A minha avó aluga a casa a estudantes e agora tem lá três miúdas a viver. Hoje fui conhecê-las e convidaram-me logo para ficar a jantar com elas, para ficar lá a dormir, uma já me queria adoptar. Portanto, acho que conheci as miúdas mais bacanas de sempre e já arranjei companhia para a borga.

          O trabalho de um shinigami não é fácil. Você tem de ficar extremamente atento para qualquer mudança no clima ou aproximação de inimigos. Nenhum humano pode lhe ver, a não ser que você queira. Ninguém pode te matar, a não ser que baixe sua guarda. 

                                            Então, por que é tão divertido matar? 

          Já arranjei problemas suficientes para, ao menos, cinqüenta anos humanos, mas nunca aprendi nada com os sermões que me passam. Apenas os superiores sabem do jeito que faço meu trabalho, e eles não ficam nada contentes. 

          Veja bem, minha arma é uma adaga de caça. Algo discreto, se você souber onde a esconder. A lâmina curte me permite chegar perto do humano e então, o apunhalar em qualquer região de seu corpo frágil.

          O sangue que sai é maravilhoso. O sangue carmesim, com cheiro forte e gosto férreo. É simplesmente maravilhoso ver os corpos sujos pelo sangue da vítima, assim como a expressão de puro terror em seu rosto.

                                                            Eu sempre me divirto. 

          Mas não faço desse jeito porque sou mal. Eu amo os humanos. Os chamo de vítimas. Mas eu as amo. Amo tanto que… Quero ficar para sempre com elas. 

          A sensação de esfaquear continuamente um corpo vivo é realmente boa. Os músculos se contorcem, retraem e ficam tensos.  Então relaxam, porque já não existe mais oxigênio em suas veias. 

                                                                   É realmente divertido matar.

image

olha, eu sei que é a opinião de vocês mas eu acho meio machista isso, os meninos podem ficar com quem eles quiserem o quanto eles quiserem e a gente nao? Desculpa galera, mas até me senti ofendida depois dessa, quando eu era solteira ficava com quem eu queria e nem por isso me considero "laranja usada" até porque arranjei a pessoa certa e pronto uai, é tentando que se consegue. Só to falando isso porque realmente me senti ofendida.

image

ONE SHOT Harry Feito por Nathaly- Pedido

Estava em Londres a exatos 6 meses , vim para cá por causa de um intercambio mas me apaixonei pela cidade, quer dizer, também pela cidade, decidi ficar, arranjei um emprego e me estabilizei.

