(pegadinhas

anonymous asked:

Quem das duas equipes é o maior "brincalhão"? E qual foi a melhor pegadinha ou brincadeira que já fizeram contra alguém da equipe?

Erika: Sem sobra de duvidas a Mayday ou o Luke.

Dante: Uma vez eles colaram as mãos do Howard nas ferramentas que ele tem na oficina…Demorou quase um dia inteiro pra desgrudar. Foi engraçado.

Howard: Porque não foi com você. Palhaço.

Mason: Por aqui, o Henry e a Mayday gostam de brincar, mas a Scarlly ganha em disparado. Acredite, ela já fez de tudo um pouco com todo mundo por aqui, ela não tem um limite.

Megan: como na vez em que eu ela encheu a comida da Hazel com molho mexicano, e quando a Hazel foi tomar o refringente pra tentar tirar o gosto, ela descobriu que o estava cheio de molho de pimenta.

Scarlett: Não se esqueça que depois disso, eu ofereci água pra ela e no desespero, ela nem percebeu que na verdade, estava toda congelada. Foi hilário.

Hazel: Não foi engraçado, sua maluca! Eu quase morri! Mas já que você gosta de rir, lembra daquela vez em que você pegou no sono e Mayday e o Henry colocaram duas aranhas em cima de você? Porque eu ainda me lembro dos seus gritos, e me lembro muito bem de você ter chorado.

Scarlett: Quantas vezes eu vou ter que repetir que não chorei?

Connor: Chorou sim! E a gente teria a prova se você não tivesse destruído a câmera da Mayday.

PLOT DROP! | Ops, I did it again.

Por Donatella Knight ( get-themdonnie )

         Quando acabaram as aulas, a espera começou. Esse ano devia ser mágico, devia ser especial; ela iria se formar e precisava deixar sua marca, alguma coisa que marcasse a história da escola para sempre.  Era sua última chance de tornar-se uma lenda e ela não poderia desperdiçar isso.

Aquela deveria ser sua obra prima. Não tinha certeza se conseguiria fazer uma no final do ano - com a formatura e tudo mais – então tinha que aproveitar o tempo que tinha. Todos os dias, ela diligentemente fazia planos e cálculos, gastando toda a sua energia naquele plano fantástico. É claro que a oportunidade de ficar longe dos irmãos é sempre interessante.

Donnie até mesmo aproveitou as viagens de família que era obrigada a acompanhar para tomar notas com os mestres das pegadinhas – a visita ás Gemialidades Weasley for particularmente proveitosa – para refinar ainda mais o seu plano.

A noite estava sendo castigada por uma tempestade de verão – daquelas que fazem parecer que o céu está caindo. Exceto pelos trovões caindo lá fora, a casa estava em absoluto silêncio – coisa rara naquele rural. Somente em um dos quartos uma luz estava acesa, e era o quarto de Donatella, no fim do corredor oeste.

Ela começou a rir. Não porque tinha escrito algo engraçado mas pelo alívio e a certeza de que aquele era o melhor plano já criado – Donatella – Ela disse para si mesma – Você é um gênio.

