descobriram

Palavras Frágeis - Prólogo

“Disse um poeta um dia que a vida é a arte dos encontros, embora haja tantos desencontros pela vida.
Eu me encontrei em teus desencontros e
te encontrei em meus desencontros.
Mas nada é por acaso nada é sem razão e no tempo certo, na hora certa fomos libertados das cadeias da solidão.
Hoje somos livres, libertos pelo amor que nos um une desde o sempre até o FIM.”

Juliana e Rodrigo cresceram juntos e juntos descobriram que eram capazes fazer da lágrima um lindo sorriso. O tempo passou e assim como o pequeno pássaro deixa o ninho em busca de novos voos, Juliana foi em busca de seu sonho. Filha  de pais extremamente amorosos, Juliana teve que aprender a lidar com a solidão para futuramente proporcionar a quem sempre lhe deu tudo, o melhor. Nunca foi tratada como a filha dos empregados pelos Simas. Era uma espécie de filha do coração, o que acabou fazendo com que Rodrigo a visse como uma paixão impossível.

Rodrigo supriu a ausência de Juliana se dedicando a trilhar o caminho do pai no ramo imobiliário. Sempre preocupado com os outros, acabou deixando sua felicidade de lado apenas para ter uma companhia que jurava ser leal.

O que os dois não sabiam , era que do destino ninguém foge. Por mais que se pegue atalhos, no final o ponto em que se chega era o que já estava traçado desde o começo.

Uma armação põe em jogo um amor. O ódio dita as ações. E o que se esconde às vezes nos entrega tão rápido , porque o amor supera as barreiras e nos coloca nos trilhos para que nenhum desvio ocorra.

……………………………………………………………………………………………………………..

Prólogo postado e estou de dedos cruzados para ter a aprovação de vocês. Beijos e comentem

2

2: 14.


O último dia de excursão chegou. Amelia não poderia estar mais desanimada e triste, e mal soube como conseguiu se levantar da camapela manhã. Passou a noite inteira chorando em silêncio enquanto pensava em tudo o que ouvira tanto de Elliot quanto de Callie. Ela queria muito acreditar nas palavras de Elliot, mas, como ele mesmo dissera, as ações dele não coincidiam com as palavras. Então… Como ela deveria acreditar em qualquer coisa que ele dizia? E quanto à Callie… Amelia simplesmente não compreendia. Tudo o que ela dissera era verídico, mas o que Amelia não compreendia era o fato de Callie sentir inveja dela. Por quê? Como ela mesma dissera, ela tinha absolutamente tudo e mais um pouco; ao passo que Amelia estava tentando ter alguma coisa.

Keep reading

Quem dera todas as flores fossem como tu.

Que pena que não são!

Muitas só exalam o perfume para depois perfurar-lhe as mãos

Outras só são belas para enfeitar os jardins e depois morrer em vasos de argilas.

Mas tu, não. 

Tu sois a flor que brilha à luz do sol

Tu sois a flor que compete com o brilho da lua

Tu sois a flor que dança às gotas da chuva

Tu sois a flor que envergonha até a própria primavera.

Me acalma o coração saber que os perfumistas ainda não descobriram a tua essência

Pois te explorariam para extrair de ti esse teu aroma

Só para vender em frascos toda essa tua delicadeza.  

O Outono do PT - Luiz Felipe Pondé


MAY
3
O Outono do PT - Luiz Felipe Pondé
Temos que reconhecer: chegamos ao fim de uma era.  O PT vive seu outono.  Melhor voltar para o pátio da fábrica onde nasceu e de onde nunca deveria ter saído.

Há que se ter uma certa grandeza, mesmo no pecado (o desejo de poder é o pecado máximo de toda a política, e o PT se revelou incapaz até de pecar com elegância).

Este outono do PT não se deve apenas às manifestações contra seu governo.  Essas manifestações, diferentes das patrocinadas pelo “PT e Associados”, manifestações com todos os tiques de política de cabresto e mazelas sindicalistas (passeata chapa branca), trazem algo de novo para o cenário, que deixa o “PT e Associados” em pânico.

A tendência é a elevação da violência por parte da militância.

O Brasil perdeu o medo do PT e da esquerdinha pseudo. As pessoas descobriram que o mal-estar com essa turminha não é coisa de “gente do mal” (não é coisa de gente do mal, é coisa de gente bem informada), como a turminha pseudo diz, mas sim que somaram 2 + 2 e deu 4: o PT é incompetente para governar.  Afundou quase tudo em que tocou, seja municipal, estadual ou federal (e a Petrobras).  Mas essa morte do PT significa mais do que o fim de um partido que será esquecido em cem anos.

