aquelas

Sempre existe aquela esperança boba de conhecer a pessoa perfeita aos quinze e ter um final feliz aos dezesseis. Mas então, você chega aos vinte e está sozinho. Aos vinte e cinco e não encontrou ninguém, simplesmente não havia seu tamanho na loja de relacionamentos. Não havia ninguém que suportasse seus exageros, crises durante a madrugada, ou um amor de verão que durasse até o fim do inverno. E então, o erro está em você? Não está. Querer algo que dure sem acabar em lágrimas não te faz algo falho que ninguém quer.  Não é um defeito preferir alguém pra um ano inteiro ao invés de procurar deixar um rastro de carência por cada cama diferente que dormiu na semana.
—  A culpa é mesmo das estrelas? 
No fim das contas você percebe que aquelas palavras que exalavam sinceridade não passavam de palavras vazias ditas da boca pra fora. Coisa de momento.
Não adianta. Você pode passar o dia lutando contra os pensamentos, pode se juntar com os amigos, rir muito. Mas vai ter uma hora que você vai estar sozinho e tudo que você evitou vai surgir e te derrubar. Aquela música que você acha que vai te ajudar, mas na verdade só te faz pensar mais. Por isso lute o máximo pra não ficar sozinho quando não estiver condições de encarar a solidão. Ela pode ser assustadora.
Aquelas paixonites que tu fica com ciúmes só de ver as outras pessoas conversando e de mimimi, mas depois de 2 dias ta pouco se fodendo pra ela.
Um dia você vai encontrar alguém que te lembre todos os dias que a vida é feita para ser vivida. Alguém que é perfeito de tão imperfeito. Alguém que não desista de você por mais que você tente afastá-lo. Naquele dia que você não estiver procurando por ninguém, naquele dia que você não ia sair de casa e acabou colocando a primeira roupa que viu pela frente… Quando você não estiver procurando, você vai achar aquela pessoa que faz você sentir que poderia parar de procurar.
—  Caio Fernando de Abreu.
Aquela momento em que alguém fala tanto de uma pessoa que você acaba sonhando com a pessoa que o alguém fala tanto
Por um minuto você vai achar que é forte, vai parar de chorar, colocar aquela música que faz com que se sinta poderosa, vai achar que aquele alguém não te afeta mais. Mas meu amigo, quando esse minuto passar, aguenta, aguenta porque vai voltar a doer, e vai doer muito mais do que estava doendo a um minuto atrás.
—  escitar
Aquela semana passou mais rápido que o normal. Eu via apenas o rastro das coisas que aconteciam, exatamente como aquelas cenas, que o personagem do filme tem alguma lembrança, tudo em efeito sépia, eu não tinha controle de nada, mesmo sendo a protagonista.
—  Gubim.
You and me let's go all night // @Hexie

A verdade é que Howard praticamente voou do trabalho para casa, tomou o banho mais rápido que conseguiu e trocou de roupa. Em pouco tempo, lá estava ele na frente do prédio de Lexie, com a camiseta preta e a jaqueta de couro, tinha ido de moto para chegar mais rápido, havia passado também em um restaurante mexicano e comprado comida, ah e é claro, bombons, ele levará bombons porque parecerá um bom agrado, porque afinal, Howard gostava de agradar. Assim que entrou no prédio, o porteiro acenou com a cabeça para How, que fez o mesmo movimento do homem, entrando no elevador em seguida e indo para o andar da morena.

Ao chegar de frente ao apartamento da garota, Howard tocou a campainha e se apoiou em um lado da parede, armando seu sorriso de canto que fechava aquela cara de badboy que ele gostava de manter vez ou outra.

Capítulo 08 - O que dizer do amor.

" Como fugir do amor se até a alma se entrelaçou nele?"


Rodrigo não podia dimensionar as consequências daquelemomento. Estava pela primeira vez confuso, perdido, sem saber o que fazer. Sempre teve sua vida decidida. Nada acontecia se não fosse de sua vontade. A única emoção que se permitia sentir era adrenalina pelo que fazia para sobreviver naquele mundo cão.

Se viu em meio ao caos que aquela loira lhe causava. Como uma menina com ar tão doce podia causar todo aquele rebuliço dentro dele? Ali sentado no sofá daquela casa que em nada se assemelhava a um lar ,ficou perdido em pensamentos.

A única pessoa em quem confiava era o velho Nicolau. Fazia tanto tempo que não o via… Talvez aquela fosse a hora de encontra-lo e assim colocar sua mente em ordem.

Viu os primeiros raios que o Sol irradiava sentado no sofá. Nunca as horas se passaram tão vagarosas.

Juliana assim como Rodrigo viu o novo dia nascer, mas diferente dele tinha certeza do que queria. Mal cabia em si de tanta ansiedade. Precisava falar com as amigas, com certeza elas teriam um conselho que a ajudaria a quebrar a resistência daquele moreno.

(…)

Rodrigo chegou naquele asilo certo de encontrar uma saída para a maior furada de sua vida. Não podia fraquejar diante daquele sentimento que estava nascendo. Sua vida já tinha prazo de validade. Era loucura arrastar Juliana para o fim que fatalmente teria. Quando se embrenhou por aqueles caminhos tortuosos, assumiu os riscos que trazia. Na verdade a vida e a morte para ele tinha o mesmo valor.

