Imagem da semana: ‘Chernobyl brasileira’

Um dos maiores acidentes radioativos da história aconteceu no Brasil – não com uma usina nuclear, mas com uma simples máquina de radioterapia. Em setembro de 1987, uma cápsula contendo o isótopo radioativo césio-137 utilizado no equipamento foi aberta por catadores de sucata desavisados, o que resultou na contaminação de centenas de pessoas, em mortes e em uma herança sinistra que persiste até os dias de hoje para seus parentes, vizinhos e todo o pessoal que atuou na descontaminação da região. 

O acidente aconteceu quando catadores de sucata invadiram o antigo prédio abandonado do Instituto Goiano de Radiologia. Lá, encontraram um equipamento que tinha em seu interior uma cápsula blindada com o isótopo césio-137. Levado para casa, o receptáculo com o material radioativo foi rompido, revelando um pó azul que emitia um fascinante brilho no escuro. A ‘descoberta’ atraiu a atenção de vizinhos e parentes e alguns chegaram a levar sua própria porção do produto mortal para casa. 

O acidente em si foi descoberto pelas autoridades dias depois. No total, eram apenas 19 gramas de césio, mas foi o suficiente para contaminar diretamente mais de duas centenas de pessoas e produzir 13 toneladas de lixo atômico. O material contaminado foi guardado após o acidente num abrigo isolado.

A família do catador de sucata que ficou com a cápsula e os seus vizinhos, pelo contato mais direto que tiveram com o elemento, apresentaram os sintomas mais graves. Na época da tragédia, quatro pessoas morreram. Hoje, centenas, entre radioacidentados, seus filhos e netos, recebem assistência médica, odontológica e psicossocial, além de uma pensão do governo. Muitas delas sofrem com osteoporose, problemas dentários, de pele e do sistema nervoso causados por mutações genéticas associadas à exposição ao césio (cujos efeitos podem se propagar até a terceira geração após a contaminação). Um ponto polêmico, o possível aumento da incidência de casos de câncer nessa parcela da população, ainda não foi confirmado oficialmente por nenhum estudo, embora seja muito destacado pelas vítimas.

Nesses mais de 25 anos, só foram reconhecidas oficialmente 14 mortes relacionadas diretamente ao acidente em Goiânia. Alguns grupos afetados, como os parentes dos militares que atuaram na descontaminação, sequer foram classificados oficialmente como expostos ao elemento radioativo e ainda lutam por esse reconhecimento e pela atenção governamental.

Alguns meses após o acidente, em 1988, a revista Ciência Hoje publicou um caderno especial que detalhou a ação do césio-137, explicou o processo de descontaminação e monitoramento do local, abordou as possibilidades de armazenamento do lixo radioativo e analisou as causas, responsabilidades e consequências da tragédia. Leia a primeira parte desse material histórico: http://cienciahoje.uol.com.br/revista-ch/acervo/Autos-de-Goiania.pdf

Mais de duas décadas depois do acidente, o césio ainda faz vítimas em Goiânia, causando osteoporose, doenças de pele e alterações no sistema nervoso: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2011/04/radiacao-um-problema-tambem-brasileiro

Exposição fotográfica relembra o episódio e homenageia bombeiros, enfermeiras, militares e policiais que ajudaram na descontaminação: http://cienciahoje.uol.com.br/blogues/bussola/2011/05/maos-de-cesio-os-trabalhadores-por-tras-da-tragedia/

O episódio de Goiânia aconteceu cerca de um ano depois do famoso acidente de Chernobyl, na União Soviética. Ainda hoje a cidade de Pripryat repousa silenciosa como um fantasma atômico. Confira uma impressionante galeria de imagens: http://cienciahoje.tumblr.com/74856878991  

Professor de química organiza textos sobre a ciência por trás de desastres como o acidente com o césio-137: http://cienciahoje.uol.com.br/blogues/bussola/a-quimica-dos-desastres

Desastre japonês aumentou as dúvidas sobre o uso da energia nuclear, mas também serviu para revisão completa dos procedimentos de segurança no mundo: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2013/05/o-patinho-feio-e-a-aposta-nuclear/