O fim do PT significa que o ciclo pós-ditadura se fechou.

No momento pós-ditadura, a esquerda detinha a reserva de virtude política e moral, assim como de toda a crítica política e social.  Ainda que a história já tivesse provado que todos os regimes de esquerda quebram a economia (como o PT quebrou a nossa) ou destroem a democracia (como os setores mais militantes do partido gostariam de fazê-lo).

Vide o caso mais recente e mais próximo, a Venezuela: economia destruída (e com petróleo!) e democracia encerrada de uma vez por todas.  Como será que nossa diplomacia, ridícula como quase tudo que o governo do PT toca, reagirá ao fato de ele, Maduro, ter se dado plenos poderes para matar e torturar em nome do socialismo?

Resta pouco espaço para o governo.  A tendência é que a presidente fale apenas a portas fechadas para plateias seletas por medo de tomar mais uma panelada.  Com a economia em frangalhos, fica difícil para a presidente enterrar o petrolão em consumo, como seu antecessor o fez durante o escândalo do mensalão.

Quando as pessoas estão felizes comprando é fácil fazer vista grossa à corrupção.

Quando o bolso esvazia, o saco fica cheio.

Dizer que a corrupção da Petrobras nada tem a ver com o partido
no poder é piada.

A ganância do novo rico (o PT) aqui mostra seus dentes: querendo enriquecer rápido, meteu os pés pelas mãos e com isso sacrificou a imagem de redentor que o partido tinha para grande parte da classe média.  Ele ainda detém o controle de parte da população mais pobre (como a Arena no final da ditadura), mas logo perderá esse trunfo.

É verdade que ainda muitos professores, estudantes, artistas, jornalistas e intelectuais permanecem sob a esfera de influência da “estrela mentirosa”.  Mas isso também vai passar na hora em que muitos deles perderem o medo de serem chamados de “reacionários”.  Reacionário hoje é quem se fecha ao fato de que a história andou e as pessoas já não têm mais medo do PT e da sua turminha.

Infelizmente, o governo, diante da história que arromba a porta, parece um grupo de náufragos num barquinho, fugindo da traição que perpetrou, xingando a água, dizendo que as ondas são fascistas e que a tempestade é mal-intencionada.

Não, quem discorda hoje do governo federal não é gente “fascista”, é gente que viu que o projeto do PT para o Brasil acabou.  É gente educada, bem preparada, autônoma e que está de saco cheio do tatibitate do PT.  Sem líderes significativos, sem propostas que criem a credibilidade necessária para sair da lama, a melhor coisa que o PT pode fazer é pedir licença e sair de cena.

Não acho que haja justificativa (ainda) para o impeachment, e devemos preservar as instituições.  Mas a água passa debaixo da ponte.  Quatro anos é tempo bastante para se afogar na vergonha.  E, aí, a humildade será mesmo essencial, não?

Sim, mas o PT é pura empáfia.

Uma proposta Indecente

Capítulo 105:

Você é o meu amorzinho, meu amorzinho… Você faz o sol nascer

Oh garoto (oh garoto) Você é tudo que eu já sonhei… Você é o meu amorzinho, meu amorzinho… Você faz o sol nascer, Oh garoto (oh garoto)

Você é o tudo, tudo, tudo…

Ela piscou e ficou apenas ouvindo a musica.

Thur: Não sabia que cantava… – a observando minunsciosamente. – Canta muito bem, meu amor…

Lua: Melhor do que a Katy? – mordeu o labio enquanto acaricianva a perna dele.

Ele a encarou, e sorriu em seguida.

Thur: Melhor do que ela. – piscou deixando a morena satisfeita.

Dirigiu mais um tempo, já estava escuro, tinham passado por uma placa a uns quilometros atras, e descobriram que estavam indo em direção ao novo mexico. Pararam em um posto para abastecer.

Thur: Aqui não pega sinal não? – perguntando para o frentista.

Frentista: Raramente amigo. – sorriu de canto. – Mas tem um telefone ali dentro. – apontou para a loja de conveniencia. – Se quiser pode usar.

Thur: Obrigado. – se virou para Lua. – Quer alguma coisa amor?

Lua: Quero agua gelada, e tras umas torradas também.

Thur: E voce filho? – perguntou ao moreninho, que estava sonolento.

Mike: Mamadeira. – colocou a mão na boca.

Os dois se entreolharam, Arthur olhou no relogio e já ia dar 09hrs00min. Caraca, agora pouco eram cinco da tarde, o tempo voou.

Thur: Escuta, voce sabe onde tem um hotel por aqui? – saindo do carro e se virando outra vez para o empregado do posto.

