One Shot - Liam Payne

- Você está cada dia mais linda, hein? - Logan disse rindo.

- Obrigada, senhor. - Falei curvando-me para ele. Nós desde crianças que fazíamos esses tipos de brincadeiras. Por um momento esqueci que estava com meu namorado ao meu lado.

- Oi, Liam. - Logan cumprimentou ele.

- Oi.

- Bem, estou indo para dentro, vocês vão entrar agora?

- Não. - Meu namorado respondeu. - Pode ir na frente.

- Tchau, minha linda. - Meu amigo beijou minha mão. - Tchau, Payne.

- Odeio esse cara. - Virou-se pra mim quando Logan se distanciou.

- Mas não deveria, ele é meu melhor amigo.

- Sinto que ele não quer apenas isso.

- Nós não queremos saber o que você acha. Eu apenas não vou acabar uma amizade de infância por sua causa.

- Quer saber? Estou indo embora dessa merda. - Liam falou grosso. - Fique aqui sozinha, se quiser. - E assim foi mesmo embora.

Fiquei por um momento com cara de nada na frente da balada e após pensar um pouco eu decidi entrar e me divertir junto com meu melhor amigo. Nós conversamos e dançamos bastante e por um momento eu esqueci do Liam. Nada a ver ele sentir ciúmes de um cara que pra mim é como um irmão.

- Sério que você está com ressaca? - Meu namorado perguntou ao me ver deitada no sofá com um pouco de gelo na mão.

- Sim.

- Então quer dizer que enquanto eu estava sozinho e mal em casa você estava feliz da vida na balada bebendo com seu amigo.

- Liam, não vamos brigar. Estou morrendo de dor de cabeça.

- Sim, vamos brigar sim. - Revirei os olhos. - Eu estou de saco cheio desse homem no meio da nossa relação.

- Está insinuando o quê?

- Que ou você fica comigo ou com ele.

- Ah Liam, me poupe.

- Vamos (s/n), pra mim já deu.

- Eu te disse que eu não iria acabar com uma amizade de infância por conta de um namoro.

- Então você já decidiu. - Não pude nem falar mais nada, Liam pegou uma mala que eu nem havia visto e saiu da minha casa sem explicações.

Tentei ligar nos outros dias pra ele, mas só dava desligado. Descobri depois, através do Louis, que ele havia trocado de número e se mudado. Liam não deixou brechas para que nós pudéssemos nos comunicar. Depois de muito chorar e ouvir conselhos de Bianca, uma amiga muito próxima, eu decidi viajar para a Itália e passar um tempo por lá na esperança de esquecer o Liam.

- A senhora deseja mais sacolas? - A mulher do caixa do supermercado perguntou num sotaque italiano engraçado.

- Não, obrigada. Estou de carro. - A chuva estava muito forte, tive que virar equilibrista pra segurar a sobrinha e as poucas sacolas pesadas.

- Posso ajudá-la? - Uma voz conhecida perguntou me fazendo paralisar totalmente assustada.

- L-liam? - Olhei para trás e o vi todo molhado.

- (s/n)? O que faz aqui?

- Eu… Eu vim passear, viajar um pouco para espairecer. - Expliquei observando-o tremer de frio. - Vem, eu te levo até seu carro.

- Eu vim de táxi.

- E sem sobrinha?

- É, eu não sabia que ia chover. - Eu ri.

- Vem, nós dividimos e eu te levo até seu hotel.

- Obrigado. - Ele sorriu e pegou minhas sacolas. - Você é forte, hein? - Riu.

- Está molenga agora Liam? - Perguntei abrindo a porta do carro pra ele e indo até a minha.

- Um pouco. - Rimos. - Desculpe por molhar seu carro.

- Está tudo bem. É alugado mesmo. - Liam gargalhou.

- Está aqui desde quando?

- Há duas semanas e você?

- Há três dias. Estou aqui por conta da turnê, temos shows.

- Ah sim, imaginei. Louis me ligou dizendo que iria comer as melhores pizzas e eu não. - Gargalhei relembrando a ligação de Louis.

- E olha só onde você está.

- Pois é.

- O que acha de entrar no hotel pra falar com os meninos? Eles vão gostar.

