acata

Se ha publicado una nueva noticia en: http://www.leanoticias.com/2013/03/04/wow-este-pajarito-ataco-a-un-halcon-para-proteger-a-sus-crias-fotos/

¡Wow! Este pajarito atacó a un halcón para proteger a sus crías (Fotos)

El Halcón de Harris es uno de los cazadores más temibles que vuelan los cielos. En parte por su temible pico y sus tres metros de envergadura. Pero eso no impidió que pequeño pájaro lo atacara.

Un fotógrafo capturó el valiente pájaro mientras aterrizaba sobre la espalda del halcón para evitar cualquiera amenaza a su nido. Esto ocurrió en El Salvador. Señaló planetacurioso.com

El halcón, llamado Chucky, volaba como parte de un entrenamiento cuando fue atacado por el diminuto adversario.

El fotógrafo Gerardo Grassl, que capturó las escenas, dijo que el pequeño pájaro estaba muy contento por que había logrado su objetivo de proteger a sus crías, informa Daily Mail.

Una gran cantidad de aves en la zona se alarmaron por la presencia del halcón pero el Benteveo o pecho amarillo como se le conoce al Pitangus sulphuratus, fue el único que se abalanzó para atacar, a pesar de que podría haber sido asesinado en cualquier momento.

El pajarito sobrevivió al ataque audaz, mientras que el halcón simplemente continuó con su vuelo y se estrelló en el señuelo trazado por su entrenador.

El pajarito cayó delante del halcón y se fue volando ileso.

youtube

Triple Crown Drift at Pikes Peak International Raceway. Fountain Colorado, USA

9

Mulheres Reais


As Mulheres Reais da mídia representam, de forma traiçoeira e discreta, padrões que devemos seguir se quisermos entrar na categoria “mulher de verdade”. Mulheres de verdade têm filhos, dois no máximo, observados pela babá enquanto a mãe trabalha em sua carreira bem-sucedida. Os saltos tilintam no chão frio do escritório, enquanto ela em um estilo chique e descontraído, acena para os colegas de trabalho. Apesar de ser a melhor em sua área , ainda ganha menos que o amigo do escritório ao lado. Não reclama, nem poderia, pois seria considerada a chata mal-amada. No almoço conversa com as amigas sobre dietas, viagens e família. Todas comem pouco e malham muito, mas ninguém admite: a graça de ser mulher de verdade é não demonstrar esforço, mas sim criar a aura de que sua vida, corpo e mente são inatas, tão naturais quanto a cor de seu cabelo. A mulher de verdade é naturalmente bem-sucedida, inteligente e sarada, não discute, acata. É o sonho de qualquer um, até os trinta, depois disso perde a validade.
Mas a verdade é que nada disso corresponde à realidade, são construções nas quais precisamos nos encaixar caso contrário não somos inteiras, viramos um espectro a ser hostilizado a qualquer momento. Viramos uma sombra. Em nossa sociedade patriarcal o gênero ao qual pertencemos nos dita regras, limites e com seu manual de bons modos, nos podam. Tira a humanidade de quem é humano, nos objetifica e nos vende, seja como acessório ou troféu, somos produto. Somos educadas para atender expectativas e competir umas com as outras, não por trabalhos, mas por maridos. Acima de tudo essa é uma realidade montada minunciosamente para manter dominância da classe Homem, crenças de inferioridade são incutidas desde muito cedo para que nos vejamos, e vejamos as mulheres à nossa volta, como seres incapazes, aparelhos reprodutores ambulantes, vaginas com pernas.
Contestamos, sabemos que a verdade é que toda mulher é real. Independente de aparência, escolhas profissionais, família, sexualidade e idade, somos todas de carne e osso. Cada uma levando em si o peso de sua história, o peso das vivências. Independente de origem ou do destino final, todas devemos ser reconhecidas e legitimadas. Chegou a hora de parar de queimar as lendas que nos emponderam, chega de esconder de nós nosso real poder. Somos todas mulheres de verdade.

“Sou mulher e luto. Hoje ou amanhã, sempre lutei. Observei, desde o mais remoto dos tempos, uma sociedade se erguer em detrimento dos meus direitos, assim como os de tantos outros. A verdade é que nunca tive direitos, hoje ainda sou considerada um pouco mais humana mas ainda sou um degrau. Ainda sinto o peso do corpo que me usa sistematicamente e me sob seus pés como forma de controle, ainda sou vista como obstáculo. Dou a vida e à ela sou privada, minhas escolhas podadas aos caprichos de quem me oprime. Meu corpo ainda não é meu, sinto suas leis caírem sobre mim com o peso de mil vidas, o peso de mil corpos. Vivo à mercê do querer alheio, entocada na prisão que me foi imposta. As grades, de mim, só hão de ouvir a respiração: assim informo que me mantive viva. Ao peso que jaz sobre meu corpo, tu só às de ouvir meu grito, uníssono, incansável. E quando escutar com atenção, atente-se: não és o único a notar. Fui invisível e silenciosa, silenciada. Escondida durante toda uma existência, minha vida é a resistência, fuga das bruxas, negras e índias que escaparam de tuas mãos. Minha vida é luta.”

Vía Regeneración

La cadena MVS emitió un comunicado está noche, donde da por terminado su relación laboral con la periodista Carmen Aristegui. La empresa no acata ultimátum de la periodista  Regeneración, 15 de marzo de 2015.-La periodista junto a su equipo de colaboradores realizó la investigación y expuso a la opinión los conflictos de interés que habían alrededor […]

El post MVS despide a Carmen Aristegui apareció primero en Regeneración.

—A ti, maravillosa disciplina,
media, extrema razón de la hermosura
que claramente acata la clausura
viva en la malla de tu ley divina.
A ti, cárcel feliz de la retina,
áurea sección, celeste cuadratura,
misteriosa fontana de mesura
que el universo armónico origina.
A ti, mar de los sueños angulares,
flor de las cinco formas regulares,
dodecaedro azul, arco sonoro.
Luces por alas un compás ardiente.
Tu canto es una esfera trasparente.
A ti, divina proporción de oro— (en En todos lados 🌀)