Frentista: Parece que tem um a uns quinze ou dez quilometros daqui.

Arthur: Certo. – foi em direção à loja de conveniencia. Foi até as prateleiras e pegou torradas, farinha lactea, leite em pó, biscoitos, batatinhas, e balas, comprou também fraldas descartaveis. Foi até o freezer e pegou refrigerantes, agua e iogurte. – Boa noite. – sorriu para a senhora do caixa.

Caixa: Boa noite. – sorriu e começou a passar as compras.

Thur: Aqui vendem mamadeiras? – tirando a carteira do bolso.

Caixa: Pode ser pequena? – Thur assentiu. – Ali ainda deve ter algumas. – apontou para uma grade onde tinham chupetas e mamadeiras. Ele foi até lá e pegou uma.

Thur: Quanto deu? – a mulher respondeu e ele pagou. – Eu posso usar seu telefone? – a mulher assentiu e ele pegou o telefone. Discou os numeros e esperou atender. – Alô.

Telefonema.

Chay: Porra cinderelo, onde voce se meteu? – disse assim que ouviu a voz do moreno.

Thur: Nós saímos um pouco daí. – suspirou. – Precisamos ficar longe desse povo…

Chay: Cinderelo, voce é o cara! – riu. – Precisava ver a situação que ficou quando voces sairam. O pai dela te xingou de tudo o que era nome, o noivo dela coitado… Foi embora pelos fundos e nem acredita quem estava o consolando…

Thur: Quem?

Chay: Katy, cara! – dizia afobado. – Ela saiu com ele, à mãe dele foi para o hospital, tava com pressão baixa. Mas não se preocupe, ela está bem.

Thur: Que bom que está tudo bem, depois voce me conta o resto. Mas eu te liguei pra pedir um favor.

Chay: Pois fale.

Thur: Vai lá em casa e dá comida pro cachorrinho do Mike, e depois leva ele pra casa da minha mãe, e explica tudo pra ela, fala que eu vou ficar pelo menos uma semana fora e fala pra ela não se preocupar com nada.

Chay: Já é cara, se cuida, e cuida da Pati.

Thur: Valeu parceiro, abraços. – desligou aliviado.

Fim do Telefonema

Agradeceu a mulher e saiu. – Tudo certo aí?

Frentista: Certinho, deu noventa dolares. – sorriu limpando as mãos na flanela.

Arthur pagou e entrou no carro.

Thur: Aqui amor, trouxe sua agua e suas torradas. – entregou para ela que sorriu. – Filho o papai comprou sua tuca, mas tem que fazer ainda, enquanto a gente não chega ao hotel toma iogurte. – entregou a garrafinha pra ele.

Lua: Love, ele está dengoso… – disse abrindo a garrafa de agua. – É melhor eu ir lá pra tras com ele. – tomando um longo gole de agua e abrindo a porta. Sentou lá atras com o filho. – Droga esse vestido já está enxendo o saco. – bufou.

Thur: Espera só um pouquinho amor, a gente já está chegando ao hotel. – piscou pelo retrovisor enquanto arrancava com o carro.

Lua: Vem aqui bebê. – o colocando no colo. – Quer iogurte? – o moreninho assentiu e ela abriu a garrafinha.

Ele dirigiu mais um tempo, já eram quse 10hrs30min quando chegaram ao hotel, tinha uma aparencia boa. Estacionaram o carro e foram até a recepção, onde tinha um balcãozinho de madeira e uma loira mastigava um chiclete, Lua olhou ao redor e não era tão mal, melhor do que dormir no carro.

Loira: Pois não… – fazendo uma bola de chiclete e olhando insinuante para Arthur.

Lua fez um bico, será que aquela loira idiota não estava vendo-a ali, com o filho dele no colo?

Thur: Eu preciso de um quarto… – sorriu sem graça.

Loira: Só pra voce? – sorrindo.

Thur: Não, pra minha mulher e pro meu filho, também. – Lua tinha adorado ouvi-lo dizendo que ela era sua mulher, soou tão lindo, sorriu satisfeita enquanto a loira a encarava.

Loira: Ah, claro… – fez outra bola de chiclete e buscou uma chave. – Quarto 130, às oito e meia servimos café da manhã, e o almoço ao meio dia em ponto.

Arthur acertou tudo e foram para o quarto, o quarto era bem aconchegante, tinha uma cama de solteiro e uma de casal. Tinha ar-condicionado, uma TV com DVD, uma comoda, um frigobar, e tinha um banheiro, amém!

Mike: Mamãe, soninho. – com bico de choro enquanto coçava o olhinho.