Colunista fala de riscos, incorreções e expectativa que cercaram a tragédia de Fukushima: http://cienciahoje.uol.com.br/colunas/terra-em-transe/japao-o-impensavel-aconteceu/ 

Especialistas, sociedade civil e agências do governo debatem as perspectivas de diversificação da matriz energética brasileira e os planos de exploração da energia nuclear no país: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2013/05/uma-carteira-diversificada/

A física nuclear nas artes e na arqueologia: http://cienciahoje.uol.com.br/banco-de-imagens/lg/protected/ch/262/fisica_nuclear262.pdf/

 A energia nuclear e seus usos na sociedade: http://cienciahoje.uol.com.br/revista-ch/revista-ch-2005/220/a-energia-nuclear-e-seus-usos-na-sociedade/

Artigo aborda a questão dos rejeitos da energia nuclear: http://cienciahoje.uol.com.br/revista-ch/revista-ch-2001/169/pdf_fechado/USINAS.PDF/

(foto de abertura: Matti Mattila/ Flickr - CC BY-NC-SA 2.0)

Confira a galeria completa de nossas “Imagens da Semana”.

Leia mais novidades sobre história e química na página da Ciência Hoje On-line

Sexy traz ensaio com aeromoça que foi demitida por usar uniforme justo

Sexy traz ensaio com aeromoça que foi demitida por usar uniforme justo


A paulistana Jaqueline Jatai é aposta da revista “Sexy” para a edição de outubro. Desconhecida, a aeromoça atraiu a atenção da publicação após viver o drama de ser demitida de uma grande companhia aérea por estar usando um uniforme justo demais.

“A chefe de voo ficou incomodada com o meu uniforme, que era igual ao das outras aeromoças, e me mandou sair do avião. Acontece que eu tenho um quadril…

View On WordPress

Templo Zen-budista Kinkaku-ji - Kioto - Japão

O templo Zen-budista Kinkaku-ji, conhecido como Pavilhão Dourado, está na beira de um lago e coberto com uma película de ouro.


Um pequeno e singelo templo budista defronte a uma tímida lagoa, tendo ao fundo um amplo bosque, é o símbolo de Kyoto e uma das imagens mais reconhecidas do Japão. 

Tudo por conta de suas estruturas de madeira folheadas a ouro. 

O Shokokuji, nome oficial do Kinkakuji, o Templo do Pavilhão Dourado, foi construído em 1397 pelo poderoso xogum Yoshimitsu Ashikaga como uma vila de descanso, este seria transformado em templo após a sua morte. 

Sua delicada beleza sempre atraiu muitos turistas de dentro e fora do Japão. Em 1950, um aprendiz de monge obcecado com as formas do Pavilhão de Ouro ateou fogo às suas estruturas, destruindo-as completamente. O edifício atual data de 1955. Essa história é narrada, com tons ficcionais, pelo não menos atormentado escritor e poeta Yukio Mishima.

O Kinkakuji encontra-se em meio a jardins e bosques do templo zen-budista Rokuonji, na parte norte da cidade. O passeio é bastante agradável, em qualquer época do ano, mas não é possível entrar no pavilhão dourado propriamente dito.


Veja também: Templos no Japão 
 

Fonte: viajeaqui



via Você realmente sabia? Foto Arte http://ift.tt/1sXedwM
As minhas memórias estão frescas, mas sei que isso não irá durar para sempre. Aos poucos, eles vão sumindo. Aos poucos, os pequenos detalhes que achei que havia guardado para sempre vão se esvaindo.
Quando te vejo, tento reparar em cada detalhe, para nunca esquecer de você. Porém, cada vez está mais díficil; Quando te vejo, saio de mim, é como se meu mundo acabasse! O jeito sério de não aceitar brincadeiras, e de xingar as pessoas quando você na verdade gosta delas, me atraiu de um jeito que não tem explicação!
Mas, para o bem de nós dois, preciso esquecer tudo isso…essa é a melhor forma de não sairmos machucados, pois uma história sem pretensão de acontecer, e você é alguém proibido para mim.
#Memoriesarefresh
—  Memories-arefresh

