64 - Take Me Out

N.A: Musica do Franz Ferdinand 

 PDV CLARA

Eu observei-a rir e fiquei sem reação, ela estava mudada e não parecia nem um pouco com a Vanessa que havia ficado para trás no Brasil.

-Eu acho que ele sente meu cheiro, porque não é possível… – Ela voltou a rir e sua risada era tão gostosa que ate Max resolveu acompanha-la.

-Van… – Tentei

-Vamos – ela levantou junto com Max em seus braços – Me leve para jantar

Dessa vez foi ela quem segurou minha mão, eu amei ver seu rostinho se contorcer em surpresa ao perceber que a cidade ficava ainda mais linda durante a noite.

-Vamos ver um dia para eu te levar em um restaurante vegetariano que eu amo – Falei animada e ela sorriu pela primeira vez para mim.

-Eu to morrendo de fome agora – Ela olhava as lojas com curiosidade enquanto nos andávamos ate o restaurante.

-Onde você estava antes de vir para ca? – Perguntei quando paramos para ela observar a loja.

-Em Vegas – Ela deu de ombros – O pouco que eu vi foi lindo, agora entendo porque você gosta tanto de la.

-Você não conheceu tudo? – voltamos a andar e ela sorria para tudo e todos.

-fui só para o campeonato e resolvi vir para ca porque tinha a May para me mostrar tudo – Ela sorriu envergonhada – Meu inglês é horrível.

-Da próxima eu vou com você e te mostro tudo que eu conheço – Sorri apertando sua mão, parecíamos tão bem e ao mesmo tempo tão mal, afinal não estávamos agindo com a intimidade que costumávamos ter.

Haviam milhares de restaurantes, mas escolhi algum que houvesse mais comida vegetariana, também ajudei-a a escolher o prato, afinal ela não entendia de quase nada.

-Você vai ter que me colocar em um táxi – ela riu observando o garçom nos servir

-Pode deixar – Sorri ajudando Max a se servir.

Comemos conversando futilidades sobre L.A e Vegas. A única coisa importante a qual falávamos era sobre Max, mas o clima acabou por pesar.

-Quando volta? – perguntei

-Próxima segunda volto para minha vidinha em Sampa – Ela suspirou com um sorriso tímido em seus lábios.

-Tem alguém esperando você la? – Eu sabia que dependendo da resposta aquilo seria doloroso, mas precisava ouvir.

-Minha mãe e meus cachorros – ela deu de ombros.

-Não – respirei fundo – Namorado ou alguma coisa assim…

Tentei parecer indiferente, mas não pareceu surtir muito efeito.

-Ah… – Ela deu de ombros – Não prometi nada

-Mas tem alguém com esperanças – suspirei voltando a me concentrar em Max.

-Mas e seu casamento. Fora essa “crise” – Ela fez aspas com a mão – Deu para fazerem uma nova lua de mel?

Trinquei os dentes ao ouvir aquele tom tão acido e tive vontade de estapea-la

-Não – sorri sarcástica – Mas pude aproveitar outras coisas

-Realmente – Ela deu de ombros – As mulheres e os homens daqui são lindos.

Eu nunca havia respirado fundo tantas vezes.

-Mas e nós? – Eu não tinha esperanças de nada, mas queria saber o que ela tinha a dizer.

-Volto para São Paulo semana que vem… Não existe nós – Ela tornou a ficar séria – E você vai se acertar com o seu marido.

-Isso é uma ordem? – perguntei irritada

-Não, só estou falando o que possivelmente vai acontecer – ela deu de ombros – O Max precisa dele e você também.

Pensei em responder, mas ela retornou a comer deixando bem claro que não voltaria ao assunto.

Trocamos poucas palavras ate o final do jantar e deixei-a no táxi, com uma sensação gostosa agora que sabia onde era seu hotel, mas com uma sensação ruim por saber que ela não colocava mais o mínimo de fé em nós.

Voltar para casa sem ela foi torturante, mas tinha um Max sorridente e cansado nos braços que demonstrava todo o prazer que era saber que agora ela estava ao meu alcance.

-Oi liza – Suspirei jogando a chave na mesinha de centro

-Como foi com a May? – Ela desligou a tv e virou-se para mim.

-Foi ótimo – sorri – Encontrei Vanessa…

-A brasileira? – ela encarou-me surpresa e eu apenas assenti – e…

-Ela vai passar uma semana e eu quero encontrar ela antes disso – sorri ajeitando Max em meus braços.

-Fabio ficou em um hotel e disse que vai te ver tocar amanhã – Eu concordei em um suspiro cansado.

-Vou deitar e descansar – Ela concordou.

Apesar de tudo o dia havia sido cansativo e depois de um banho eu finalmente consegui ter uma noite tranqüila de sono.

___________X_____

PDV VANESSA

-Um tour em L.A e a noite vamos ver a Clara tocar – May falou animada

– Vou te levar lá porque é a única boate boa que conseguiremos ingressos vip de ultima hora.

-Eu não me importo - dei de ombros – Eu só quero conhecer esse lugar 

-Então Vamos – Thais segurou minha mão e a de May – Quero comprar um monte de coisas

-Vamos logo mulher – Sorri com elas.

Estar em L.A era mais um sonho realizado, mas estar em L.A com um premio nas malas e duas pessoas maravilhosas era quase uma realização de vida.

Eu tinha uma vida humilde e sempre me contentei com o pouco que tive e agora eu estava ali a realizar um sonho mais do que almejado. E era nesses momentos que eu via que tudo valia a pena, independente do quão havia sido ruim.

_________X________

PDV CLARA

A boate estava lotada e eu não sabia se agradecia por Fabio ainda não ter aparecido, mas isso era preocupante pois ele sempre cumpria sua palavra.

Sabia que as pessoas não estavam ali para me ver, pois tinha Djs mais famosos do que eu e também melhores… Eu era apenas uma brasileira americanizada como todos os outros que já haviam passado por ali. Não me importei de ficar ali em meio as pessoas.

-Oi – A morena sorriu para mim, ela era memorável, mas eu não lembrava seu nome ou de qual noite havia conhecido-a. Eu havia dormido com um numero considerável de brasileiras.

-Oi – sorri amigável

-Ta sozinha hoje? – ela acariciou meu braço, com um sorriso que não escondia suas intenções.

-Não – menti sorrindo de volta, mas ela pareceu não se importar.

-Não vejo ninguém – Sua mão subiu de meu ombro ate a nuca.

-Ela esta comigo – Aquela voz masculina reconhecível chamou minha atenção, mas não pude falar nada e já estava sendo puxada para fora dali.

-Eu pensei que já havia parado com isso – ele esbravejou já me soltando do lado de fora.

-Qual o seu problema? – Perguntei irritada

-E olha que você estava apaixonada pela Vanessa – ela riu sarcástico

-Você não tem nada com isso – Esbravejei no mesmo tom

-Eu sou seu marido – ele apontou para meu rosto

-Nunca agiu como tal – Sorri debochada e foi o suficiente…

On the cover of Flaunt 136: The Distress Issue! Such good times chillin with motorcycles and bleached eyebrows hahaha #flauntmagazine

Stylist: Simone Harouche

Hair: Charlie Taylor

Makeup: Beau Nelson 

Manicure: Karen Gutierrez

Photographed by Stevie and Mada

Stay tuned for the behind the scenes video coming next week!

Watch on vanessahudgens.tumblr.com

@laurajaynenew @ashleytisdale @itsashbenzo your turn boo boos #icebucketchallenge #ALSawareness

Text
Photo
Quote
Link
Chat
Audio
Video