Lua sorriu e tirou a roupinha dele, a gravatinha, a blusinha, ele estava tão fofinho com aquela roupinha formal, guardou a roupinha dele e tirou tudo, tirou aquele vestido, pela graça de Deus, não estava aguentando mais.

Vestiu um roupão que tinha ali e entrou com o filho para dar banho, deu banho no pequeno, um banho morninho, e voltou para o quarto, Arthur já estava terminando de preparar a mamadeira dele. O enxugou e colocou a fralda nele. Arthur entregou a mamadeira e ela deu a ele, ficaram um pouquinho mimando o pequeno, que logo estava dormindo.

Thur: Ufa. – os dois sorriram. – Até que enfim ele dormiu.

Lua: Aham. – os dois se encararam. – Te amo… – deu um beijo nele.

Thur: Vamos tomar banho juntos? – disse safado enquanto tirava a blusa.

Lua: Aham… – mordeu o lábio inferior, ele a beijou outra vez, a pegou no colo sem parar o beijo, enquanto ia em direção ao banheiro, o beijo estava quente. Arthur a colocou no chão e desamarrou o nó do roupão dela, revelando a lingerie negra…

Thur: Tudo isso era para o Frank? – disse debochado.

Lua: Nem me fale… – o puxando novamente para um beijo, queria ficar com ele, apenas com ele, não queria saber de Frank. Desabotoou a calça dele e a desceu com cueca e tudo, revelando a potente ereção. – Eu te amo tanto Thur… – disse enquanto envolvia o membro dele em suas pequenas mãos, e o acariciava. Arthur suspirou. Ele não estava em condições de esperar as preliminares, precisava tê-la urgentemente. Sem dizer nada a pegou pelo braço e a levou até o vaso, tirou a calcinha com pressa e pôs uma perna dela em cima, fazendo-a se abrir e a penetrou com força fazendo-a gemer.

Lua: Oh Thur… – apoiando as mãos na parede, enquanto recebia as estocadas brutas em sua intimidade.

Ele gemia abafado enquanto tirava o sutiã dela, o jogou do outro lado do banheiro e apalpou os enormes seios da amada, ela apoiou a cabeça no ombro dele sentindo o êxtase tomar conta de seu ser, sentiu a mão dele deslizar por sua barriga e chegar ao seu ponto mais sensível, ele acariciou o clitóris pulsante fazendo-a revirar os olhos de aperreio, estava demais. As estocadas eram cada vez mais frenéticas e o fim estava próximo.

Depois de quatro delas, os dois gozaram violentamente.

Thur: Você é maravilhosa… – beijando as costas dela, recuperando a respiração. – Te amo.

Lua: Também te amo. – se virando e dando um selinho. – Vamos tomar banho? – ele assentiu e os dois foram em direção ao banheiro.

Em meio a beijos e amassos, acabaram fazendo amor de novo. Terminaram de tomar banho e logo estavam abraçados na cama.

Lua: Não dá pra acreditar… – riu. – Onde que eu iria imaginar que hoje eu estaria aqui, em um hotel no fim do mundo, com o homem que eu amo, e o meu filho. Eu jurava que estaria casada agora.

Thur: E se eu não estivesse ido te buscar hein? – ela subiu a cabeça. – Onde estaria agora?

Lua: Provavelmente em Paris, na minha lua-de-mel, ou lua-de-sal, o que você preferir, eu iria estar um caco mesmo. – deu de ombros o fazendo rir.

Thur: Seu pai deve estar querendo me matar… – sorriu de canto.

Lua: E você está com medo? – o encarou divertida.

Thur: Nem um pouco. – dando um beijo na cabeça dela. – Eu te amo, e você é o que me interessa.

Lua: Oh meu amor… – apertando o nariz dele. – Também te amo. – ele sorriu.

Thur: Tenho que pedir uma coisa… – disse levantando. Deixando-a confusa.

Lua: O que? – observando-o ir até a calça e pegar uma caixinha. – Está me deixando curiosa…

Thur: Não precisa ficar curiosa. – voltando para seu lugar na cama. – Eu não sei se vai aceitar, mas mesmo assim eu vou pedir. – ela sentou-se na frente dele. – Lua Maria Blanco, quer casar comigo? – abrindo a caixinha e mostrando um singelo anel, era modesto, mas incrivelmente lindo… Ela sentiu os olhos marejarem, era aquilo mesmo? Ele estava a pedindo em casamento ali? Abriu um sorriso de orelha à orelha.

Lua: É claro que eu quero meu amor… – disse depressa o enchendo de beijos. – É o que eu mais quero nesse mundo! Eu te amo.