Eu não compreendo aquelas mulheres que quando lhes metem os cornos, em vez de se irem vingar no gajo, vingam-se na side chick. É que a dor de corno e a insegurança/vergonha deve ser tanta que elas nem pensam bem, so pode. Acho que n é preciso dizer que a side chick fez bem pois obviamente não fez, mas vamos lá pensar: 1- quem é que tinha um compromisso contigo? O homem. 2- Quem é que dizia aquelas coisitas todas fofitas e te dava prendas e dizia que eras isto e aquilo pra ele (petas, como depois se vê) ? O homem. 3- Quem é que sabia o quanto te estava a magoar enquanto dava uma cagada na vossa, duradoura ou não, relação? o homem. 4- Quem é que tinha perfeita noção do que fazia e mesmo assim o fez? o TEU homem. É que nem vale a pena vir com as cenas do ‘ah mas ela atraiu-o e ele n conseguiu resistir’ é aeee pessoau, pessoas nao são cães com cio. A outra mulher, pralem de nao ter qualquer tipo de compromisso contigo, secalhar nem sonhava que havia outra, tal como tu não sonhavas de outras até de facto descobrires. Por isso parem de pensar com a cona sf têm um cérebro dêm lhe uso, não pó. But then again, uma pessoa aceita da outra pessoa numa relação, o que ela propria faria, por isso… desde que não tenham filhos com esses genes burros tá tudo bem. 

Simplesmente, caguem na gaja. ya as vezes elas curtem ser so putas, mas desperdicar tempo com putedo tambem não. 

O físico nunca me atraiu tanto. Sempre tive a convicção que o que vem de dentro para fora é mais importante. O mundo interior é muito mais bonito que o mundo exterior. E apesar de quase sempre ruir ao chão, não perde a sua importância e muito menos a verdadeira beleza que possui. O invisível sobrevive quando o visível morre.
— Um coração valente

Sabe por que ela te parece tão inspiradora? Porque ela é uma filha da puta. Que te trocou por outro, não respondeu as tuas mensagens, cuspiu na sua dignidade e continua sendo musa das suas poesias.
Ela não tem uma bunda insubstituível, nem faz um sexo sensacional, nem tem a sensualidade de uma deusa – o que tornaria, talvez, explicável toda essa obsessão patética. Só há uma diferença verdadeiramente expressiva entre ela e aquela moça que te elogiou o sorriso: é que ela não te quer. Ela tornou-se inalcançável e isto te atraiu de uma maneira que você simplesmente não consegue lidar. Que grandessíssimo babaca é você, deixando mulheres sensacionais para trás enquanto se ocupa em remoer o desprezo de quem simplesmente não te ama mais.
Você parece tão adulto, mas que grandessíssimo babaca – amando sem ser amado pelo simples prazer de protagonizar um pseudodrama imbecil.
Quer saber de uma coisa realmente dolorosa – e da qual um imbecil como você é completamente merecedor? – ela não te quer. Nem por um diazinho. Nem pra lamber-lhe os sapatos e lavar-lhe as calcinhas. Ela deixou de te querer quando percebeu que continuar te querendo era o primeiro passo pra deixar de te merecer. Porque um homem como você só se contenta com o impossível, com o difícil, com o problemático – e, embora você seja realmente muito filho da puta, quem sou eu pra te julgar? Eu também gosto dos filhos da puta.
Mas, acredite, ela faria qualquer coisa pra se ver livre dessa sua patética dor de cotovelo. Ela não vê, mas seria tão simples: a ela bastaria se apaixonar por você. Ouvir tuas palavras, te aquecer numa noite fria, tomar uma cerveja com você no fim do expediente. Cuidar bem do teu amor.
E então, ela deixaria de ser sua musa inalcançável para tornar-se um inconveniente, um infortúnio. Deixaria de ser venerada para ser simplesmente indesejada no momento em que correspondesse a estes anseios ridiculamente exagerados que você alimenta. Ela ouviria um milhão de nãos no instante em que te dissesse sim. Por que um homem como você não ama o amor: ama a conquista, a vitória, o triunfo. Um homem como você é babaca demais pra perceber: ela só é tão sensacional porque não ser mais tua.

Não é o que eu estou acostumada a fazer
Só quero te experimentar
Eu estou curiosa sobre você
Atraiu minha atenção
—  Katy Perry

Elle Fanning as Hermione Lewis  14  OCUPADA

“I’m wee devil!”