- Será?

- Vamos logo, é por ali. - Apontou uma rua e eu segui suas instruções.

Louis ficou muito feliz ao me ver, de todos os meninosele era o que mais torcia por mim e por Liam. Passei a tarde conversando com os meninos e sempre notava o olhar de Liam sobre mim e eu, claro, retribuía.

- Foi muito bom te ver aqui. - Liam disse quando me levou até o carro.

- Igualmente. - Sorri e ele também.

- Você está linda.

- Influências dos três meses sem se ver, não aconteceu nada comigo.

- Aconteceu sim, você está… - Aproximou-se e tocou meu rosto. - Tão linda. - E foi se aproximando, aproximando, até que… Pimba! Nos beijamos de forma rápida e desesperada. As mãos de Liam praticamente arrancaram meus cabelos num carinho. - Que saudade! - Exclamou após o beijo. Sua boca estava vermelha, muito vermelha.

- Eu…

- Não diga nada. - Me beijou novamente. - Eu fui muito idiota com você, não devia ter forçado aquela situação, eu também faria a mesma coisa por um amigo ou amiga de infância. Desculpe. - Beijou minha mão diversas vezes.

- Sabia que eu te amo ainda mais quando você está assim? - Agora foi a minha vez de beijá-lo e abraçá-lo. - Eu te amo, Liam Payne.

- Eu te amo (s/n) (s/s). - Me pegou em seu colo e me rodou.

- Chega de cena de filme. - Falei fazendo-o gargalhar.

Voltei para o meu apartamento sorrindo como uma boba. Eu havia voltado com o cara que eu amava e isso era motivo mais do que suficiente. As semanas se passaram e os outros meninos voltaram pra Londres após os shows e nós ficamos na Itália por mais algum tempo.

- É uma pena que essas férias tenham acabado. - Reclamei sendo puxada por Liam para um beijo no meio do aeroporto.

- A gente pode prolongar mais um pouquinho.

- Sério?

- Tenho quase um mês de folga.

- Por que não me disse antes? Isso é demais, amor. - Beijei-o novamente. - Vamos para a minha casa?

- Comprei uma casa nova.

- E nem me disse. - Cruzei os braços e Liam gargalhou.

- Queria fazer surpresa. Vem! - Praticamente me arrastou para o estacionamento onde seu segurança nos esperava e seguimos para a sua nova casa, ou melhor, mansão.

- Você me humilhou completamente agora. - Falei olhando para cada detalhe maravilhoso daquela casa.

- E por quê?

- Porque a minha casa não é nem a metade dessa. - Ri.

- Você não vai mais precisar daquela casa. - Colocou sua mochila no chão e me abraçou por trás. - Essa daqui é nossa. - Sussurrou me deixando paralisada. Como?

- N-nossa?

- É.

- Mas Liam…

- Eu estou te chamando pra morar comigo, amor. Qual o problema nisso?

- Será que vai dar certo?

- Só saberemos se tentarmos.

- Meu Deus, essa casa é enorme. Eu acho que vou me perder aqui dentro. - Falei e Liam gargalhou.

- Eu te acho. - Virou-me pra ele e me beijou. - Vem?

- Quando quiser. - Sorri.

- Então sinta-se proprietária a partir de… Agora!

- Uou. - Encarei o cômodo agora com outros olhos, eu moraria ali junto com ele. Deuses! Isso era surreal.

- O que acha de inaugurarmos nosso quarto?

- Já?

- Não podemos perder tempo. - Riu e me pegou em seu colo.

(…)

Os meses foram se passando e cada dia estava mais fácil conviver com Liam, os gostos dele foram ficando em minha memória e os meus na dele, então cada um faz o que o outro gosta sem nem perguntar. Eu percebi mudança mesmo quando vi nossas escovas juntas num mesmo local, não existia evidência mais clara que essa.

- Amor, você viu minha jaqueta? - Liam desceu as escadas apressado.

- Acredito que eu tenha visto ela no banheiro.

- Obrigado. - Beijou minha boca rapidamente e subiu.

- Vai usar jaqueta suja, Payne? - Gritei.

- É a minha preferida, dá um desconto (s/a). - Apareceu vestindo a jaqueta preta.