Keep reading

É como se tudo desmoronasse naquele momento,eu queria não acreditar no que li,queria imaginar que fosse apenas mais uma loucura na minha cabeça,queria que fosse uma pegadinha, daquelas bem de mau gosto, ou até mesmo que fosse apenas um xaxo pra provocar ciumes… Mas não foi… Foi verdade.. desde a primeira letra maiuscula,até o ponto final…. Acho que nada descreve a dor que senti,até porque foram uma junção de pensamentos e sentimentos… Ler tudo aquilo foi como estar lendo a ultima coisa antes de morrer… Morrer…. Palavra que se fixou no meu pensamento depois de ler tudo. Palavra que me trazia uma certa paz, ou a esperança dela. Porem analisando melhor, que palavra ridícula !!! Então é facil assim, morrer pra esquecer?!Morrer pra se livrar ?! Será que que eu desejava aquilo mesmo ?! NÃO !!! Eu so desejava a paz, e ainda a desejo. Tanto pra mim quanto para os envolvidos… è tão estranho sabe,ver se se passaram 4 anos acreditando em tudo e todos, e em atos escrotos percebemos que nem se passarmos mil anos conheceremos alguem tão fundo. Na verdade esse turbilhão todo me trouxe muito sofrimento,mas já diziam os antigos, que não existia melhor sabedoria do que a escondida dentro de um coração ferido .Aprendi que não devo me arrepender de nada, não posso me arrepender de ter me entregado corpo e alma,não posso me arrepender de nunca ter pensado em fazer o mesmo,e tambem não posso me arrepender de tentar colocar uma pedra em cima e seguir frente . Alem disso tive muitas descobertas sobre mim mesmo, sim, pq dos outros sempre esperamos saber algo, mas nunca achamos que descobriremos coisas novas de nós mesmo. Descobri o quão ingenua eu fui, e que qualidade perfeita essa minha… Li em alguns trechos que o fraco busca a vingança , já o forte sabe perdoar… Sou forte,e forte, e não esses fortes de academia não… Aquela pessoa forte que o coração está em pedaços e ela sai por ai com aquele sorriso ingenuo e lindo no rosto . E no meio disso tudo descobri o que minha mae, e minhas avós falavam… Amor de mãe é o melhor. E sim, hoje tenho certeza disso, pq esse anjo veio pra me mostrar todas essas qualidades e estar do meu lado independente de tudo . A vc deve estar se perguntando “ E o amor “ ?! O amor ?!Jamais desacreditarei nele,não é porque toquei nos espinhos que deixarei de ver as rosas… Porem seu que algo celestial tem me dado direção,e que se me fez amar até agora, porque não seguir amando ?!

i never felt like this before {flashback} * honey&fred

O rosto estampado na cara de Fred era de pura excitação, nunca tinha feito algo assim tão estúpido. O fato era que sem Dorian era realmente mais difícil entrar no salão comunal da Grifinória mas conhecendo a Mulher Gorda como ele conhecia, Fred deu um jeito. E mesmo depois de descobrir que o encantamento dos dormitórios ainda funcionava, ele resolveu aquilo com uma simples poção. E mesmo com todas as complicações, o alvo valia e muito a pena de ver depois a cara de pavor. Annalise era uma de suas melhores amigas mas nunca iria exatamente perdoá-la por ter sumido tanto tempo – talvez depois daquela pegadinha estariam quites.

A caixa que continha os insetos de plástico logo sumiu, Fred os espalhou e jogou um feitiço que faria com que se movimentasse o quanto Annie se movimentaria, provavelmente a deixando cada vez mais irritada. O sorriso dele se alargou, o plano estava exatamente como o combinado e logo depois, Fred estava caminhando apressadamente pelo corredor – um tanto próximo do salão comunal – com sua varinha acesa. Mas logo que viu uma pessoa adentrar no corredor, ele murmurou um “Nox”, apagando rapidamente a luz, ele torcia para que a pessoa não tivesse visto nada e se escondeu atrás de uma das estátuas.

pxrokinesis

ask

─ Urgh… Não gosto de lugares fechados… ─ Respirou fundo, levantando-se do assento. ─Eu vi uma pegadinha uma vez que as pessoas ficavam presas num lugar assim e começavam a aparecer zumbis em todo lugar.


⊰ ♔    ¸    Se manteve sentado, olhando pela janela. “Espero que não façam nada do tipo conosco. Não quero matar ninguém sem querer, achando que são de verdade.”

CENTRAL // FULL PLOT // REGRAS // SOBRE A COPA DAS CASAS // FICHA

Amizades quebradas, namoros separados e relações sendo levadas às escondidas por debaixo do pano. Brigas sérias começaram a acontecer nos corredores, e a enfermaria de Hogwarts vivia cheia. As detenções cheias. O orgulho da casa inchado no peito. Pegadinhas em outras casas, que podiam acabar com feridos. Pessoas começando a andar em bandos e protegendo à todo custo os seus iguais.