Thur: Então você aceita mesmo? – parecia não acreditar, ela assentiu. Ele estava nervoso. Pegou o anel da caixinha e ela estendeu a mão.

Thur: E esse anel? – perguntou ao puxar a mão dela, observando o lindo anel de diamantes.

Lua: Meu anel de noivado, o Frank me deu.

Ele suspirou… Será que ela iria querer trocar um anel tão divino, por aquele tão simples que ele tinha pra lhe oferecer? Ela o encarou confusa e depois entendeu e sorriu.

Lua: Olha o que eu faço com esse anel… – se levantando e indo até a janela, ele arregalou os olhos ao ver que ela abria a mesma. Ela tirou o anel e mostrou a ele, depois o arremessou pela janela fazendo o mesmo voar e se perder por ali. – Tchau anel… – deu tchauzinho arrancando sorrisos dele. – Agora coloca aqui. – estendeu a mão, ele sorriu simples e pôs o anel no dedo dela, que sorriu satisfeita. – Pra mim esse aqui é milhões de vezes mais valioso que o outro… – piscou e o beijou com sofreguidão, queria que ele soubesse que ela não se importava com mais nada disso, ela só queria ser feliz com ele, apenas.

Thur: Minha noiva. – disse orgulhoso.

Lua: Meu noivo. – deu outro beijo nele, ficaram ali se curtindo e vendo um filme, de repente ele levanta, parecendo assustado. – O que foi Love? – confusa.

Thur: Nós não usamos camisinha… – pensativo. Ela sorriu. – Não se preocupe, talvez amanhã a gente chegue a alguma cidade e eu procuro uma farmácia e… – ela o interrompeu.

Lua: Não vou tomar nada.

Thur: Não? – ela assentiu sorrindo. – Por quê? – sorrindo de canto.

Lua: Eu não sei… Não quero tomar. – mordeu o lábio. – Se for pra eu ficar gravida outra vez eu quero…

Thur: Tem certeza?

Lua: Sim… Por quê? Você não quer? – confusa.

Thur: É claro que eu quero, mas foi tão difícil pra você da primeira vez, eu não quero que sofra mais e… – ela pôs o dedo indicador nos lábios dele.

Lua: Tudo isso vale a pena. Não tem coisa melhor do que ser mãe. – os dois sorriram olhando o pequeno dormir profundamente. – Mas ainda não sabemos Thur. Talvez eu nem tenha engravidado.

anonymous asked:

O que fazer quando vc ta apaixonada por um professor que tbm ta apaixonado por vc, que namora durante 9 anos, mas o relacionamento é uma merda e vcs simplesmente não podem fica junto por causa de uma sociedade julgadora?

Quantos anos você e ele tem? Não quero julgar, mas entender tudo e.e como descobriram que estão apaixonados e tudo mais.

anonymous asked:

Vc n acha estranho ficar "famosinho" logo depois que "descobriram" que vc é homem??

Sim 

inxsomnus asked:

eu LI TUa url tipo assim: pxrokinesis.. pirok lol PIROK -qqNN (Ai mds) SJAISJAISJI

What is your first reaction when you see my URL?

[ omh. Me descobriram. 