- Sujo. Porco. - Falei e ele riu.

- Que você gosta.

- Mentiroso.

- Ah, é?

- Eu amo, é diferente. - Liam sorriu abertamente e me abraçou.

- Estou indo para o ensaio. - Beijou minha bochecha e em seguida minha boca. - Te amo.

- Também te amo.

Ele foi embora e eu fiquei sozinha o dia inteiro, Bianca me fez companhia por um breve momento, mas teve que voltar para o seu trabalho. Logan nunca mais apareceu pra falar comigo ou sequer ligou, apenas me mandou uma mensagem dizendo que soube do meu retorno com o Liam e que me desejava sorte e muito amor, ele me disse também que estava na Índia com sua noiva. Confesso que fiquei muito feliz.

- Precisarei que você faça um exame de sangue, na verdade é só pra saber se todas as suas taxas e afins estão normalizadas. - Minha médica disse anotando diversas coisas num papel e me entregou logo após.

- E quando eu faço isso?

- Hoje. - Riu. - E volte depois.

- Certo. - Liguei pra Liam que estava novamente ensaiando e ele ficou preocupado, mas eu fiz questão de dizê-lo que era apenas rotina.

- Srta. (s/s). - Uma moça me chamou e eu a acompanhei. Rapidamente ela retirou meu sangue e eu fiquei a tarde inteira lá, esperei mais do que fiz alguma coisa. No final da tarde eu voltei para a médica.

- Bem, vejamos… - Ela começou e olhou novamente para os papéis confusa. - Está tudo normal.

- Que bom.

- Exceto algo inesperado, acredito eu.

- O quê? - Perguntei assustada. Ela me olhou sorridente.

- Você está grávida.

- Grávida?

- Sim, grávida. - Essa palavra ecoava em minha mente. Eu não conseguia acreditar. - Parabéns?

- Sim, parabéns. - Sorri e a médica riu.

- Vejo tantos casos de mães que odeiam a notícia que hoje o parabéns soa como uma pergunta. - Ri junto com ela, na verdade eu estava rindo até do vento que batia em meu rosto enquanto eu caminhava.

Quando cheguei em casa contei a Liam que praticamente caiu da escada quando eu contei, devo dizer que fiquei arrependida por contar enquanto ele subia os degraus, eu não sabia como contar, então foi do jeito que saiu. Ri quando ele se ajoelhou em meus pés e me agradeceu incessantemente por dar um filho a ele.

- Quer casar antes ou depois de termos o bebê? - Liam perguntou. Meses depois da notícia da minha gravidez, ele me pediu em casamento quando estávamos na London Eye, bem no alto.

- Antes.

- Achei que as mulheres não gostassem de exibir a barriga na igreja.

- Estou nem aí. Eu quero casar logo com você.

- Está com medo que eu arranje outra? - Riu.

- Tenho motivos pra ter medo, Payne? - Joguei a almofada nele. Meu noivo me abraçou.

- Não, claro que não. - Me apertou.

- Vamos marcar o casamento então.

(…)

Entrei na igreja com nove meses de gestação, meus médicos estavam lá praticamente equipados pra me socorrer e confesso que isso era engraçado. Eu e meu pai fomos andando lentamente até o Liam enquanto eu sorria para algumas pessoas, até porque meu olhar e sorriso eram todos voltados para ele, o meu noivo. Os meus padrinhos foram a Bianca e o Zayn e do Liam foi o Louis e a sua namorada, Eleanor. Tudo estava perfeito, tudo mesmo.

- Parabéns aos noivos! - Meu pai disse animado abraçando nós dois na festa.

- Obrigado, sogrão. - Liam agradeceu.

- Pai, você bebeu demais, não foi? - Perguntei preocupada.

- Claro! Minha filha se casa e eu não vou comemorar? - Nos abraçou novamente e Liam riu.

- Farei companhia ao senhor. - Meu marido disse.

- Nada disso! Não mesmo. - Segurei seu braço e no mesmo instante soltei pra poder segurar minha barriga. - Ai. - Gritei chamando a atenção de algumas pessoas que estavam perto de nós.

- O que foi? - Liam perguntou.