Conheci Harry em uma boate, ainda no primeiro mês, a filha da adorável senhora que me “apadrinhou” decidiu que eu tinha que conhecer o lado mais selvagem de Londres;Mesmo eu insistindo que preferia ficar em casa estudando ou vendo filmes. As vezes penso como tudo seria diferente se eu realmente não tivesse ido aquele dia.
Minha mente vagou em direção aquela noite, eu era a única lá de calças jeans all stars e sem dois quilos de maquiagem. Eu me sentia como o patinho feio, mas assim como na historia, me torno um cisne.
Harry me fez sentir assim, me viu em meio a tantas londrinas lindas, (ndA) disse que ele me olhava de cinco em cinco minutos, mas eu não notara até ela dizer, estava prestando muita atenção em meus tênis e no copo de vodka em minha mãos.
Ele chegou perto de mim,sem que eu eu notasse, sorrindo disse.
-Seu nome é Pedro?- fiquei confusa e respondi:
-Não, porque?-
- O meu também não, já temos algo em comum.- Não aguentei, e soltei uma gargalhada, que só parou quando ele continuou.- Tens um sorriso lindo.
Passamos o resto da noite rindo e competindo ” quem bebia mais” em um canto mais longe e menos barulhento. Era engraçado como todos dançavam e se pegavam, e nós apenas rindo e bebendo. Harry era um príncipe, respeitador e cheio de princípios, e por algum motivo confiou em mim.
Como diz Hazel Grace, me apaixonei da mesma forma que alguém cai no sono, lenta e gradativamente.
Como na canção da Taylor e do Ed, tudo tina mudado e nós só queríamos nos conhecer melhor. Ele me buscava na aula e me levava para almoçar sempre que estava de folga, e quando não, passávamos horas ao telefone como um casal adolescente.
Os meses foram passando, depois que assumimos, tudo foi se complicando.
Agora cá estou eu, chorando em um banho de banheira que já dura horas, não me leve a mal, não sou uma pessoa dramática e que fica se culpando pelos fatos, ou se achando menos do que é… Vamos contar como chegamos a isso.
Cheguei em casa da faculdade, e decidi ver um pouco de televisão antes de fazer meus deveres, liguei a televisão e meu mundo despencou. Estava passando uma reportagem, em um desses programas de fofoca, sobre a estreia do filme dos garotos, Harry tinha me dito que seria só semana que vem, mas omitir algo de mi não era o pior, todos estavam lá com suas respectivas namoradas, e Harry estava com uma linda loira nos braços, a narrador identificava como sua ex namorada modelo, e especulava que nós tínhamos brigado por causa das boates em vários pazes que ele sempre visitava,- eu realmente me sentia mal por ele sempre estar rodeado de modelos, e ter a fama que tem, mas acreditava nele,nunca briguei por isso- A “jornalista” continuava, que depois da briga eu não quis acompanha-lo a estreia, Harry ficou magoado e os paparassi desconfiarão que ele tinha ido para uma hotel com a modelo, tinham fotos, era verdade.
Agora você me entende né? desde o começo eu sabia de sua fama, sabia de toda a bagagem emocional que vinha junto com o pacote, eu aceitei dessa maneira, o amei dessa maneira, com fãs loucas, pouco tempo. Tudo!
Claro que eu não era o bastante, sou uma idiota apaixonada, como ele preferia a pequena ( s/n) sem curavas perfeitas, sem cabelo radiante, se poderia ter a loira e linda ex namorada modelo.
Escutei batidas na porta, era ele.
- Por favor (s/n) Sai dai, eu não fiz o que disseram, eu juro- ele suplicava do outro lado da porta.
- Vai embora, eu naõ quero falar com você, estou no banho, não vê?- gritei
- Sim eu sei, ( N/d/A) me disse que está ai a horas, desde que chegou da faculdade e viu aquele maldito programa, sai aqui fora, pra gente conversar.- Ele chorava, mesmo querendo dar um soco em sua cara, não podia vê-lo chorar.
- Não, além de mentiroso é surdo? não quero falar com você me deixe em paz, vai lá com sua modelo.- Gritei, voltando a chorar.
- Por favor pare…Só me ouça- ele suplicou.

Sai da banheira, me enrolei no roupão, e sentei de costas para a porta, não podia sair, mesmo odiando o que ele fez, pensar em ser a causa das suas lágrimas me dava um aperto no peito.

- Estou te escutando.- escutei um barulho fraco do outro lado, ele tinha sentado de costas assim como eu.

- Eu sinto muito, não te dou atenção o suficiente, sou um péssimo namorado, e não consigo dizer não para as pessoas que esperam algo de mim, mas eu juro, pelo meu deus, pelo seja lá  que você acredita,  não te trai. - fez-se alguns segundos de silencio

- Ainda estou te escutando- fui tudo o que eu disse.

- Os produtores acharam- ele engoliu em seco- Que por eu estar ficando com a modelo quando o filme foi filmado, eu deveria ir com ela, acharam  que ela sairia melhor em capas de revista, ia atrair atenção, me convenceram pelo contrato.Eu queria dizer não, eu juro.

- Mas não disse, pior que ser fraco e não ter sua própria opinião, é mentir, eu quero só o seu bem. Se achasse melhor terminarmos, deveria ter dito, não me feito sentir como um nada.

-(s/n), eu juro, nunca foi minha intenção, eu…- ele respirou fundo- Te amo, não quero terminar, quero você, só você.

- Quer tanto, que não poderia me dizer a verdade?- Voltei a chorar- Sabe como eu me senti quando vi a reportagem, sabe como eu me sinto agora com você falando que não sou boa o suficiente nem para sair em fotos? - silencio- Exato, me sinto um grande nada, vá logo embora, e me deixe ser ser nada em paz. Nunca pedi para fingir que gostasse de mim,você começou tudo isso.  Eu nunca vou ser boa o suficiente para você, nunca vou ser uma super e linda modelo, nunca vou ser a garota mais inteligente,  não tenho talento algum. - ele respirou fundo e pareceu pensar.