( único bolo que combina com você) FAAAAAAALA GURIA DO MY CORASSYON CAPIXABANO SOFRIDU ♥ OOOOH-QUE FALA DELA NESSE DIA NORMAL ?? Porra nenhuma 😃 ▲▼▶◀◀▶▼▲◀▶▼▲◀▶▼▲◀▶▼▲◀▶▼▲◀▶▼▲ Mentira, pessoa especial como bunda de cabrito, delicada como Abraço de urso, amorosa como picada de abelha e cheirosa como merda de vaca. ▲▼▶◀▲▼◀▶◀▶▼▲▼▶◀▶▼▲▼▶◀▶▼▲▼▶◀▶ Eu acho que você deve ser alguém muito especial, porque mais de um milhão de pessoas fazem aniversário hoje, e eu me lembrei justamente do seu! Sabe, no outro dia eu vi uma reportagem interessante. Cientistas descobriram que pessoas que comemoram muitos aniversários têm a vida mais longa; Então te desejo muitos aniversários! Estou muito feliz por poder festejar com você. Afinal, um aniversário como o seu só acontece uma vez por ano! ▲▼▶◀▲▼▶◀▲▼▶◀▲▼▶◀▲▼▶◀▲▼▶◀▲▼▶◀ Sabe, eu acredito que os aniversários são uma maneira da natureza dizer para a gente comer mais bolo. E por falar em bolo, está ficando quente aqui ou são todas as velas do seu bolo? Apesar de toda a sua idade, você nunca deve se envergonhar e nunca deve mentir sobre a sua idade, a não ser no caso de uma emergência, por exemplo, se alguém pergunta quantos anos você tem. Eu não consigo ser sério. Mas agora prometo que vou tentar. Lembre-se sempre destas palavras: esqueça o seu passado, ele está lá atrás! Esqueça o seu futuro, não adianta planificar demais! E acima de tudo, esqueça o seu presente, porque eu também esqueci! ▲▼▶◀▶▼▲◀▶▼▲◀▶▲▲▼◀▶▼▶▲▼▶▶▼▼▶◀ Toda vez que fecho os olhos é pra te encontrar A distância entre nós não pode separar O que eu sinto por você, não vai passar Um minuto é muito pouco pra poder falar A distância entre nós não pode separar E no final, eu sei que vai voltar 🎶🎶 🎶🎶 ▲▼▶◀▶▶▲▼▶◀◀▶▲▶◀◀▶▶▲▲▶◀◀▶▼▲▼▶ ▲▼▶◀◀▶▼▲▲▼▶◀◀▶▼▲▶◀◀◀▶▼▲◀▶▶▶▼ Piuí Piuí, Piuí Abacaxi Choque choque choque, choque por aí 🎶🎶 ▲▼▶◀◀▶▶▼▲◀▶▼▲▲◀▶▼▲▲▼▶◀◀▶▶▼▲▶ Hoje é o aniversário sa pessoa mais babaca, idiota, otária e lerda que eu já conheci na minha vida. E eu simplesmente não consigo não amar essa fresca, uma pessoa que esteve comigo na época das vacas gordas, vacas magras, vacas com cirrose, vacas com aids e na época que nem vacas sequer eu tinha. Uma tia meio irmã que é de priquita diferente e da cor não identificada ainda por cientistas, mas quem te conhece sabe o significado “amigo para todas as horas. ” ▲▼▶◀◀▶▶▼▲◀▶▼▲▲◀▶▼▲▲▼▶◀◀▶▶▼▲▶ Garota, me deixe te amar E eu te amarei Até você aprender a amar a si mesma Garota, me deixe te amar E todos os seus problemas Não tenha medo, garota, deixe-me ajudar 🎶🎶 🎶🎶 ▲▼▶◀◀▶▶▼▲◀▶▼▲▲◀▶▼▲▲▼▶◀◀▶▶▼▲▶ Você deveria saber que eu te amo Mesmo que eu não diga muito 🎶🎶 🎶🎶 ▲▼▶◀◀▶▶▼▲◀▶▼▲▲◀▶▼▲▲▼▶◀◀▶▶▼▲▶ Tia tia tia tia tia tia tia tia que você tenha sucesso nessa carreira que ganhe muito dinheiro pra dividir comigo, que ganhe presentes do Coelho de Natal. Que hoje e sempre você lave o sovaco e pare de comer catarro verde limão ( o verde escuro pode ), que se cuide pra viver para sempre e conte pra sua avó que você é avó dela. Não vou desejar amores porque eu e o teco já preenchemos essa vaga, mais eu que ele. ▲▼▶◀◀▶▶▼▲◀▶▼▲▲◀▶▼▲▲▼▶◀◀▶▶▼▲▶ Eu sinto sua falta com certeza Botei cartas na mesa Revelando o meu gostar É puro sentimento amor 🎶🎶 🎶🎶 ▲▼▶◀◀▶▶▼▲◀▶▼▲▲◀▶▼▲▲▼▶◀◀▶▶▼▲▶ Acho que tá bom, porque sei ? Não sei o que mais escrever kkkkkkkkk Antes de terminar aqui só botei as músicas pra encher linguiça. Tá bom, é isso aí, um mês quase fazendo isso, texto tá pequeno mas foi o que deu. Beijo na parte mais limpa desse corpo seduzente das arábias Paulista. ♡♡ 《《 ainda acho que você faz aniversário em novembro 》》 ▲▼▶◀◀▶▶▼▲◀▶▼▲▲◀▶▼▲▲▼▶◀◀▶▶▼▲▶ some-tears

Em 1492, os nativos descobriram que eram índios,
descobriram que viviam na América,
descobriram que estavam nus,
descobriram que existia o pecado,
descobriram que deviam obediência a um rei e a uma rainha de outro mundo e a um deus de outro céu,
e que esse deus havia inventado a culpa e o vestido
e havia mandado que fosse queimado vivo quem adorasse ao sol e a lua
e a terra
e a chuva que a molha.