- Está doendo muito, amor. - Continuei a gritar e rapidamente vi os meus médicos se aproximarem.

- Ela está entrando em trabalho de parto. Vamos logo para o hospital. - A médica disse.

- O que eu faço agora? - Liam perguntou parecendo uma barata tonta próximo a mim.

- Nos ajude a levá-la até o carro, senhor Payne. - O médico disse quase rindo.

- Você se sente bem? Dói muito? Me diga como está se sentindo! - Ele falava o tempo inteiro.

- Você não está vendo? Está doendo! Estou quase morrendo, Liam! - Gritei apertando sua mão. Meu marido arregalou os olhos também pela dor.

- Calma, baby. Calma!

- Não me pede pra ter calma! - Gritei novamente. Ele conseguia me irritar até numa hora dessas.

(…)

- Ela é linda. - Minha sogra disse rindo.

- Eu sei, é filha do Liam, não é? - Falei baixinho e pisquei o olho pra ela. - Não conta pra ele se não sabe como ele é, vai ficar se achando… - Olhei meu marido brincando com a menininha em seu colo.

- Sei exatamente. - Me abraçou. - Muito obrigada por essa felicidade, (s/a). - Sorri pra ela e quando eu ia responder Liam se aproximou.

- Olha só o que ela faz. - Ele ergueu a menina para nós e ela fez uma bolhinha de saliva. Liam ria sem parar. - Uma graça.

- Não deixe ela ficar fazendo isso, pode crescer sendo uma criança mal educada. - Falei.

- Que nada. - Ele respondeu e me beijou. - Fica tranquila aí que ela vai ser muito bem educada pelo papai.

- E pelos titios. - Louis disse fazendo todos rirem.

Para mim, toda a sorte e paciência do mundo porque sim, eu vou precisar com um pai e tios desses que eu arranjei para a minha menina.

Jess

One Shot - Louis Tomlinson (”Epílogo”) 

« Partes um e dois


~ Anos depois ~

- Louis, você pode pegar a mochila da Eloise? - Perguntei apressada. Eu ainda tinha que ajudar as crianças a comerem.

- Mamãe, me sujei de papa. - Blaine reclamou encarando a camisa branca toda suja de amarelo. Respirei fundo.

- Como você derrubou isso?

- Bati com a mão na colher. - Ele disse culpado.

- Desastrado! E agora? Estamos atrasados, Blaine. - Coloquei a mão na cabeça.

- O que houve? - Louis chegou com a mochila da Eloise na cozinha.

- Ele se sujou com papa, Louis. E eu estou atrasada pra reunião!

- Calma. - Segurou meu rosto e me deu um selinho. - Fica com a Eloise, termina de ajeitar ela e com o Blaine eu me resolvo.

Fiz como ele pediu e terminei de arrumar a nossa filha. Louis trocou a farda de Blaine colocando uma camisa normal, limpou a mesa e o chão e em seguida ajeitou a mochila de Blaine. Observei como o meu marido era cuidadoso e até mais competente que eu cuidando das crianças.

- Você acha que ele vai conseguir entrar na escola com essa roupa? - Perguntei enquanto ele dirigia.

- Vai sim, ele é malandro. - Olhou pelo retrovisor para o filho que riu.

- Tenham um bom dia. - Eu disse após beijar a testa de cada um. Eu e Louis fomos para a empresa e depois de dar um beijo nele eu corri para a reunião. - Olá à todos. - Falei quando entrei na sala.

- Olá, bom dia. - Um dos investidores respondeu sorridente.

A reunião foi rápida e a empresa conseguiu mais cinco patrocínios, nem preciso dizer que fiquei enlouquecida com isso. Passei pela secretária do Louis e ela disse que ele estava em reunião com mais dois arquitetos e eu não quis atrapalhar. Fui para a minha sala e fiquei horas por lá resolvendo as coisas de um novo projeto.

- Senhora Tomlinson, tem uma moça na sala de espera. Posso mandá-la entrar? - Eu havia adotado o sobrenome de Louis também na empresa, era mais do que justo. Minha nova secretária era um doce de pessoa.

- Ela disse o nome?

- Sim. Chloe Harrison. - Arregalei os olhos confusa. O que Chloe queria comigo?