A PARTIR DE UM CERTO PONTO, O PRÊMIO DEIXA DE SER O OBJETIVO. O IMPORTANTE É O JOGO.

hater gonna hate || dorian&fred

Quando Dorian ouvia a palavra “encrenca” ou “pegadinha”, a primeira pessoa que vinha em sua cabeça era Fred. Eles sempre foram parceiros quanto se tratava disso. Para eles era um desafio fazer algo ao patrimônio escolar e sair impune. Era divertido apesar de ser um tanto infantil. Eles se divertiam e era isso que importava. Aquela tarde era convidativa de mais na opinião de Augustus. Nos finais de semana alguns professores saiam do castelo, alunos perambulavam pouco atentos. A qualquer momento poderiam ser pegos com uma bomba de bosta ou algo pior… Se é que existia algo pior.

Sem mais delongas, os dois tinham combinado de se encontrar no final da tarde, quando a maioria dos alunos estavam voltando para seus dormitórios para se arrumarem e irem ao jantar. - Ei, Fred! - Ele acenou para o amigo, marcando sua presença no local. 

Joaquim e manuel

Joaquim disse à manuel:
-vou para o brasil para descobrir algo novo de sobre piadas.

manuel disse:
-então vá e me traga novidades!

chegando no Brasil o gaúcho disse para joaquim:
-mas bá thê, tu Conhece o mário?
-Não, mas que Mário?
-Aquele que te comeu atráz do armário!!!!

Joaquim disse para o gaucho:
- muito boa sua pegadinha vou contar para meu amigo manuel la em portugal..

Chegando em portugal joaquim disse para manuel todo empolgado com sua nova pegadinha:
-Trago novidades manuel!!
-Então me conta logo joaquim!!
manuel disse:
-conheces o mário?
-Não,nao conheço o mário ,mas que mario?
-Aquele que me comeu atráz do armário!!!!!

The post Joaquim e manuel appeared first on Piadas Curtas.

Idade: 16 anos
Status sanguíneo: puro
Ano:
Amortentia: firewhiskey, trevos, perfume feminino
Casa: Grifinória
Varinha: Azevinho, pena de fênix, 29 cm, rígida
Background: Erin sempre fez jus a Grifinória, agindo com muita valentia, principalmente para defender seus irmãos, mas também sempre muito impulsiva.
Não é do tipo aplicada, mas é bastante esperta e adora aprender coisas desafiadoras e embarcar em grandes aventuras – mesmo que seja só um caso de contrabando de firewhiskey.
Sempre gostou de pregar travessuras mágicas junto com o gêmeo, Seamus, e sonha em uma dia em que suas pegadinhas e farofagens se tornem algo lucrativo para os dois.
Patrono: Setter irlandês

Clubes: Quadribol – batedora

Clube de duelos
Melhores matérias: feitiços
Piores matérias: Quase todo o resto, já que não leva muito a sério
Eletivas: Aritmancia e estudo dos trouxas
Extra curriculares: Nenhuma

Azevinho é um raro tipo de varinha de madeira; tradicionalmente considerada protetora, funciona melhor com aqueles que, talvez, precisem de ajuda para superar tendência a sua raiva e impetuosidade. É notoriamente difícil unir essa madeira com a pena de fênix, uma vez que a madeira volátil conflita, curiosamente, com a indiferença da fênix; mas em caso de alguém encontrar seu par em uma varinhas dessas, ninguém deverá ficar em seu caminho.

“Abraço surpresa é pegadinha do bem.”

Muito legal essa frase, não é mesmo?! Agora imaginem só encontrá-la em uma garrafa no meio de São Paulo… Pois é, esa iniciativa incrível é do @letrasgarrafais !
A proposta é demais: uma garrafa é “tatuada” com uma frase do @letrasgarrafais e é deixasa em algum lugar de SP.
Como sou de Recife, é bem complicado seguir essas garrafinhas, a não ser pelo Instagram.
Mas em contato com o criador do projeto, cerca de um mês atrás, ele me autorizou a fazer um #CanetaPerdida com o poema dele.
Sigam gente! É muito bom!