.
.
Eduardo Galeano
Imagem ©Reuters/Ueslei Marcelino

Amar

Dizem que amar é algo involuntário do ser humano, você pode dar inúmeras razões pra explicar seu amor por alguém, mas na verdade você, sem saber, já a ama desde a primeira vez que olhou para ela sem ter precisado de algum motivo. Entretanto isso não ocorre com todo mundo, apenas com certas pessoas que passam pela sua vida. Não se sabe ao certo se é possível aprender a amar alguém, é algo que tem que ter acontecido sem perceber ou então você nunca vai amar essa pessoa. Algumas pessoas interpretam errado dizendo que aprenderam a amar alguém, mas na verdade elas apenas descobriram que o que sentiam era o tal do amor, na verdade, aprenderam a entender o que realmente sentiam.
Foi assim a três meses atrás, quando a gente se conheceu e começamos a conversar. Eu já tinha amor por você logo no inicio, mas eu não tinha aprendido a entender o que realmente sentia. Eu precisei te ver pessoalmente pra conseguir entender esse sentimento. Eu te amei desde o primeiro dia, você apareceu na minha vida e rapidamente a mudou como uma bala saindo de uma arma e assim se criou um mundo novo onde você é tudo pra mim. Você e meu chão, meu refugio, meu apoio, minha metade, minha vida. Assim como não é possível arrancar um galho de uma arvore e o colocar de volta, creio não ser possível voltar minha vida antiga sem você.

anonymous asked:

Oi!! Vc já levou namorado escondido dos seus pais para sua casa? Como foi? Eles descobriram??

Já uheuhe Eu passava a tarde só em casa então ele vinha e ia embora antes da minha mãe chegar kk, e não ela nunca descobriu \0/ kkkkkk

anonymous asked:

o que vc acha da juventude de hj em dia?

Olá, difícil hein rsrsrs, mas eu como jovem sei que a juventude tem se perdido cada vez mais. Muitos se embebedam até não lembrar o próprio nome, se auto mutilam como forma de enfrentar os problemas, outros apenas deixam de acreditar em dias melhores e cometem suicídio. A sociedade anda corrompida, os jovens não tem dado valor a moral e os bons costumes.
Acredito que há também muitos jovens felizes, decididos e no caminho correto. Jovens que descobriram o caminho certo e aceitaram a Cristo, jovens que não tem medo do futuro pois sabem que Deus está no controle.
Sinto que a maioria não só dos jovens mas de toda a sociedade tem perdido o principal dos mandamentos ordenados por Deus: o amor ao próximo como a si mesmos. Não por querer, mas a juventude não está sendo capaz de amar a si mesmo, imagina então amar ao próximo? Para mim uma boa parte da juventude está se perdendo, as pessoas estão sem Cristo. Elas deixaram de se amar, não se importam mais com os outros. Elas passaram a acreditar que que felicidade tem que ser mostrada aos seguidores do Facebook, Twitter, tumblr, instagram, e todas as redes sociais mas, não precisa ser vivida verdadeiramente. As pessoas perderam o verdadeiro foco que é Cristo. Elas se acostumaram com as tribulações do mundo e deixaram de acreditar na felicidade de verdade.
A juventude deixou de acreditar na verdadeira felicidade, na verdadeira paz, elas se conformaram com a felicidades das bebidas, das drogas, do sexo e tantas outras coisas e mesmo que lá no fundo, elas saibam que aquela felicidade não é duradoura, que aquela felicidade não é verdadeira, elas preferem se acomodar.
Tem um versículo da bíblia que eu amo relembrar Eclesiástes, 12. 1 (Lembra-te também do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos em que dirás: Não tenho prazer neles"). É por isso que eu afirmo que a juventude está corrompida, os jovens não querem se lembrar da sua mocidade. E se hoje Deus resolver pedir a alma de cada um de nós? Essa é a pergunta que cada jovem deveria ser capaz de responder ao acordar. Mas é a pergunta que fazemos questão de esquecer, nos formamos para esquecer.
Espero ter lhe respondido ^_^

Capítulo 70   2ª Temporada

–22 De Outubro

Acordei com o cachorro da vizinha latindo. Que beleza!

Peguei o celular para ver as horas.

Depois de muita preguiça, levantei.

Tomei banho, me troquei e desci.

Fiz o café da manhã, tomei e fui pra sala.

Eu: Oi Iza.

Luíza: Como você ta? O Gu, me contou.

Eu: To bem. –tranquilizo ela

Luíza: Mas e a Marina? Ela ta bem?

Eu: Ta sim. Mais tarde vou lá no hospital.

Luíza: Como descobriram no começo, ela vai ficar boa.