- Mande-a entrar, por favor. - Falei e guardei todos os papéis que eu analisava. - Olá, Chloe. - Cumprimentei-a quando ela entrou na sala. Apertamos as mãos. - O que deseja?

- (s/n), desculpa o incômodo. - Ela encarou o chão. - Mas é que… Bem… Eu passei esses anos num emprego que eu não gostava e acabei sendo demitida. Não ache que eu estou feliz por estar aqui te pedindo ajuda, mas é que esse trabalho me faz sentir ser uma pessoa completa.

- Que trabalho?

- O que eu tinha aqui. Eu te xinguei da última vez que nos encontramos e prometi pra mim mesma que nunca mais voltaria aqui, mas eu me arrependi e olha só onde estou…

- E o que você quer que eu faça?

- Queria te pedir, na verdade implorar para que você me readmita na empresa como secretária. Por favor, eu preciso e gosto muito desse emprego.

- Chloe…

- Você não precisa dar a resposta agora.

- Mas eu quero dar a resposta agora. - Falei. Eu não podia contratá-la de novo para ser minha secretária, mas… - Você pode ser secretária aqui sim. - Ela sorriu abertamente. - Mas não minha. - Seu sorriso diminui.

- E de quem seria?

- Não ache que é do Louis. - Falei e ela abaixou a cabeça.

- Não se preocupe quanto a isso, eu nem sequer olharei para o seu marido.

- Acredito que não seja necessário ser tão radical, você e Louis foram amigos, não quero um clima chato aqui. Só preciso que me respeite e respeite o meu marido.

- Não se preocupe, eu prometo honrar meu emprego e a nossa cumplicidade do passado.

- Ótimo. Você será secretária do Joseph.

- Uh! - Eu ri. - Será uma tarefa árdua.

- Por que será que ele está precisando de secretária, não é?

- Homem chato.

- Boa sorte.

- Mas está de bom tamanho. - Ela levantou-se e sorriu. - Muito obrigada (s/n). Você é uma ótima pessoa e isso só se confirmou agora.

- Não posso te prejudicar hoje por um erro do passado.

- Obrigada. - Agradeceu mais uma vez e apertou minha mão. - Mande um beijo para os seus filhos. - Sorrimos.

- Pode deixar. - Quando ela ia sair Louis ia entrando, os dois se toparam e ela o cumprimentou. Louis sem entender direito me olhou assustado.

- O que houve aqui?

- Ela foi contratada novamente.

- Sério?

- Acha que não sou capaz de readmitir uma pessoa que me chamou de vadia? - Ele riu e eu também.

- Você tem um coração de ouro. - Me beijou. - O que acha de buscarmos as crianças na escola e irmos almoçar numa lanchonete e comer muitas besteiras como elas gostam?

- Acho uma ótima ideia. - Beijei-o novamente. - Quando sair você avisa para a Ashley que eu vou sair à tarde, okay? - Pedi a Louis.

- Sim, senhora. - O fim da manhã chegou e quando eu me preparava para juntar minhas coisas, Joseph apareceu pedindo licença.

- Fala logo que vou sair.

- Serei rápido.

- Ótimo.

- Eu estava analisando as coisas ultimamente e cheguei a conclusão de que eu estou sobrando aqui na empresa. Todos se dão bem, você casou com um funcionário e minhas esperanças foram para o ralo. O que eu estou fazendo aqui? Isso mesmo, nada!

- Seja direto.

- Eu vendi minhas ações.

- Como? - Praticamente gritei.

- Isso, eu vendi meus trinta por cento.

- Burro! Por que não vendeu pra mim?

- Não se preocupa que não fará tanta diferença.

- Ah, é? Tem certeza que não vai?

- Tenho.

- E por quê?

- Porque eu sou o seu novo sócio. - Louis chegou rindo com o papel de repasse das ações para ele. Abri a boca em surpresa.

- Viu só? Agora deixem-me ir. Eu e a Chloe iremos começar amanhã mesmo um novo negócio.

- Ela já aceitou?

- Sim. - Riu. Chloe era rápida no gatilho.

- Boa sorte, Joseph. - Apertei sua mão e ele se foi. - E você hein? Nem me disse nada.

