“L’amore è quell’attimo che non aspetta nemmeno un secondo, che rincorre il minuto, anche 60 volte, fino a che non arriva l’ora di vederti.L’amore è quell’onda di argento vivo che lega gli occhi al cuore indissolubilmente. Tutto quello che vedrà il cuore si guarderà dagli occhi e tutto quello che si guarderà dagli occhi si vede dal cuore, e adesso che so tutte queste cose proteggimi, difendimi, voglio fidarmi di te, ancora una volta.”

(Il Principe Abusivo, Alessandro Siani)

Os preços são abusivos no Brasil. E daí?

Cada vez mais circulam na internet textos comparando um produto/serviço no Brasil, e o mesmo produto/serviço em outros países. É bem provável que você já tenha visto. Basta passar algumas poucas dúzias de minutos em alguma rede social. 

Por um lado, a iniciativa é super válida e coerente: a informação é o primeiro passo para se construir mudanças. E como o lucro brasil não é óbvio, tão pouco está escrito em alguma nota fiscal ou site de compras, esses textos ajudam a entender o quanto o brasileiro paga de imposto.

Por outro, a atitude do brasileiro não passa de cômoda. Compartilhar uma tirinha de figuras e textos nas redes sociais não vão fazer com que o preço do produto abaixe. Ou que, pelo menos, a carga tributária desse produto diminua. Pelo contrário.

É verdade que quem tem boca vai a Roma, mas reclamar por reclamar nunca resolveu nenhum problema. Isso é apenas mais uma das multi-facetas do mimimismo.

Ora, se você acha que o preço do produto é abusivo, não compre. Se o serviço prestado da operadora de celular é terrível, não assine. Se já tiver assinado, cancele. Se você julgar inaceitável pagar 100 reais em uma única refeição, não vá mais a esse restaurante.

Com relação aos impostos, a curto prazo, não se tem muito o que fazer. Mas com produtos/serviços você pode simplesmente boicota-los. 

Fácil, não? 

Aparentemente não. Parei para observar quantas pessoas escrevem sobre “cancelei o serviço na XXX, …” ou “deixei de comprar o YYY, …” devido ao preço abusivo. Sabe quantas ocorrências eu percebi em um pouco mais de uma semana? Nenhuma. É claro que isso não tem nenhum rigor de uma metodologia ciéntífica, mas, pensando com calma você pode também concordar comigo, fazendo, a sí próprio, as seguintes perguntas:

1. Alguém em seu circulo de amizades recentemente fez uma reclamação pública sobre os preços abusivos de produtos e serviços praticados no Brasil?

2. Se sim, algum deles comentou que deixou de adquirir o produto por julgar o preço abusivo?

"Mas não da pra viver sem X, Y, e Z"

Concordo que alguns serviços são obrigatórios (água, luz, internet, celular). Mas outros não são (tv a cabo, internet 4G). E alguns são bem duvidosos (telefone?). Identifique a gordura e corte o mal pela raiz. Aproveite e se desapegue do que não lhe agrega. 

Mas, o que definitivamente não traz mérito algum é reclamar por reclamar. 

youtube

Essa realidade precisa mudar!

This reality needs to change!

Twitter es consciente del problema de los 'tuits' abusivos

MADRID, 30 (Portaltic/EP)

Los responsables de Twitter han respondido a las quejas de los usuarios acerca de los mensajes abusivos en la red social. La presión ha ido aumentando y por ello, desde Twitter se está explorando cómo hacer que sea más fácil…

View Post

Barbara d'Urso denunciata da Ordine dei giornalisti: 'Esercizio abusivo professione'

image


Post by Enzo Iacopino, presidente dell’Ordine dei giornalisti

“Noi giornalisti abbiamo il dovere di informare i cittadini, senza toni forti, senza speculazioni, senza strumentalizzazioni per fare audience”, ha detto Iacopino nel corso di un dibattito organizzato dal Comitato Unitario delle Professioni in occasione della Giornata Mondiale contro la violenza sulle donne. “C’è un tipo di informazione che è un’autentica vergogna – ha aggiunto – ed è quella che io chiamo la tv del dolore, stile Barbara d’Urso, dove si esibisce la vita e la morte con l’unico obiettivo di acquisire attenzione da parte di un’opinione pubblica che forse non è il meglio di questa società”.
“Não nos responsabilizamos por objetos deixados no interior do veículo” é abusivo

“Não nos responsabilizamos por objetos deixados no interior do veículo” é abusivo

[su_frame align=”right”] // [/su_frame]Normalmente ao deixarmos o carro em estacionamentos pagos ou não, nos defrontamos com avisos dizendo: “Não nos responsabilizamos por objetos deixados no interior do veículo.”

Mas, responsabilizam-se sim!

Os estabelecimentos fazem isso como uma manobra, uma forma de induzir o consumidor menos informado a não questionar, trata-se de uma prática abusiva.

Por…

View On WordPress

LA ELIMINACIÓN DE OBSTÁCULOS PARA LA FELICIDAD Y LA ALEGRÍA (BRIAN WEISS) 5 E

La seguridad del hogar espiritual

"Me despertó un mensaje: «Eres un carpintero que está construyendo su hogar espiritual -escuché-.
¿Cuántos martillos hacen falta para levantar tu hogar espiritual? Qué es mejor, ¿mil martillos o uno perfecto? Lo que cuenta es la calidad de la casa, no cuántos martillos tiene el carpintero”.

Dedicamos demasiado tiempo a acumular martillos y no el suficiente a construir nuestro hogar espiritual. A veces la familia biológica no es la verdadera familia de una persona. Puede que sus padres, sus hermanos y sus demás familiares no lo comprendan. Puede que no le demuestren amor y cariño. Puede que le rechacen y le traten con crueldad. Usted no está obligado a que le traten de forma inhumana. Ser el objetivo del comportamiento abusivo de otras personas, sean su familia o no, no satisface ninguna responsabilidad kármica. Maltratar o herir a una persona es un acto que la persona que maltrata realiza por propia voluntad.
Los malos tratos o abusos no son nunca merecidos.
Al ir creciendo, es posible que se vea rodeado por amigos, por personas que le quieran de verdad, que le aporten la seguridad que da el sentirse querido y tratado con dignidad y respeto. Esos amigos y seres queridos se convierten en la verdadera familia. Seguramente también compartirán sus valores espirituales, y entre todos pueden ayudarse a evolucionar de forma positiva. Esa gente es su familia espiritual. Si su familia sanguínea, su familia de origen, le rechaza, su familia espiritual le aceptará, le cuidará y se convertirá en la familia que de verdad tendrá importancia para usted.

No estoy recomendando abandonar a la familia de origen ni dejar de mantener una buena comunicación y un trato afectivo, pero no tiene que dejar que abusen de usted, ni psicológica ni físicamente. No tiene que racionalizar el abuso y decirse que es algo tolerable simplemente porque procede de su familia, sus amigos o su comunidad religiosa.
Hay un aforismo que dice que la sangre es más espesa que el océano. Quiere decir que, cuando las cosas van mal y fallan los amigos o los conocidos, normalmente se puede contar con los parientes para que nos ayuden. Yo digo que, si bien es cierto que la sangre es más espesa que el océano, el espíritu es más espeso que la sangre. Siempre podemos depender de la familia espiritual para que nos ayude.