- Você naõ entende não é? Você é perfeita, o jeito como você nunca perde as esperanças, o jeito como sempre sorri para mim, o jeito como me irrita, o jeito como coloca o cabelo atras das orelhas, ou senta sempre com as pernas cruzadas, você é surpreendente, um dia está com uma blusa de seu pai e calças moletom, no outro faz as unhas e usa batom, eu sou perdidamente apaixonado pelo jeito como você toca meus cachos, e sempre me ouve, mesmo se também tiver algo a dizer, ( s/n) Você chorou por que sua irmã matou uma aranha, e deu seu almoço para um mendigo, atravessou metade do mundo por um sonho, se isso não é perfeição, eu juro que não sei o que é. Você e linda, e sempre a algo especial em tudo o que faz, me faz querer ser um homem melhor, só por saber que eu tenho a oportunidade de ser o cara que te beija quando chega em casa depois de um longo dia. Eu amo você.- de repente, eu não sabia o que dizer, apenas abri a porta do banheiro delicadamente, sentei em sua frente, seus olhos estavam vermelhos e ainda molhados, e sua cabeça estava entre as mãos.

- Harry Edward Styles, eu te amo, muito mais do que você pode imaginar.- ele finalmente sorriu, me abraçou e me beijou delicadamente.

- Então me perdoa?- ele disse sugestivo.

- Se prometa não mentir mais, e ser meu para sempre.

- Eu prometo só se prometer que será minha para sempre.

Tocamos nossos dedinhos mindinhos, como sempre fazíamos quando prometíamos algo.

 Ele foi até a janela correndo e gritou como louco.

- EU A AMO, E ELA ME AMA. SOU UM IDIOTA MAIS ELA ME PERDOA.

- Que bom cara- uma homem barbado que estava passando na rua disse com cara de confuso.

- Você é louco?- perguntei

-Não, o mundo só precisa saber que eu sou seu e você é minha.- Ei ri e ele voltou a me beijar.

bala na agulha.

-Arranjei seu primeiro trampo.
-Ê, céus.
Assim suspirava Alceste, que não conseguia sair do estabelecimento, nem dialogar.
-Aqui, você escolhe uma menina bonita, e ela será sua.
-Isso me soa meio ofensivo.
-Vai, escolhe logo, ofensivo é esse seu nome de mulher.
-Bate-pronto, essa aqui.
-Essa não.
-Ué, por que?
-Ela é feia.
-Feia nada, eu achei bonita e pronto.
-Mas ela não pode.
-?
-Essa quem quer sou eu, e ponto.
-Mas eu que tinha que escolher, cara.
-Ela é feia e ponto.
-Não acho, cara.
-Então eu farei ela se sentir feia, e quando ela se sentir tão feia assim, ninguém mais achará ela bonita , porque se ela mesma não achar, quem achará?
-…(eu só precisava ir pra casa).

querido

pois é gatinho os posts estão só aumentando, vai ter muita coisa pra você ver. Até eu que tô passando muito mal arranjei um tempinho pra vir ate aqui. Beeeeijos, te amo

Confessando em Alegorias

Um dia eu disse que era górgona. Que diferença um ano faz…

Ser atemporal é a desculpa que aprontei para a monotonia. E a monotonia é a desculpa que aprontei para o meu medo. Ser medo é a minha cruz (todos têm) e a distância é a minha alegria (tudo tem). Ser introspecto é a paisagem que arranjei para a minha curiosidade (chacina). Ser telescópio é o esquadro que arranjei para a minha vida (sofrida). Vai, vida, lida, cria. Me arranjei para ser medo, para você. Fiz um arranjo de todos os meus frutos e você, para você. Não compreenda, não me olha assim, ser cruz é a minha vida, e ser distância é a minha cruz. E alegria. Eu não sou fruto que se colhe, não sou vida, não sou minha. E você… vá se colher pra outro lugar. Vou deixar a minha infertilidade debaixo do seu tapete, e isso é tudo que posso fazer.  

e eu nunca vou te esquecer amor, mas a solidão deixa o coração nesse leva e trás. veja bem, além destes fatos vis, saiba, traições são bem mais sutis, se eu te troquei não foi por maldade… amor veja bem, arranjei alguém, chamado saudade. 🎶😔 (em 💔😔)

Text
Photo
Quote
Link
Chat
Audio
Video