#CanetaPerdida #CanetaPerdidaIndica #indicacao #LetrasGarrafais

It'll leave you breathless or with a nasty scar? {Flashback 1968} | Paitlin

Caitlin não costumava ser convidada para festas, na verdade seus colegas de casa raramente faziam festas durante os feriados e com isso a ruiva passava os feriados apenas com sua família. Não pode evitar a surpresa quando sua prima mais velha lhe enviou uma carta convidando para uma festa dois dias depois do natal, no começo Cait pensou que seria alguma pegadinha já que levando em consideração que ela era mais nova e até no ano anterior as duas não se davam bem, provavelmente aquilo poderia ser uma maldade dos colegas de casa da prima. Mas a empolgação de ir em uma festa e ainda ser convidada por Rosie, fez com que ela parasse de pensar sobre coisas ruins e pudessem acontecer e pensar que poderia ser divertido.

No dia da festa, Parkinson ponderou mil vezes antes de realmente aparecer na casa da prima. O combinado seria que se ficasse muito tarde ela acabaria ficando por lá e mesmo que seus tios não aprovassem muito a ideia das duas se dando bem, ou aceitava dormir lá ou não poderia ir na festa por questões de horários. Quando entrou na casa de Rosie, a ruiva observou ao redor e a salão principal estava cheio de rostos conhecidos, a maioria fazia parte da Slytherin e Cait por um momento se sentiu um peixinho fora d’água. Se sentia como a única half-blood no meio de vários purebloods extremamente puristas e sabia que em alguma hora uma piadinha sobre ela ia acabar saindo, ela era a piada deles. Desde que entrou em Hogwarts, sempre foi motivo de piada entre os sonserinos, principalmente por ser um desastre completo. Talvez um pouco de álcool ajudasse lhe dando um pouco de coragem pra continuar naquela festa. E foi a primeira coisa que ela pegou assim que deu alguns passos para dentro na direção da mesa de bebidas, menos de cinco minutos dentro da mansão Parkinson e Caitlin já tinha uma caneca de cerveja amanteigada nas mãos.

Dividia-se entre ingerir o conteúdo da caneca e respirar fundo, mantendo pensamentos que tudo daria certo. Tinha grandes chances de tudo dar certo se um certo gigante não aparecesse no seu campo de visão, ele tinha um copo em mãos e um sorriso nos lábios, Cait teve que prender a respiração por um segundo e engoliu seco. Philip estava extremamente bonito naquela noite, o que não fazia nada bem pra sanidade de Parkinson. A crush que a ruiva tinha pelo moreno era algo que ela tentava negar, mas era tão claro pra ela que aquele cara fazia com que ela prendesse a respiração e não conseguisse manter seus pensamentos em ordem. E mesmo com todas as implicâncias, todas as piadas que ele fazia dela, por mais que na maior parte do tempo ela só quisesse sair correndo para chorar, fazia com que ela pensasse que pelo menos chamava a atenção dele por um momento.

Ele ainda não tinha notado a presença dela e ela agradecia a Merlin por isso, assim podia se recompor e tomar mais uma dose de coragem, que naquele momento era o conteúdo de sua caneca. Tomou em goles rápidos a cerveja amanteigada e antes de se afastar da mesa, deixou a caneca vazia sobre a mesa e pegou mais uma cheia. Começou a caminhar entre as pessoas, não tinha uma direção certa, não sabia com quem conversar ou o que fazer. “O que pessoas fazem em festas? O que eu estou fazendo aqui mesmo? Eu deveria estar em casa lendo um livro.” Esses pensamentos rondavam a mente da garota enquanto ela caminhava pelo salão. Estava ocupada demais analisando as pessoas ali que nem notou quando seu corpo se chocou com outro e toda sua bebida foi diretamente na camisa alheia. Não conseguiu evitar uma careta antes de olhar pra pessoa que havia sido atingida pela cerveja, provavelmente todo mundo estava observando aquela cena e só restou a ruiva respirasse fundo e olhasse para cima. Philip Zhèng estava parado a centímetros dela com uma cara de poucos amigos e outra careta se formou no rosto da garota.  Me desculpa. Eu…Eu estava distraída…Não percebi que tinha alguém na minha frente e…Desculpa.  Fechou os olhos por um segundo tentando respirar fundo e se xingando mentalmente por não ter conseguido falar sem gaguejar. A cena já era desastrosa o suficiente, Caitlin estava totalmente envergonhada e ainda tinha Phil que estava muito perto para que ela conseguisse pensar com clareza.

