pulling up your sleeves to reveal the healing cuts on your wrist. You had promised yourself that you would stop; that self-harm wasn’t worth it, but it was too much. It seemed as though Harry hated you; it was a sign confirming you were as unwanted as you thought of yourself to be. “Marissa!” he yelled through the door, now fiercely trying to get it open. He didn’t know about your depression problem, but now he was starting to realize what was going on with you. Why you were always in the bathroom for long stretches of time; why you never talked to him about your problems.

Ignoring his desperate cries, you reached over and opened the drawer, eyeing the bottle of pills you had put away for so long. “Not yet,” you breathed to yourself, your hand passing the bottle and grabbing the razor instead. “Marissa, what are you doing in there?!” he shouted uncontrollably. “Please, Marissa! Let me in! Please!” by the tone of his voice, you could tell he was on the verge of hysteria. You took in a deep breath and prepared yourself for the pain you knew was to come.

More tears fell down your cheeks as you quickly made a small incision. Just then, the door bust open, causing you to drop the razor. Harry stared at you with fear in his eyes, as if what he had expected was now definite. He dropped to his knees and held your arm, looking down at you with a saddened expression. “I’m so sorry.” he whispered, pushing back your long dark hair. Now trembling, you bit your lip and looked away; not wanting to face him. He looked so hurt, but even though you knew that was what he deserved, you couldn’t help but feel bad.

Harry quickly reached across your lap and took the razor in his own hands. In one swift movement, he swiped the blade across his own wrist, leaving a fresh cut. “Ha-harry,” your eyes widened and more tears filled them. Taking his arm and putting your shirt on it to stop the bright red blood from flowing out, you looked at him with sheer horror. “What have you done, what are you doing to yourself-what are you doing to me?” you said through loud cries. “This is all my fault,” he begun as he put his large hands on your cheek, using his thumb to wipe away your tears. “No, no, what-why, stop, Harry, please.” you said with a shaky breathe. “No, Marissa, I know you’re doing this because of me. I’m so sorry, I just-You deserve so much better, but I can change-I promise. Please just say you’ll never leave me.” he said softly, a single tear running down his face. “I’m nothing without you.” You covered your eyes with your hands, bawling, not being able to take everything at once. “Please, Marissa, look at me.” he said, lifting up your chin.

You finally lock eyes, his hollow ones sending you into even more despair. “I have no worth in the world, Harry.” you said, sobbing. “Look what I’ve done,” you tightened your grip on his wounded wrist. He stood up and helped you get up as well, placing his free hand on your shoulder. “We can get through this together. All this is my fault, and I’m so sorry. I honestly am; you need to help me and I need to help you. Please, Marissa. I can’t live without you.” he spoke quietly, pulling you into his chest. His husky voice and his strong arms wrapped around you made you feel safer already. He sweetly kissed your forehead, his breathe warm on your skin. “I love you,” he said, squeezing you tighter.

Here’s for all of you who self harm and are in depression; please, it’s not worth it. You’ve come here into this world because you have a reason to live. You are beautiful and you’re more amazing than you think of yourself to be. If need anyone to talk to, I’m always here. Please don’t hurt yourself. Please.

Written by daretodreamin-onedirectoin (Nayaar) xx

Please send me feedback, I would really appreciate it!! x