- Queria fazer surpresa. Joseph iria vender para outro cara, eu não podia deixar isso acontecendo tendo o dinheiro pra pagar e fora que isso aqui é um ótimo negócio. - Eu ri.

- Você sabe das coisas, seremos grandes amigos, senhor Tomlinson. - Falei e ele me abraçou.

- Caso tenha esquecido já somos casados, senhora Tomlinson. - Rimos. - Temos que fazer um trato a partir de hoje.

- Fale.

- Coisas do trabalho apenas serão discutidas aqui e as coisas de casa apenas lá, correto?

- Correto.

- Se misturarmos as coisas não vai dar certo.

- Sensato. É por isso que te amo, Louis.

(…)

- Então o papai também é dono da empresa? - Blaine perguntou sorrindo.

- Sim. - Respondi.

- Agora é tudo da gente? - O garoto continuava animado.

- Com certeza. - O pai respondeu.

- Serei o rei.

- Príncipe, seu burro. - Eloise corrigiu nos fazendo rir. - E eu a princesa.

- Mas vocês já eram antes disso. - Louis disse.

- Mas agora somos de verdade. - O menino insistiu.

- Tem razão, vou ver se arranjo coroas pra vocês. - Falei e eles gargalharam. - Tudo finalmente se acertou. - Eu disse pra Louis.

- É, agora é só trabalhar e deixar tudo para as crianças. E claro, vamos aproveitar de algumas regalias.

- Já estou vendo que está pensando em não ir trabalhar certos dias.

- Segunda feira, vá à merda! - Ele disse e eu ri. - Nós vamos ficar em casa.

- Que Deus me dê paciência a partir de hoje. - Falei e meu marido gargalhou. Olhamos as crianças comerem e se lambuzarem de doces depois.

Meu marido sendo dono também eliminava todos os argumentos maldosos dos demais funcionários da empresa. Eu estava super feliz por matar dois coelhos numa cajadada só: me livrar de Joseph e dar um emprego a Chloe sem precisar vê-la depois disso, sai como a boa e nem precisei aturá-la. Tudo estava nos devidos conformes e eu tinha certeza que continuaria por anos e anos.

Jess

Instant Couscous

(note: I submitted this to nomoreramen earlier today, but I thought it would suit this blog too)

I often struggle to remember/have energy to prepare lunch. My solution was buying these packets of instant couscous:

However! They were costing me about £4/week, so I decided to make my own.
This recipe makes a huge batch of dried couscous, and you can rehydrate a portion at a time when you need it.

Ingredients:

  • 1kg bag of dried vegetables (you can buy them online)
  • 2kg dried couscous
  • 1/2 jar dried garlic granules
  • 5 spoons of bouillon powder / 5 crumbled stock cubes

The seasoning can be adjusted according to taste - try using other herbs and spices. Smoked paprika is good!

How to make the couscous mix:

Mix all the ingredients together, then transfer to a container for storage - I used a giant saucepan to mix them in and then transferred the mix into tupperware containers.

There’s a lot of mixture, so if your arms tire easily, it’s best to do this on a day when you have plenty of spoons. Or reduce the quantities so it needs less energy to mix.

How to prepare the couscous:

When you’re ready to eat, scoop half a cup of couscous mix into a mug or bowl. Add enough boiling water to cover the couscous completely. Wait a few minutes for the water to be absorbed.

BOOM. Done.

Downside: it is quite a big financial outlay when you make a batch
Upside: once you’ve made a batch, it’ll last a long time

I made my current batch in April, I’m about half-way through now, and it cost just over £15 (including P&P for the dried vegetables). It would have cost me about £28 in couscous packets for the same length of time, and I’ve still got loads left!

One Shot - Zayn Malik & Harry Styles

  • Pedido

Ps: O Harry é só uma participação na história, mas é parte crucial. 


- (s/n)? - Chamei minha mulher quando entrei em casa.

- Estou aqui. - Respondeu da cozinha.

- Oi. - Abracei-a por trás e beijei sua bochecha. - Comendo ainda?

- O certo seria, “comendo de novo?” - Ela riu. Quando eu liguei ela estava comendo, então quer dizer que ela comeu mais.