Eu: Vai sim. –sorrio. –Mas e você como ta?

Luíza: Ah, eu to bem.

Eu: O que aconteceu Iza?

Luíza: Renan e eu brigamos. –fala triste

Eu: Vish. Por quê?

Luíza: Porque ele foi almoçar, com uma ex e me disse que era prima dele.

Eu: Sério? Que cachorro. Então vocês estão brigados desde ontem?

Luíza: Anhãm. Ele me irrita demais cara.

Eu: Sei bem como é. –dou risada

Luíza: Não quero falar disso.

Eu: Okay. –sorrio. –Do que você quer falar?

Luíza: Você e o Luan estão bem? –pergunta curiosa

Eu: Estamos sim. –falo sorrindo

Luíza: Que milagre que vocês não brigaram mais. –ri

Eu: -rio. –Esses dias ele me disse que faz tempo que não brigamos.

Luíza: Acho que ele ta com saudade. –da risada

Eu: Ele também falou isso. –rio. –As vezes da vontade de brigar com ele, principalmente quando ele me irrita, mas eu me seguro.

Luíza: Sério?

Eu: Anhãm. Prefiro não brigar. Guardo toda a raiva pra mim.

Luíza: Como eu queria fazer isso também.

(…)

Eu: Então na quarta ela já começa a fazer os exames?

Sérgio: Isso, e aí quando todos os resultados saírem, poderemos começar a quimioterapia.

Eu: Tudo bem.

Sérgio: Marina, você está de alta. –sorri e sai

Eu: Se vai lá pra casa ta?

Marina: Ta bom.

Depois da Marina ter assinado os papeis fomos embora.

Assim que chegamos em casa, o Lipe veio correndo pra abraçar a mãe dele.

A Mary estava tomando conta dos meninos, e o Luan ainda dormia.

Almoçamos e ficamos no quintal aproveitando o sol.

Marina: Nossa como o Breno ta esperto.

Eu: E muito arteiro também. –rimos

Marina: Ele fala muito né? Normalmente crianças de um ano quase não falam.

Eu: O Luan sempre cantou muito pra ele. E também eu incentivava. –ela sorriu e ficamos em silêncio

Marina: Desculpa Ana. –me olha

Eu: Pelo que? –pergunto sem entender

Marina: Por tudo que eu te fiz passar… –olha pra chão. –Eu sempre te fiz coisas ruins e você sempre me ajudou. –me olha com lágrimas nos olhos

Eu: Eu não tenho raiva de você. Cara somo irmãs. Só to fazendo o que você também faria por mim.

(…)

“Porque ter amiga com bom gosto é outro nível. Brigadinha gata! @luizabarreto”

Eu: Sai Luan. –falo rindo

Luan: Cê é chata hein’. –me solta fingindo estar triste

Eu: Não estamos sozinhos amor. Temos visitas em casa.

Luan: Hum. –cruza os braços e senta na cama

Eu: Ai meu Deus. –dou risada e sento no colo dele. –Para de ser dramático homem. –rio

Luan: Não sou dramático. –coloca as mãos em ambos os lados da minha cintura

Eu: Como suas fãs te aguentam? –pergunto sorrindo

Luan: Elas me amam de verdade. –sorri

Eu: E eu não né? –finjo estar chocada. –Bom saber.

Luan: Nossa mai que muiézinha dramática essa minha. –me da um selinho

Eu: Não sou dramática. –imito ele que da risada

Nos encaramos rindo, e eu coloquei minhas mãos no rosto dele, aproximando-o do meu.

Dei um selinho nele e começamos á nos beijar.

Carinhosamente. Do jeitinho que só ele sabe fazer.

Eu: Tenho que fazer a nossa janta. –sorrio perto da boca dele

Luan: Ta bom. –sorri e beija meu pescoço. –Eu preciso ir no Dudu, resolver umas coisas das músicas pro DVD.

Eu: Ah. –sorrio e levanto. Ele faz o mesmo me puxando pela cintura e me beijando intensamente.

(…)

A semana passou assim.

O dia da gravação se aproximava a cada dia mais.

Os shows estão tomando muito tempo do Luan, então ele não para em casa.

E a Marina começou a químio, mas ela vai precisar fazer a cirurgia para a retirada do tumor, que está crescendo. Mas ainda temos muitas chances de cura.

Outro dia Luan e eu discutimos por telefone. Eu impliquei com uma foto que me mandaram no twitter, dele com uma loira seminua. Mas nos resolvemos minutos depois.

Acho que nós dois não aguentamos ficar muito tempo sem brigar. Faz parte gente. Mas nos resolvemos logo.