Nas histórias;

Harris, Hubert e Hamish são adoráveis, ruivos, e sempre prontos para agitar um pouco de malícia, especialmente se os doces estão em jogo. Eles podem se comunicar sem palavras com seus sorrisos manhosos, olhares sutis e risos velhacos. Este trio de tomada problema é particularmente interessado em esgueirando através das passagens secretas do castelo, misteriosamente aparecendo do paredes, e jogando truques inteligentes em todos, especialmente seu pai, o Rei Fergus. Eles compartilham um vínculo especial extra com a sua irmã mais velha, Merida, que está entre os poucos que realmente podem distingui-los.

Quando Elinor é transformada em um urso, os trigêmeos ajudarm Merida, que negocia para dar-lhes a oferta de sobremesas de um ano, para fazê-la escapar do castelo, desviando Fergus e os senhores longe de Elinor. Usando as passagens secretas do castelo, um sapo em uma vara e rugindo em um vaso, que atraiu e prendeu-os no topo de uma torre de vigia. Eles também são transformados em filhotes de urso depois de comer o bolo mágico. Isso, no entanto, não os impede de ajudar Merida novamente depois que ela é aprisionada por seu pai como ele perseguiu Elinor, que foi confundido com Mor’du. A pedido de Merida, eles prosseguiram a sua babá Maudie, que tinha a chave. Depois, então, andaram com Merida, uma vez que perseguiu o grupo de caça. Os trigêmeos abordam Fergus, que ficou surpreso quando Merida revelar quem eram. Eles voltam à sua forma humana, ao mesmo tempo em que Elinor, embora nus. Como os três clãs partem, os trigêmeos arrumar a bordo de um dos barcos. Fergus toma conhecimento e persegue-os em um barco a remo com seus dois cães.

 Na vida real;

Os Lewis são uma das famílias mais ricas de uma pequena cidade na Escócia, vivendo em uma mansão com decoração antiga e mobília de séculos passados, tudo como um legado deixado por seus ancestrais escoceses, vindos de uma linhagem de puro sangue.
Hermione possuia uma vida feliz na escócia. Garota de trigémeos, a menina nunca se sentia só quandoe stava com os seus irmãos .
A sua mãe , Elinor, estava sempre ocupada com a sua irmã mais velha Merida e por isso a menina nunca teve a educação de uma lady ,como a sua mãe desejava á mais velha. Ao contrário de Merida, Hermione tinha a liberdade toda que queria, como os seus irmãos gémeos e se não tinha liberdade por causa da babá, arranjavam sempre uma forma de a ter pregando uma enorme partida ás babás que lhe eram fornecidas pela mãe.
As atitudes dos gémeos não mudaram com o passar dos anos. Hermione se acalmou mais um pouco mas se algums dos irmãos pedisse para pregar uma partida e precisa-se de um conselo ela dá com todo gosto.
A mudança para Lake City deixou a menina um bocado frustrada. Ela deixou uma vida para atrás , a escócia era o seu lar e a sua vida e não iria mais para lá. Mas como a razão era a sua irmã mais velha, o ódio que tinha diminuiu e deixou-se aproveitar pela mudança e as novas aventuras.

Personalidade;

Divertida e simpática. Hermione também pode ser um pequeno diabo vestido de um anjo. Ela também é demasiado inteligente para sua idade e demasiado cínica também, devido não ter tido a devida educação de uma lady como a sua mãe deseja. Hermione também é um espirito livre que não gosta que ninguém lhe diga o que fazer e quando fazer. Se alguém lhe der uma ordem , sem ser os seus familiares, ela é capaz de odiar a pessoa para o resto da sua vida e fazer algo tão maquiavélico que se vai arrepender lhe ter mandado fazer algo.

O que a menina mais ama fazer é andar com os seus familiares. Passear com a irmã ou pregar partidas com os irmãos são umas das muitas coisas que ela ama fazer e deseja para sempre fazer.