- Nunca vi comer tanto.

- Para. - Me deu uma tapa no braço e riu. - Como foi hoje?

- Foi bom. Temos um compromisso hoje.

- Qual?

- Festa. - (s/a) fez careta. - Pra comemorar o sucesso da banda. - Sua careta piorou.

- Onde?

- Perto do estúdio.

- Não acho uma boa ideia.

- Por quê?

- Harry vai estar lá.

- Não podemos nos privar de viver nossa vida como um casal perante à equipe da banda porque você foi casada com um dos integrantes.

- Mas Zayn…

- Não, eu não vou aceitar isso (s/n). Uma hora nós três vamos nos encontrar num mesmo lugar.

- Na verdade a culpa é minha, quem manda se casar com o amigo do meu ex marido, não é? - Falou e eu virei-a pra mim.

- Não repita mais isso. Você não tem culpa por quem se apaixona. - Beijei-a.

- E se ele arranjar briga?

- Eu rebato.

- Está vendo porque eu não quero?

- Prometo não sair nos murros com ele. - Ri e ela permaneceu séria.

- Vamos?

- Vamos. É quando e de que horas?

- Hoje e agora. - Ri e ela arregalou os olhos.

- Palhaço! Deveria dizer logo. - Ri mais ainda e ela se desfez do meu abraço.

(s/n) subiu e eu fiquei na sala esperando-a. Após ficar pronta, fomos direto para a festa, já estávamos atrasados e diversas pessoas haviam chegado. Falei com todos e tive o orgulho de apresentar a (s/a) como minha esposa, claro que algumas pessoas estranharam o fato que ela foi casada com Harry antes de mim, mas eu pouco me importava com isso. Fomos para a mesa e eu fiz questão de sentar-me ao lado de Harry com (s/a) ao meu lado, bem longe dele.

- (s/n), como você está conseguindo aguentar as crises existenciais do Zayn? - Niall perguntou e (s/n) e eu rimos.

- Até agora ele não apresentou esse problema.

- Temos coisas mais importantes pra fazer, não tenho tempo pra ter crises. - Falei rindo e Harry gargalhou chamando a atenção de todos.

- O que foi Styles?

- Nada.

- Achei que eu tivesse contado alguma piada. - Me irritei.

- Quase isso.

- Então me explique.

- (s/n) é quem gosta muito de sexo e bem, você é quase um morto…

- O que sabe sobre mim? - O babaca fala besteira de mim e da minha mulher na frente de todos e agora eu que me sinto um babaca por não ter socado a cara dele.

- Boatos, Malik.

- E minha mulher, com que direitos você vem falar dela?

- Fui casado com ela, sei como as coisas funcionam com a (s/n). - Levantei-me da cadeira.

- Não seja tão indiscreto, Harry. - Louis reclamou.

- Você é um babaca. - Minha mulher disse levantando-se e tocando meu ombro.

- Também estou com saudades. - Ele riu debochado pra ela e me olhou. - O que foi, amigo?

- Se você é tão bom assim, por que ela te deixou pra ficar comigo? - Falei bravo e Harry levantou-se também.

- Zayn, por favor, vem comigo. - Minha mulher me puxou pelo braço. - Vem.

- Harry, senta aí cara. - Liam pediu. - Vocês não vão brigar aqui, não é?

- Não. - Respondi e fui com minha esposa pra fora da festa.

- Amor, se acalma. - (s/a) disse quando chegamos na área mais calma. - É por isso que eu não queria que vocês ficassem juntos comigo no meio do fogo cruzado.

- Ele é muito imaturo.

- E você não está muito longe disso. - Fiz careta pra ela que riu.

- Vamos voltar.

- Tem certeza?

- Tenho. - Beijei-a e fomos juntos até a mesa novamente. Todos nos olhavam assustados, menos Harry que ria debochadamente pra nós dois. - Vou ao banheiro.

- Volta logo. - Ela disse.

- Niall, olha a (s/n) aqui, por favor. - Pedi e Niall riu.

- Não irei comer sua mulher, Malik. - Harry gritou e eu ignorei.