Ficou sentado em um banco de um pequeno jardim a espera de seu leal mentor. Viu Nicolau se aproximando e sorriu. Aquele velho homem era a sua única família. Não uma família com laços sanguíneo, mas a família que a vida lhe ofereceu e ele se agarrou como se agarraria à uma tábua de salvação.

- Rod, meu menino. – o homem que caminhava com dificuldade devido a doença que o consumia falou. – O que te traz aqui sabe que é perigoso.

- Perigo maior é o que está aqui. – apontou para a cabeça. – Esse com certeza vai ser minha morte.

- Vejo que o que tanto temia aconteceu. – Nicolau parecia enxergar até a alma de Rodrigo. – Desse perigo aí , meu menino, ninguém foge.

- Eu não posso… – Rodrigo sussurrou parecendo ter medo das próprias palavras. – Não posso!

- Isso infelizmente não é você quem decide. – Nicolau sorriu. – E mesmo que você lute contra, não vai adiantar, será traído pelo que há de mais forte em você.

- Minha determinação? – perguntou aflito

- Não, o amor. – Nicolau falou sentando ao lado de Rodrigo.

- Amor? Isso eu nem sei o que é?

- E quem disse que precisa ser mestre na arte de amar? – falou sábio. – Quando ele surge, se encarrega de ensinar tudo o que você precisa saber para vive-lo. Sei que veio atrás de uma solução, mas eu te digo que não vou poder te dar.

- Mas você me ensinou a seu o melhor no que faço…

- Você é mestre na arte de ter pedras preciosas palpáveis, mas a mais preciosa de todas você. não precisou roubar, ela estava aguardada aí, dentro de você.

- Eu não vou cair nessa. – falou decidido. – Se preciso for, eu sumo no mundo.

- Pode ir pra onde quiser, mas do que você tá querendo fugir vai ser impossível.

- Por quê?

- Porque tá aqui, meu menino. – pegou no peito indicando o coração de Rodrigo. – E aqui… – apontou para a cabeça.

- Agora vai! – Nicolau levantou – Aqui não é seguro.

- Vem comigo? – pediu. – Eu preciso de você.

- Você precisa viver o que teme. – falou sereno. – E quanto a mim, daqui a pouco encerro minha jornada.

- Não quero ficar só novamente. – falou com olhos marejados.

- A vida tá te dando a oportunidade de mudar o seu destino.

- Não é possível, eu escolhi o que me espera.

- Não, Rod. Ninguém escolher ser infeliz. Não pensa, só deixa acontecer…

Rodrigo tinha ido atrás de certezas, mas invés disso Nicolau lhe deu opções. No caminho de volta pra casa se permitiu pensar que tudo poderia ser diferente, mas esse direito de escolha não lhe foi permitido. Foi uma criança com tantos sonhos, mas agora era um homem sem nenhuma ilusão.

Juliana havia combinado com Alice e Ágatha de irem ao cinema e depois sairiam para conversar. Estava parada na calçada em frente a sua casa esperando o táxi que tinha pedido quando viu a moto de Rodrigo se aproximar. Não iria insistir, primeiro ouvia as amigas, depois veria o que ia fazer em relação ao que estava sentindo.

Rodrigo viu Juliana parada ali na sua frente e toda a conversa com Nicolau passou por sua cabeça. E agora o que faria?

Estacionou a moto e já estava entrando em casa quando virou-se e viu Juliana entrar no táxi. Para onde ela estaria indo? E com quem?

Juliana se encontrou com as amigas e relatou todo o ocorrido. Alice não acreditava em tudo que Juliana havia tido coragem de fazer. Não porque achasse errado, mas para Juliana, aquela menina certinha, isso era inacreditável. Após o filme decidiram ir para a casa da loira, lá conversariam mais a vontade.

Já estavam descendo do carro quando Juliana ouviu aquela voz que lhe fazia perder o eixo lhe chamar.

- Juliana! – Rodrigo falou alto. – Posso falar com você?


_____________________________________________________________

Meninas, estou muito, mas muito feliz por todo esse carinho que venho recebendo de vocês. Muito obrigada por cada “ask” e cada “like”.

Beijos

Eu amo a geração exagerada, aquela que se joga de cara nas relações, que não tem medo de amar, que não tem orgulho, que chora, grita, pede perdão, se humilha e corre atrás. Diferente dessa geração atual, que por qualquer decepção amorosa já acha que sabe tudo sobre amor e se fecha, a geração passada adorava o sofrimento por amor.
“Eu nunca mais vou respirar se você não me notar. Eu posso até morrer de fome se você não me amar. 
E por você eu largo tudo! Vou mendigar, roubar, matar. Até nas coisas mais banais… Pra mim é tudo ou nunca mais.” - Exagerado, Cazuza.
—  Julio Amorim
se vcs estao achando essa letra grande VEJAM O TAMANHO QUE ELA FICA EM CAPS LOCK, PRA QUE TUDO ISSO, OLHA O TAMANHO DESSA LETRA GENTE, ELA OCUPA QUASE A DASH TODA! MEUDELSSSS A LETRA É TÃO GRANDE QUE SÓ FALTA PULAR DO MONITOR, IMAGINA AQUELAS HISTORIAS GIGANTES QUE TINHAM NO TUMBLR O TAMANHO QUE VAI FICAR?!!! SOCORRR