Hoje eu pensei caralho, denovo na minha frente, precisava? Mas mal sabia que, só precisava esperar, questão de minutos, pra você foder com a minha cabeça bem mais , com um meio beijo roubado, caralho, conversamos, você me explicou, mas confesso que acho que qualquer momento você vai vir com o bordão do serginho malandro e falar que era uma grande pegadinha (espero que não) ou que mudou de idéia, mas se nada disso acontecer, vai ser bem interessante, primeiro pela altura e segundo porque vai dar uma treta monstuosa, but let’s try
—  (usando seu método de indireta)C.G.

                Menino Taruto está rindo que nem um idiota por que sua pegadinha deu certo.                                       Se você olhar a sua esquerda, verá humanos correndo apavorados de                                                   besouros gigantes. Bem, um pequeno caos aqui e ali ( em função dos                                                   velhos tempos ! ) nunca matou ninguém, certo ?

Diálogo romântico entre Lou Ellen e Connor Stoll

    Assim como de costume, Connor e Travis estavam sentados próximos ao lago, após o horário de retirada. Lá era um bom lugar para se esconder, já que os arbustos os tampavam, e convenceram algumas dríades a avisarem caso alguém chegasse muito perto dali (elas caíram na lábia dos Stoll’s, que prometeram não deixar ninguém do chalé 11 poluir o lago). Ou seja, melhor lugar para planejar suas pegadinhas e jogar conversa fora. 

    Foi quando estavam planejando roubar um dos vinhos da sala do Sr. D., que uma dríade, amiga deles, sussurrou o sinal que tinham treinados para avisar que um semideus estava ali perto. 

    - A essa hora? - Travis questionou estranhando. Connor deu de ombros.

    - É melhor ficarmos em silêncio até que vá embora. - Aconselhou. 

    - Vou ver quem é. - Travis levantou-se um pouco e arregalou os olhos, surpreso. Olhou para o irmão e lembrou-se que Connor havia dito estar interessado em uma filha de Hecáte. Aquela era a oportunidade perfeita para ele agir. 

    - O que foi? Quem é? - Connor indagou, levantando-se um pouco também. Quando virou-se e viu Lou Ellen com uma toga roxa, dentro do lago, quase sentiu seu coração sair pela boca. Ela estava estupidamente linda. 

     - Acho que podemos decidir o que fazer amanhã. - Travis afirmou com um sorriso malicioso. - Te vejo de manhã, maninho. - Disse e saiu dali silenciosamente. 

     Connor queria xingá-lo por tê-lo deixado ali sozinho. Por dois simples motivos: sabia que agora teria que fazer algo ou seria eternamento zoado em seu chalé por seu um “gay covarde”, e que Travis não devia ter ido embora coisa nenhuma. Com certeza estava escondido em alguma árvore para assistir seu fracasso em flerte. 

     Em compensação, a visão que Lou Ellen estava lhe proporcionando era mais do que seus olhos podiam capitar. Já fazia um tempo que Connor percebeu que já estava implicando de mais com a garota, e que isso devia o que as filhas Afrodite denominam de “amor”. Sem contar que ela além de bonita, também gostava de travessuras. A garota perfeita para ele! Só seria mais perfeita se não ficasse o rejeitando toda vez. 

     Connor percebeu que Lou devia estar fazendo algum tipo de magia, já que estava de olhos fechados, concentrada, murmurando alguma coisa. E, apesar de estar com água até a cintura, não parecia ter se molhado. Sua toga roxa reluzia com a luz da lua e seu cabelo parecia ter ganhado um tom mais brilhante. Minutos depois, já não aguentando mais ficar escondido,Connor saiu de trás dos arbustos, e sentou beira lago, esperando Lou Ellen abrir os olhos e vê-lo. 