Fui ao banheiro e lavei meu rosto. Eu só ainda não tinha metido um soco na cara do Harry porque não queria estragar a festa e levar uma advertência. Agora eu não iria me segurar se ele falasse novamente naquele tom de tarado com a (s/n), minha mulher!

- Olha só, ainda está no banheiro. - Harry riu. - Se enfeitando?

- Quem se enfeita aqui é você, Styles. - Falei. - E essa sua bota? Jogou num pote de purpurina? - Perguntei rindo.

- (s/n) adorava.

- Cala a boca.

- Sou mais macho que você, Zayn. Ela acabou comigo porque ficou deslumbrada com o que dizem de você, mas depois constatou que eu sou o melhor na cama.

- Ah, é? E por que não voltou pra você?

- Não sei. - Riu. - Sabe que eu notei um olhar dela diferente pra mim?

Não aguentei ouvir isso e fui com tudo pra cima dele. Harry revidou os socos que eu dei em seu rosto e barriga e acertou minha barriga, conseguiu me fazer ficar por baixo dele e deu dois socos em meu rosto.

- Isso aqui é pra deformar um pouco a beleza que as mulheres veem em você.

- E isso aqui é pra você nunca ter filhos. - Falei dando uma joelhada em seu pênis. Harry gritou como um louco saindo de cima de mim, aproveitei pra dar mais uns socos nele.

- O que vocês estão fazendo? - Liam gritou puxando-me pra longe dele.

- Esse desgraçado fica falando o que não deve, tem que pagar. - Gritei enquanto Harry se contorcia no chão.

- Você que é um froxo, Malik. - Ele disse com dificuldade. Tentei me soltar do Liam, mas ele não deixou.

- Quem está morrendo aí hein?

- Parem com isso. - Liam reclamou me tirando do banheiro. Muitas pessoas estavam olhando pela porta assustadas.

- Zayn, o que houve? - (s/a) perguntou atordoada.

- Nada, vamos pra casa.

- Claro. - Me segurou pelo braço e junto com Liam me levou para o carro.

- Eu levo vocês. - Liam sugeriu.

- Não, eu vou dirigir. - Ela respondeu.

- Tudo bem. - Liam beijou a mão de (s/n) e me abraçou. - Vai com calma aí, cara. O Harry estava bêbado.

- Okay. - Respondi não querendo prolongar o assunto. - Obrigado.

- Amor, o que aconteceu lá dentro? - (s/n) perguntou enquanto dirigia.

- Ele falou merda sobre você. Não quero contar, pode ser?

- Não precisa me tratar assim, eu só quero conversar.

- Desculpa, mas eu estou irritado. Por favor, entenda. - Pedi beijando sua mão.

- Vamos cuidar disso aqui. - Ela disse passando gelo no ferimento em meu olho. - Foi feia a briga, hein?

- Foi.

- E agora? Como ficam as coisas?

- Não sei, mas sair da banda eu não saio. Os incomodados que se mudem! - Falei e (s/n) gargalhou.

- Criança! - Apertou minha bochecha e me beijou. - Não me assuste mais desse jeito e muito menos brigue por mim ou qualquer outro motivo. - Acariciou meus cabelos, senti vontade de dormir. - Estamos entendidos?

- Sim, estamos. - Puxei-a para o meu colo. - Eu te amo. - Mordi sua bochecha.

- Eu amo mais. - Mordeu meu queixo e nós rimos. Harry não vai mais me desestabilizar com suas dores de cotovelo e a falta de amor em sua vida. (s/n) está comigo e é isso o que importa.

Jess

If you're bored of Mac & Cheese

My mom taught me this ridiculously easy recipe, and I use it on days where I’m really tempted to just skip food. 

1 Box of Macaroni & Cheese
1 Can of Cream of Mushroom Soup

Make your noodles like usual, drain them, and instead of using milk and cheese powder, empty the can of cream of mushroom into the noodles along with the cheese powder. Make sure that’s warmed up on the stove and mixed together nicely  before you eat. If you’re like me, it makes at LEAST two servings, possibly three, so you can refrigerate it for the next day. If you like mushrooms, it tastes so much better than just plain milk, AND there’s no measuring.

P.S. I’m sure you can do this with Cream of Chicken, but I’ve never tried it.