E mais:

▶ Filha de Fergus e Elionr Lewis

▶ Irmã mais nova de Merida

▶ Tem medo de ursos

Críticas ao existencialismo sartriano

O existencialismo ateu de Sartre, por sua natureza avessa aos dogmas da igreja e da moral constituída, atraiu muitos grupos que viam na defesa da liberdade e da vida autêntica um endosso à vida desregrada - obviamente, por um erro na compreensão do que há de essencial na concepção de liberdade elaborada pelo filósofo francês. Por razões semelhantes foi vista por muitos como uma filosofia nociva aos valores da sociedade e à manutenção da ordem. Seria uma filosofia contra a humanidade. Esta é uma das razões porque toda a obra de Sartre foi incluída no Index de obras proibidas pela Igreja Católica.

Sartre responde a isso na conferência “O existencialismo é um humanismo" em que afirma que o existencialismo não pode ser refúgio para os que procuram o escândalo, a inconsequência e a desordem. O movimento, segundo este texto, não defende o abandono da moral, mas a coloca em seu devido lugar: na responsabilidade individual de cada pessoa. O existencialismo reconhece, assim, a possibilidade de uma moral laica em que os valores humanos existem sem a necessidade da existência de Deus. A moral existencialista pretende que as escolhas morais não sejam determinadas pelo medo da punição divina, mas pela consciência da responsabilidade.

No meio acadêmico, o existencialismo foi criticado por tratar exclusivamente de questões ontológicas, e por sua defesa da auto-determinação. O existencialismo seria uma filosofia excessivamente preocupada com o indivíduo, sem levar em conta os fatores sócio-econômicos, culturais e os movimentos históricos coletivos que, segundo o marxismo e oestruturalismo, determinam as escolhas e diminuem a liberdade individual.

Em resposta a esta crítica, Sartre fez alterações ao seu sistema, e escreveu “A crítica da razão dialética” como tentativa de compatibilizar o existencialismo ao marxismo. Dos dois tomos planejados, apenas o primeiro foi publicado em vida em 1960. O segundo tomo, inacabado, foi publicado postumamente. Neste texto, afirma que “o marxismo é a filosofia insuperável de nosso tempo”, e admite que enquanto a humanidade estiver limitada por leis de mercado e pela busca da sobrevivência imediata, a liberdade individual não poderia ser totalmente alcançada.

Não se pode negar sua duradoura influência sobre os mais variados ramos do conhecimento humano. Por ser muito voltado à discussão de aspectos formadores da personalidade humana, o existencialismo exerceu influência na psicologia de Carl RogersFritz PerlsR. D. Laing e Rollo May. Na literatura, influenciou a poesia da Geração Beat, cujos maiores expoentes foram Jack KerouacAllen Ginsberg e William S. Burroughs, além dos dramaturgos do chamado Teatro do absurdo. Sartre prova sua relevância até na TV contemporânea, onde o cultuado produtor Joss Whedon costuma inserir o existencialismo em seus projetos Buffy, a Caça VampirosAngel e Firefly - o que, através da repetição descontextualizada dos jargões existencialistas, acaba por contribuir para a incompreensão e reforça preconceitos já existentes. Através de suas contribuições à arte, Sartre conseguiu inserir a filosofia na vida das pessoas comuns. ³

3

E agora sim! A novidade mais quente do mês de Setembro na Zona Leste: O Parque SABESP Mooca foi inaugurado!

Para receber a Primavera de 2014, o Parque SABESP Mooca Radialista Fiori Gigliotti foi inaugurado ontem na Mooca, um dos distritos mais tradicionais de São Paulo, na Zona Leste da cidade. Está localizado em plena Avenida Paes de Barros, a artéria maior do bairro, em frente à Estação São Cristóvão do corredor de ônibus. Com 21.200 metros quadrados, conta com equipamentos de ginástica, campo gramado e playground com piso especial para as crianças não se machucarem nas quedas. Além de um memorial ao radialista que dá nome ao parque, morto em 2006. O reservatório de água é o cartão postal do parque que atraiu milhares de visitantes em seu dia de inauguração (13 de Setembro de 2014). O projeto é todo voltado para a sustentabilidade, contando com uma exposição permanente sobre a importância da água na metrópole paulistana. O parque vai contar com um espelho d’água que ainda não foi inaugurado devido à seca que nos assola nesse momento. Sustentabilidade, lembram? É válido para tudo.

Parabéns Mooca! Esse foi o seu maior e melhor presente!

Fotos: Lucas Chiconi

Text
Photo
Quote
Link
Chat
Audio
Video