    - Costume interessante, esse seu. - Connor disse quando percebeu que ela estava prestes a vê-lo. - Fazer magias a noite, extremamente sexy.

    - C-Connor?! - Lou quase engasgou com a própria saliva. Não esperava encontrar o filho de Hermes tão cedo. Achou que naquele horário não encontraria ninguém para importuná-la durante o encantamento. 

    - Você vem sempre? Porque prometo não perder mais nenhuma vez. Você fica realmente bonita a luz da lua. - Connor falou em tom provocativo. Mas, com um fundo imenso de verdade. 

    - Vai importunar outra pessoa, pseudoelfo. - Lou revirou os olhos, indo até a borda do lago para sair. Infelizmente, sua toga já estava começando a molhar e pesar, o que dificultava seu deslocamento dentro da água. 

    - Mas a essa hora da noite estamos sozinhos, bruxinha. - Sorriu malicioso. 

    - Isso não quer dizer nada, Stoll. - Lou cortou-o. Finalmente conseguiu sair do lago, e estava sentada ao lado de Connor. - Nem se você fosse o último homem da terra eu ficaria com você. 

    - Ah vamos… Nós dois sabemos que isso não é verdade. - Connor sutilmente passou a palma da mão no rosto de Lou, limpando uma gota de água que havia espirrado do lago. 

    - O que você quer?! - Lou imediatamente se afastou de Connor, batendo em sua mão. Connor rapidamente pegou a mão de Lou, e a aproximou de si, antes de que a coragem o abandonassem. 

    - O que eu realmente quero é… - Começou a dizer, de forma sedutora.

    - Banana. - Alguém sussurrou e Connor perdeu totalmente a compostura. Lou caiu na gargalhada. 

    - Ei, pare de rir! - Ele pediu, com a expressão séria. Novamente a voz sussurrou:

    - Banana.

    - Fiquei quieta! - Connor pediu, morrendo de vergonha. Ele se lembrava que esse era um dos códigos que tinha combinado com as dríades, mas não lembrava qual. 

    - N-não dá… Foi muito engraçado… - Lou continuou a gargalhar. Porém, sua risada se cessou assim que ouviu o som de patas. 

    - Merda! - Connor disse, se levantando, e correndo até os aburtos. - Como eu puder me esquecer?! Banana significa que Quíron está vindo! - Murmurou e a cor sumiu do rosto de Lou. 

    Os dois se esconderam no arbusto, e seguraram suas respirações assim que por entre as folhas viram a parte branca de cavalo de Quíron. Passado um tempo, Quíron cansou-se de procurar as vozes que tinha ouvido e foi embora, aliviando os dois campistas. 

    - Isso é culpa sua. Se não fosse por você, eu já estaria faz tempo em meu chalé e não ia precisar me esconder em um arbusto. - Lou reclamou, suspirando. 

     - Não precisa mentir. Eu sei que você amou passar esse tempinho comigo. - Connor sorriu e piscou com um olho só. Lou levantou uma das sobrancelhas, e se preparou para viajar nas sombras (uma habilidade que aprendeu com nico), mas, antes de mergulhar na escuridão, deu um sorriso malicioso-sombrio e disse:

    - E se for verdade? Você teria coragem de tentar algo?

Evite enganos.
#whatsapp #engano #mistakes #mistake #gafe #gafes #correntes #pegadinha #erro #false #block #bloqueio #preso #emoticon #emoticons #gravacao #recording #palavras #baixo #calao #capslock #piadas #memes #videos #humor #music #música #texto #trabalho #grupo #bom #senso #produtividade #exagero #temas #cobrança #urgencias #intimidade #pessoas #familia #recente #diferente #informal #diferente #indiferente #bullyng

anonymous asked:

Qual é o tumblr desse Rodolfo? Ele é oque seu?

Olá KKKKKKKKK. Não, Rodolfo é aquela copiadora que o tumblr gentilmente nos apresentou no dia 1 de Abril quando aplicou aquela pegadinha que trollou milhares de usuários. Mas, a Mah e eu amamos ele. Ele era nosso amiguinho e conversava com a gente kkkkkkkkk.